Patinho – (Platyrinchus mystaceus)

O patinho Platyrinchus mystaceus é uma ave da família Platyrinchidae Ocorre no Brasil, Costa Rica, Panamá, Venezuela, Guiana, Guiana Francesa, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia, Paraguai e Argentina.

Patinho {field 5}
  • Nome popular: Patinho
  • Nome inglês: White-throated Spadebill
  • Nome científico: Platyrinchus mystaceus
  • Família: Platyrinchidae
  • Habitat: Ocorre em Roraima e do Maranhão e Ceará até o Rio Grande do Sul, estendendo-se em direção oeste até o Mato Grosso e o Mato Grosso do Sul. Encontrado também na Costa Rica, Panamá, Venezuela, Guiana, Guiana Francesa, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia, Paraguai e Argentina.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de insetos, larvas e outros pequenos artrópodes. Permanece durante algum tempo imóvel na vegetação densa, observando os arredores, depois voa rapidamente até a folhagem para capturar o alimento, retornando ao poleiro.
  • Reprodução: Reproduz-se fazendo um ninho em forma de xícara pequena, a cerca de 1 m do chão. Põe 2 ovos branco amarelados.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Patinho {field 20}

Características:

Mede em média 10 cm de comprimento. Tem olhos grandes e uma cauda muito curta. A cabeça grande é distintamente marcada, com um longo supercílio amarelado, coberturas de orelha pretas, anel amarelo e uma faixa preta em cada lado do pescoço. A coroa tem uma crista amarela oculta, que é erguida como um leque. As partes superiores são marrom oliva escuro e as partes inferiores são amareladas, exceto na garganta branca. O bico é preto na parte superior e marrom na parte inferior, e é muito largo e achatado.

Possui nove subespécies reconhecidas:

  • Platyrinchus mystaceus insularis (J. A. Allen, 1889) – ocorre no norte da Venezuela, Trinidade e Tobago, e localmente no oeste da Guiana e Guiana Francesa.
  • Platyrinchus mystaceus imatacae (J. T. Zimmer & Phelps, Sr, 1945) – ocorre na Sierra de Imataca na Venezuela.
  • Platyrinchus mystaceus ptaritepui (J. T. Zimmer & Phelps, Sr, 1946) – ocorre na cordilheira de Sororopán-tepui e nas formações geológicas de Ptari-tepui e Aprada-tepui, na Venezuela.
  • Platyrinchus mystaceus duidae (J. T. Zimmer, 1939) – ocorre no sul e sudeste da Venezuela, e no extremo norte do Brasil.
  • Platyrinchus mystaceus ventralis (Phelps, Sr & Phelps, Jr, 1955) – ocorre no extremo sul da Venezuela e adjacente ao noroeste do Brasil.
  • Platyrinchus mystaceus bifasciatus (J. A. Allen, 1889) – ocorre no centro-oeste do Brasil, do centro de Mato Grosso ao centro de Goiás, e possivelmente no norte da Bolívia.
  • Platyrinchus mystaceus mystaceus (Vieillot, 1818) – ocorre no sudeste do Brasil, no sul de Mato Grosso, centro do Paraná e oeste de Santa Catarina ao sul do Rio Grande do Sul. Distribui-se também no leste do Paraguai e nordeste da Argentina.
  • Platyrinchus mystaceus cancromus (Temminck, 1820) – ocorre no leste do Brasil, do interior do Maranhão ao leste do Ceará e norte da Bahia, do sul ao leste do Paraná e leste Santa Catarina.
  • Platyrinchus mystaceus niveigularis (O. M. O. Pinto, 1954) – ocorre nas florestas costeiras do Nordeste brasileiro, da Paraíba ao sul de Alagoas, e certamente no extremo sul da costa do Rio Grande do Norte.

(HBW, 2018)

Patinho {field 20}

Comentários:

Frequenta o sub-bosque de capoeiras altas e de florestas úmidas em montanhas, às vezes em emaranhados de bambus e cipós na borda da floresta. Vive solitário e aparentemente não participa de bandos mistos. Como é pequeno e vive na vegetação densa, passa facilmente despercebido.

Patinho {field 20}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2014.

Referências

Patinho-de-asa-castanha – (Platyrinchus leucoryphus)

O patinho-de-asa-castanha Platyrinchus leucoryphus é uma ave da família Platyrinchidae. Ocorre no Brasil, no Paraguai, e no nordeste da Argentina.

Patinho-de-asa-castanha {field 12}
  • Nome popular: Patinho-de-asa-castanha
  • Nome inglês: Russet-winged Spadebill
  • Nome científico: Platyrinchus leucoryphus
  • Família: Platyrinchidae
  • Habitat: Espécie endêmica da Mata Atlântica, ocorre desde o Espírito Santo até ao Paraná. Encontrado Também no Paraguai e na Argentina.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de insetos e outros pequenos artrópodes..
  • Reprodução: Reproduz-se…
  • Estado de conservação:

    Vulnerável

Patinho-de-asa-castanha {field 28}

Características:

O patinho-de-asa-castanha é uma ave inconfundível devido ao seu bico ser completamente achatado, de onde nasceu o nome comum de patinho. Medindo quase 13 centímetros, em sua coloração predomina o marrom esverdeado nas partes superiores, onde algumas penas das asas são marrom acastanhadas. A cabeça apresenta uma crista branca, que se arrepia em situações de excitação ou estresse. Tem a garganta branca e peito marrom sujo, que se torna quase branco no abdômen.

Patinho-de-asa-castanha {field 28}

Comentários:

Frequentam matas de araucária e matas subtropicais até 1000 metros. Usualmente em casais, acompanham bandos mistos pelos estratos baixos, tanto na mata primária quanto na secundária. Distribuição Geográfica

Patinho-de-asa-castanha {field 25}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2016.

Referências