Gavião-gato – (Leptodon cayanensis)

O gavião-gato, Leptodon cayanensis é uma ave da família Accipitridae, também conhecido como gavião-de-cabeça-cinza, Ocorre do México até a Argentina.

gaviao-gato Foto – Afonso de Bragança
  • Nome popular: Gavião-de-cabeça-cinza
  • Nome inglês: Gray-headed Kite
  • Nome científico: Leptodon cayanensis
  • Família: Accipitridae
  • Subfamília: Gypaetinae
  • Habitat: Encontrado do México até o Paraguai e norte da Argentina. No Brasil distribui-se em todo o território em regiões florestadas
  • Alimentação: Grandes insetos (marimbondos, cigarras, vespas e abelhas, por exemplo), além de aves, ovos e anfíbios.
  • Reprodução: O ninho é constituído com ramos em árvores. Botam 1 ou 2 ovos brancos manchados de marrom, com tamanho médio, a incubação é feita por ambos os pais, assim como a alimentação dos filhotes.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante.
gaviao-gato Foto – Afonso de Bragança

Características:

Mede cerca de 54 centímetros de comprimento. O macho pesa entre 415 e 553 gramas e a fêmea entre 416 e 643 gramas. Sua envergadura está entre 90 e 110 centímetros de comprimento ( HBW – Bierregaard & Kirwan, 2016). Possui asas e cauda longas, no adulto, a cabeça cinza destaca-se da barriga e peito brancos, bem como das costas negras. A cauda, negra, possui três largas faixas brancas, sendo a mais interna menor e parcialmente escondida pelas penas do ventre. As asas, por baixo, são negras, com as penas listradas de cinza claro. As pernas são poderosas e cinza-azuladas, mesma cor da pele nua das narinas.

gaviao-gato Foto – Afonso de Bragança

Comentários:

Costuma seguir bandos de saguis, já que este pequeno primata perturba e muito as cigarras, uma das fontes de alimentos do cabeça-cinza. Quando não, ele se empoleira num lugar fixo e arremete sobre passarinhos e pequenas presas. Seu nome popular deriva de sua principal característica física. Destaca-se também a barriga e o peito brancos, as costas negras e as pernas, fortíssimas, em tom cinza-azulado. Embora possua um tamanho considerável para ziguezaguear na mata sem trombar nas árvores, o gavião-gato o faz com destreza e movimenta-se com facilidade pela vegetação.

gaviao-gato Foto – Afonso de Bragança

Referências & Bibliografia:

Gavião-caracoleiro – (Chondrohierax uncinatus)

O gavião-caracoleiro Chondrohierax uncinatus é uma ave da família Accipitridae. Conhecido também como gavião-bico-de-gancho, bico-de-anzol, anzoleiro e quequé.

Gavião-caracoleiro Foto – Hilton Filho
  • Nome popular: Gavião-caracoleiro
  • Nome inglês: Hook-billed Kite
  • Nome científico: Chondrohierax uncinatus
  • Família: Accipitridae
  • Subfamília: Gypaetinae
  • Habitat: Ocorre nas Américas do Norte, Central e do Sul. Encontrado também em todo o Brasil.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de gastrópodes arbóreos (Orthalicus, Helicina e Drymaeus), terrestres (Strophocheilus) e aquáticos (Pomacea), nos quais os engolem com casca (caracóis). Ocasionalmente caça pequenas lagartas, caranguejos, anfíbios (sapos, salamandras) e lagartixas . Caça procurando suas presas a partir( de poleiros abaixo da linha das copas, ou realizando buscas movendo-se de galho em galho.
  • Reprodução: Constrói o ninho no alto de árvores, em alturas que variam entre 5 e 7 m, é estrutura geralmente bem fina. A postura é de 1 a 2 ovos.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Gavião-caracoleiro Foto – Julio Filipino

Características:

Mede em média entre 39 e 51 cm de comprimento e pesa entre 215 e 277 gramas para indivíduos machos e entre 235 e 360 gramas para as fêmeas. É polimórfica, com plumagem altamente variável, encontrando-se também plumagens morfo escuro. O mais notável é a variação no tamanho do bico, que é bimodal, com indivíduos apresentando bico grande ou pequeno, em ambos os sexos e em qualquer idade, decorrente da dieta predominante de certa população. Este dimorfismo do bico é uma provável solução evolutiva para sua principal fonte de alimento, os caracóis.

Possui duas subespécies:

  • Chondrohierax uncinatus uncinatus (Temminck, 1822) ocorre do sul dos Estados Unidos da América e oeste do México até o Brasil e o norte da Argentina;
  • Chondrohierax uncinatus mirus (Friedmann, 1934) ocorre na Ilha de Granada no Caribe.
Gavião-caracoleiro Foto – Renato Costa Pinto

Comentários:

Frequenta florestas e beiras de brejos. Gosta de ficar pousado a média altura na mata para capturar suas presas. Pode ser observado circulando em voo. Habita o interior de florestas densas, principalmente em baixas altitudes, onde é encontrado geralmente sozinho ou aos pares. Localmente migratório, esse gavião congrega-se em bandos de 20 a 30 indivíduos em correntes térmicas, mas é visto usualmente só ou aos pares, empoleirando-se por longos períodos em galhos altos, ocultados por densa vegetação. Em Pirajuí/SP foi relatada uma pequena população da espécie habitando a zona urbana, provavelmente devido à oferta de caramujo-gigante-africano Achatina fulica, o que sugere que a espécie esteja se adaptando a ambientes urbanos

Gavião-caracoleiro Foto – Aisse Gaertner

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • CLEMENTS, J. F.; The Clements Checklist of Birds of the World. Cornell: Cornell University Press, 2005.

Referências

Gavião-tesoura – (Elanoides forficatus)

O gavião-tesoura, Elanoides forficatus, é uma ave da família Accipitridae. Ocorre do Sul dos Estados Unidos até ao Norte da Argentina.

gaviao-tesoura Foto – Afonso de Bragança
  • Nome popular: Gavião-tesoura
  • Nome inglês: Swallow-tailed Kite
  • Nome científico: Elanoides forficatus
  • Família: Accipitridae
  • Subfamilia: Gypaetinae
  • Habitat: Ocorre do Sul dos Estados Unidos até ao Norte da Argentina. Encontrado em todo o Brasil. Existem duas populações de gavião-tesoura, uma que se reproduz no sul do Brasil e a outra, ameaçada de extinção, na América Central e sul dos EUA. Ambas são migrantes e passam o inverno na floresta amazônica.
  • Alimentação: Alimenta-se de aves, pequenos lagartos, serpentes arborícolas e lagartas. Ocasionalmente realiza voos rasantes em rios e lagos com o objetivo de capturar pequenos invertebrados como libélulas, rãs, e outros animais encontrados na superfície da água. Também captura invertebrados em voo.
  • Reprodução: Constrói o ninho no alto de árvores, feito com gravetos, ramos e musgos, normalmente nidifica em colônias (Antas 2005). Coloca de dois a três ovos de coloração branco ou creme, com período de incubação de 24 a 28 dias, realizado por ambos os pais, apesar ser a fêmea a que permanece mais tempo no ninho. Macho e fêmea cuidam da alimentação dos filhotes, que saem do ninho com seis ou sete semanas, continuando nas redondezas por mais algumas semanas, até migrarem (Antas, 2005; Sick, 1997).
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
gaviao-tesoura Foto – Afonso de Bragança

Características:

Tem corpo é delgado, com pés e pernas muito pequenos. As fêmeas são maiores que os machos. Atinge 52 a 66 cm de comprimento. E tem uma envergadura entre 120 a 135 cm. O peso máximo nos machos é de 407 gramas e nas fêmeas de 435 gramas. Sua cauda típica com as retrizes externas mais compridas que as demais e quando aberta apresenta a forma de uma tesoura é a característica que da o nome comum a esta ave.

Possui duas subespécies.

  • Elanoides forficatus forficatus (Linnaeus, 1758) – ocorre dos baixios da costa sudeste dos Estados Unidos da América até o norte do México;
  • Elanoides forficatus yetapa (Vieillot, 1818) – ocorre do sul do México, (exceto na Península de Yucatán) até o Brasil e o nordeste da Argentina.

(Clements checklist, 2014).

gaviao-tesoura Foto – Afonso de Bragança

Comentários:

Habita bordas de florestas e campos. Entre as aves de rapina é uma das mais sociáveis, vivem em pequenos grupos que podem chegar até 30 indivíduos. No ar é muito ágil, voa com grande habilidade entre as árvores, manobrando rapidamente sobre copa das árvores ou passando logo abaixo delas. Ali busca seu alimento.

gaviao-tesoura Foto – Afonso de Bragança

Referências bibliográficas: