Gralha-picaça – (Cyanocorax chrysops)

A gralha-picaça é uma ave da família Corvidae. Também conhecida como acaé, cancã, gralha, gralha-de-crista-negra, gralha-do-mato e uraca. Ocorre na Argentina, Uruguai, Paraguai, Bolívia e no Brasil.
Gralha-picaça {field 5}
  • Nome popular: Gralha-picaça
  • Nome inglês: Plush-crested Jay
  • Nome científico: Cyanocorax chrysops
  • Família: Corvidae
  • Habitat: Ocorre na Argentina, Uruguai, Paraguai e Bolívia, no Brasil em Mato Grosso, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.
  • Alimentação: Alimenta-se de insetos, frutos e às vezes ovos de outras aves. É muito perseguida por granjeiros por roubar os ovos de dentro dos galinheiros.
  • Reprodução: Normalmente vive em bandos de 10 a 20 indivíduos. na época reprodutiva, formam-se casais. O ninho é feito em árvores altas e espinhentas, composto por fortes varas, porém ralos, podendo os ovos cair através delas. Põe de 6 a 7 ovos grandes, azul-celeste ornados de desenhos brancos.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Gralha-picaça {field 5}
Características:

Tem a cor azul marinho predominante, exceto na cabeça, o pescoço anterior e a garganta são negros, branco no peito, barriga e ponta de cauda. As penas negras do píleo formam uma almofada, saliente no occipital como uma bola, destaca-se uma mancha pós ocular e a nuca azul-esbranquiçada reluzente e mais um desenho azul sob o olho e o bigode, íris amarelo-enxofre, barriga e parte terminal da cauda branco-amareladas. Mede em média 34 cm de comprimento.

Possui quatro subespécies:
  • Cyanocorax chrysops chrysops (Vieillot, 1818) – ocorre no Sudeste do Brasil até o Paraguai, Uruguai, Norte da Bolívia e Nordeste da Argentina;
  • Cyanocorax chrysops diesingii (Pelzeln, 1856) – ocorre no Norte do Brasil ao Sul do rio Amazonas;
  • Cyanocorax chrysops tucumanus (Cabanis, 1883) – ocorre no Noroeste da Argentina
  • Cyanocorax chrysops insperatus (Pinto & Camargo, 1961) – ocorre na Amazônia brasileira, no Norte do estado de Mato Grosso e no Sul do estado do Pará a Leste do Rio Tapajós, na Serra do Cachimbo.
Gralha-picaça {field 5}
Comentários:

Habita a mata. Têm preferência por locais altos da floresta, e sempre que possível, retiram os pinhões ainda da pinha. Muitas vezes ocorre que no momento em que a gralha bica a pinha para retirar o pinhão, a mesma se desprende e acaba caindo no solo. As gralhas dificilmente descem até o chão para apanhar os pinhões, porém, quando já estão se alimentando de um pinhão e o mesmo cai no solo, elas descem para buscá-lo. Esse fato é possível, graças a excelente visão que elas possuem, onde miram o alvo e chegam com precisão até ele.

Gralha-picaça {field 5}
Referências bibliográficas:

Gralha-do-pantanal – (Cyanocorax cyanomelas)

A gralha-do-pantanal Cyanocorax cyanomelas uma ave da família Corvidae. Ocorre nos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo

Gralha-do-pantanal Foto -Afonso de Bragança
  • Nome popular: Gralha-do-pantanal
  • Nome inglês: Purplish Jay
  • Nome científico: Cyanocorax cyanomelas
  • Família: Corvidae
  • Habitat: Ocorre nos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo.
  • Alimentação: Onívoras, comem desde pequenos invertebrados até filhotes de outras aves, bem como frutos e também podem destruir e comer colmeias de marimbondo. Sempre em grupos, alguns até com 12 gralhas, patrulham o ambiente em busca de alimento.
  • Reprodução: O ninho é feito com gravetos e parece haver cooperação entre todas para criar os filhotes. Seu ninho é de difícil localização. Ao menor sinal de perigo ou para manter contato emitem o chamado característico, um grasnado grave e curto, várias vezes repetido. Os demais membros do grupo logo repetem e começam a aparecer na vegetação, em galhos expostos, sempre gritando. Social durante todo o ano.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante. 
Gralha-do-pantanal Foto -Afonso de Bragança

Características:

Ao longe ou sob baixa iluminação parece toda negra. No entanto, só a cabeça (parte), garganta e peito são negros. O restante do corpo é de um tom violeta forte, passando por uma área acinzentada escura. Tem o bico forte.

Gralha-do-pantanal Foto -Afonso de Bragança

Comentários:

Frequentam áreas abertas beira de rios, sempre em grupo. Não sendo perseguidas, acostumam-se com a presença humana e podem ser vistas nas áreas mais arborizadas.

Gralha-do-pantanal Foto -Afonso de Bragança

Referências & Bibliografia:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • Wikiaves – disponível em: https://www.wikiaves.com.br/wiki/gralha-do-pantanal Acesso em 08 Setembro de 2010.
  • Wikipédia – disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Gralha-cinza Acesso em 14 de Outubro de 2010.

Gralha-cancã – (Cyanocorax cyanopogon)

A gralha-cancã Cyanocorax cyanopogon é uma ave família Corvidae. Espécie endêmica do Brasil, ocorre no Cerrado, Mata Atlântica e Caatinga.

Gralha-cancã {field 11}
  • Nome popular: Gralha-cancã
  • Nome inglês: White-naped Jay
  • Nome científico: Cyanocorax cyanopogon
  • Família: Corvidae
  • Habitat: ÉSPÉCIE ENDÊMICA DO BRASIL. Ave típica das zonas semiáridas do Nordeste do Brasil, por conta do desmatamento, tem-se expandido para o Sudeste chegando nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro a partir de solturas e escape, já que é uma espécie vítima do tráfico animal.
  • Alimentação: É onívora, come basicamente tudo, desde artrópodes, insetos, frutos, inclusive de várias cactáceas, inclusive rações para animais domésticos, se acessível. Come também pequenos roedores, cobras, peixes e até outras aves menores. Tem o interessante comportamento de “estocar” o alimento que não é ingerido na hora, para isso colhe o alimento, principalmente frutos e sementes, e voa se afastando cerca de 30 metros da fonte alimentar, desce ao solo e aí deposita entre a matéria vegetal ou na terra mesmo o material colhido. Pode também estocar o alimento em ocos de árvores. Repete este procedimento várias vezes. É uma excelente dispersora de sementes.
  • Reprodução: Reproduz-se construindo o ninho em árvores altas, com o formato de uma tigela larga, atapetada com folhas secas. Põe em média 3 ovos, que choca durante 2 semanas e meia. ESPÉCIE SEM DIMORFISMO SEXUAL
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Gralha-cancã {field 11}

Características:

Tem acentuadas cores branco e preto com linhas azuis que se assemelham com sobrancelha e olheira. Possui um canto alto semelhante a “cancão” e ao cantar levanta a cauda e a crista. Além deste canto “padrão”, possui uma gama variada de outras vocalizações que são utilizadas de acordo com a situação: alerta, chamado, etc. Também conseguem imitar outras aves.

Gralha-cancã {field 23}

Comentários:

Frequenta a caatinga, cerrado denso e matas de galeria mais abertas. Vivem em grupos de 3 a 9 indivíduos. São extremamente territorialistas e defendem agressivamente seu território da invasão de outros da mesma espécie. Permanecem no estrato médio e baixo da vegetação e frequentemente vêm ao solo em busca de alimento. Se deslocam entre um ponto e outro sempre em voos curtos e baixos. Como todos as espécies do gênero Cyanocorax, é uma ave inteligente, com estratégias de alimentação diversificadas. É hábil no voo acrobático. O cancão é muito curioso e barulhento. Descobre qualquer coisa estranha na mata e avisa a todos. Este comportamento é especialmente notado quando encontram uma cobra, neste momento dão gritos especiais e logo acodem outros companheiros e também outras aves, rodeiam-na a certa distância, ou mais geralmente mantêm-se em galhos a pouca altura, quase que em cima da cobra. Na caatinga vivem preferencialmente próximo as fontes de água, embora habitem áreas onde não existam fontes de água permanentes.

Gralha-cancã {field 12}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2014.

Referências

Gralha-azul – (Cyanocorax caeruleus)

A gralha-azul Cyanocorax caeruleus é uma ave da família Corvidae. Ocorre no Brasil, Paraguai e Argentina.

Gralha-azul {field 25}
  • Nome popular: Gralha-azul
  • Nome inglês: Azure Jay
  • Nome científico: Cyanocorax caeruleus
  • Família: Corvidae
  • Habitat: Ocorre no Brasil, nos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Encontrado também no Paraguai e Argentina.
  • Alimentação: Alimenta-se de forma onívora, come desde frutos diversos, pinhão, ovos e filhotes de outras aves, pequenos vertebrados e invertebrados, e restos de alimentos humanos, como pão.
  • Reprodução: Reproduz-se construindo um ninho feito de gravetos, de cerca de 50 cm de diâmetro, em forma de taça. Põe em média 4 ovos, com coloração azul esverdeados com numerosas manchas claras. O período reprodutivo inicia-se em outubro e se prolonga até março. Todos os indivíduos colaboram na construção de ninhos nas partes mais altas das árvores, preferencialmente na coroa central da araucária mas também em outras espécies de arvores. No
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Gralha-azul {field 25}

Características:

Mede em média 39 cm de comprimento. Tem coloração geral azul vivo e preta na cabeça, na parte frontal do pescoço e na superior do peito. Machos e fêmeas tem a mesma plumagem e aparência embora as fêmeas em geral sejam menores. As gralhas azuis são aves muito inteligentes só suplantadas pelos psitacídeos. Sua comunicação é bastante complexa consta de pelo menos 14 termos vocais (gritos) bem distintos e significantes. Gregárias, as gralhas azuis formam bandos de 4 a 15 indivíduos hierarquicamente bem organizados, inclusive com divisão de clãs, bandos estes que se mantêm estáveis por até duas gerações.

Gralha-azul {field 25}

Comentários:

Frequenta o interior e nas bordas de florestas e capoeiras arbóreas, principalmente em pinheirais. Porém, não é correta a opinião de que a gralha-azul seja uma ave típica e exclusiva dos pinheirais, pois habita também regiões de Mata Atlântica ou mesmo ilhas florestadas da baía de Paranaguá (litoral paranaense), onde estas árvores não existem. Vive em grupos pequenos, de 6 a 8 indivíduos. Apresenta o hábito de esconder sementes de pinheiro , como meio de guardar comida, esquecendo-se com frequência de algumas delas. Esse ato pode ser considerado com um ato de dispersão. Por isso, acredita-se que a gralha-azul seja importante para a germinação e desenvolvimento do pinheiro-do-paraná.

Gralha-azul {field 23}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2014.

Referências

Gralha-violácea – (Cyanocorax violaceus)

A gralha-violácea Cyanocorax violaceus é uma ave da família Corvidae. Ocorre no Brasil, Venezuela, Colômbia, Equador e Peru.

Gralha-violácea Foto – Hilton Filho
  • Nome popular: Gralha-violácea
  • Nome inglês: Violaceous Jay
  • Nome científico: Cyanocorax violaceus
  • Família: Corvidae
  • Habitat: Ocorre no oeste da Amazônia, nos estados do Amazonas, Rondôna, Roraima e Acre, além da Venezuela, Colômbia, Equador e Peru.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de insetos , invertebrados , larvas , pequenos vertebrados como camundongos , lagartos e anfíbios , além de ovos e filhotes, mas também come bagas, frutos maduros, grãos.
  • Reprodução: Constrói o ninho em árvores a uma altura média de 10 m, em forma de taça com uma plataforma envolvente, formada por ramos entrelaçados e forrada internamente com fibras vegetais põe em média 5 ovos branco-azulados manchados de marrom por ninhada.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante.
Gralha-violácea Foto – Hilton Filho

Características:

Mede em média 37 cm de comprimento. Tem o peito cor cinza azulada com as asas de um tom azul escuro e com a cara preta. Vive em bandos de até 12 indivíduos que podem voar de uma ilha fluvial para outra, deslocando-se em voo em fila indiana como estratégia defensiva contra predadores.

Possui duas subespécies:

  • Cyanocorax violaceus violaceus (Du Bus de Gisignies, 1847) – ocorre do Leste da Colômbia até a Venezuela, Guianas, Norte do Brasil, Peru e no Norte da Bolívia;
  • Cyanocorax violaceus pallidus (Zimmer & Phelps, 1944) – ocorre no litoral do Caribe no Norte da Venezuela na região de Anzoátegui.
Gralha-violácea Foto – Hilton Filho

Comentários:

Frequenta matas de várzea, nas bordas e clareiras, nas margens de rios e lagos e nas matas ripárias em ilhas fluviais dominadas por embaúbas, mas evita matas de terra firme.

Gralha-violácea Foto – Hilton Filho

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • CLEMENTS, J. F.; The Clements Checklist of Birds of the World. Cornell: Cornell University Press, 2005.

Referências

Gralha-do-campo – (Cyanocorax cristatellus)

A gralha-do-campo é uma ave da família Corvidae. Conhecida também como gralha-do-peito-branco, espanta-boiada, cancão-da-chapada, pega e gralha-do-cerrado.

Gralha-do-campo Foto – Afonso de Bragança
  • Nome popular: Gralha-do-campo
  • Nome inglês: Curl-crested Jay
  • Nome científico: Cyanocorax cristatellus
  • Família: Corvidae
  • Habitat: Típica da Região Centro-oeste (Goiás e Mato Grosso), está presente também do Piauí, Maranhão e sul do Pará até Minas Gerais e São Paulo. Encontrada ainda no Paraguai e Bolívia.
  • Alimentação: Onívora, sua ampla dieta inclui frutos, insetos, sementes, bagas, pequenos répteis, ovos de outras espécies de pássaros e de aves domésticas como a galinha. Por essa última preferência, é muito combatida e rechaçada. Eventualmente se alimenta em comedouros com sementes e quirera de milho, a utilização como alimento de larvas de vespas de papel (marimbondos). Para fugir do ataque dos insetos, a gralha fica na parte de cima de uma folha de bananeira ou palmeira e faz um furo para alcançar as larvas, que ficam no ninho, na parte de baixo da folha. Foi registrado também que o animal pode exibir o comportamento de “martelar” troncos para provocar pontos de ruptura em cascas de árvores, permitindo que a ave as remova e se alimente de insetos sob a casca.
  • Reprodução: O ninho é feito com gravetos apoiados em galhos mais grossos. A postura costuma ser de três a quatro ovos azuis claros salpicados de manchas pardas. A incubação varia de 16 a 18 dias. A reprodução é dada de forma cooperativa. Várias fêmeas podem botar seus ovos em um mesmo ninhos e quase todos os indivíduos ajudam na proteção e alimentação dos filhotes. ESPÉCIE SEM DIMORFISMO SEXUAL
  • Estado de conservação: Pouco preocupante. 
Gralha-do-campo Foto – Afonso de Bragança

Características:

Mede em média 35 centímetros de comprimento e pesa 178 gramas. Asas longas e cauda curta. Tem um característico topete frontal alongado. Plumagem azul-escura; parte interior do pescoço e garganta preta; barriga e ponta da cauda brancas. Assim como outras gralhas brasileiras apresenta a parte inferior branca e a

Gralha-do-campo Foto – Afonso de Bragança

Comentários:

A gralha-do-campo, também conhecida como gralha-de-topete, é uma das nossas gralhas mais barulhentas. Como se não bastasse o barulho que uma gralha faz sozinha elas vivem em grupos de 4 a 8 indivíduos. Os bandos costumam ter um território e normalmente percorrem um mesmo trajeto todos os dias, tornando previsíveis seus horários de visita a certos locais em alguns casos. São encontradas em vários locais, mas raramente descem ao solo. Passam a maior parte do tempo em árvores altas, até mesmo de espécies introduzidas como o eucalipto e pinheiros.

Gralha-do-campo Foto – Afonso de Bragança

Referências & Bibliografia:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • Wikiaves – disponível em: https://www.wikiaves.com.br/wiki/gralha-do-campo Acesso em 08 Setembro de 2009.
  • Wikipédia – disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cyanocorax_cristatellus Acesso em 14 de Outubro de 2009.