Marreca-parda – (Anas georgica)

Marreca-parda

A marreca-parda Anas georgica é uma ave da família Anatidae. Conhecida também como marreca-tordilhona.

Marreca-parda Foto – Hilton Filho
  • Nome popular: Marreca-parda
  • Nome inglês: Yellow-billed Pintail
  • Nome científico: Anas georgica
  • Família: Anatidae
  • Sub-família: Anatinae
  • Habitat: Ocorre desde a Terra do Fogo ao estado de São Paulo no Brasil e, pelos Andes, até a Colômbia
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de sementes, raízes, grãos, gramíneas, ciperáceas, algas (incluindo algas marinhas) e outras plantas aquáticas, bem como invertebrados aquáticos, tais como insetos, crustáceos, caracóis e outros moluscos.
  • Reprodução: Constrói o ninho no chão, na vegetação perto da água, e é uma plataforma rasa de hastes, forrado com grama embaixo. A fêmea coloca entre 4 a 10 ovos. Os ovos são de cor creme rosa pálido, medindo 56 x 40 mm de tamanho, com um peso de 42 g. A incubação dura cerca de 26 dias. No Cone Sul, o período de reprodução vai de outubro a dezembro, enquanto no norte, Peru, o período vai de agosto a março.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante.
Marreca-parda Foto – Hilton Filho

Características:

Mede em média entre 41,5 e 55 centímetros de comprimento e pesa entre 460 e 655 gramas. Tem a cabeça com a coloração parda. A íris é castanho escura. O bico é amarelo com uma fina linha preta no cúlmen. A extremidade distal do bico também é preta. O pescoço é longo e apresenta na sua parte frontal uma área esbranquiçada. As penas coberteiras são escuras e cada pena apresenta bordas de coloração canela. As asas são castanho-acinzentadas. O espéculo é preto brilhante sem reflexos verdes com bordas esbranquiçadas. A cauda é pontuda. O peito, flancos e crisso são de coloração castanho claro com manchas escuras. Estas manchas são resultado de penas escuras com bordas de coloração canela. Pernas e pés palmados de coloração acinzentada.

Possui três subespécies:

  • Anas georgica georgica (Gmelin, 1789) – ocorre nas ilhas Geórgia do Sul.
  • Anas georgica spinicauda (Vieillot, 1816) – ocorre do sul da Colômbia até a Terra do Fogo e nas ilhas Malvinas.
  • Anas georgica niceforoi (Wetmore & Borrero, 1946) – ocorria no centro da Colômbia, foi descrita em 1946 e considerada extinta em 1956.
Marreca-parda Foto – Hilton Filho

Comentários:

Frequenta lagoas, banhados, varjões, áreas irrigadas e de rizicultura. Tem o costume de andar durante a maior parte ano aos pares ou em bandos pequenos.

Marreca-parda Foto – Aisse Gaertner

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • CLEMENTS, J. F.; The Clements Checklist of Birds of the World. Cornell: Cornell University Press, 2005.

Referências

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *