Maria-cabeçuda -(Ramphotrigon megacephalum)

Maria-cabeçuda

A maria-cabeçuda Ramphotrigon megacephalum é uma ave da família Tyrannidae. Ocorre no Brasil, Argentina, Bolivia, Colombia, Equador, Paraguai, Peru e Venezuela.

Maria-cabeçuda {field 11}
  • Nome popular: Maria-cabeçuda
  • Nome inglês: Large-headed Flatbill
  • Nome científico: Ramphotrigon megacephalum
  • Família: Tyrannidae
  • Sub-família: Tyranninae
  • Habitat: Ocorre em boa parte do Brasil. Encontrado também na Argentina, Bolivia, Colombia, Equador, Paraguai, Peru e Venezuela.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de insetos, caçados com seu bico achatado especializado.
  • Reprodução: Reproduz-se construindo um ninho em cavidades naturais em árvores, chocando em média 2 ovos por ninhada.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Maria-cabeçuda {field 11}

Características:

Mede em média 14 cm de comprimento. Apresenta marca facial e anel ocular amarelados e 2 barras ocre na asa.

Possui quatro subespécies:

  • Ramphotrigon megacephalum megacephalum (Swainson, 1835) – ocorre do Sudeste do Brasil até o Sudeste do Paraguai e no Nordeste da Argentina;
  • Ramphotrigon megacephalum pectorale (Zimmer & Phelps, 1947) – ocorre do Sudeste da Colômbia até o Leste do Equador e Sul da Venezuela; e na região adjacente do Brasil e do Peru;
  • Ramphotrigon megacephalum venezuelense (Phelps & Gilliard, 1941) – ocorre no Noroeste da Venezuela;
  • Ramphotrigon megacephalum bolivianum (Zimmer, 1939) – ocorre da região tropical Leste do Peru, na região de Loreto até o Norte da Bolívia e no Oeste da Amazônia brasileira.
Maria-cabeçuda {field 23}

Comentários:

Frequenta taquarais e bambuzais, prefere interior escuro do sub-bosque denso, onde ocasionalmente segue bandos mistos, solitária ou aos pares.

Maria-cabeçuda {field 25}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2014.

Referências

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *