Iratauá-grande – (Gymnomystax mexicanus)

Iratauá-grande

O iratauá-grande Gymnomystax mexicanus é uma ave da família Icteridae. ocorre no Brasil, Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador e Peru.

Iratauá-grande {field 11}
  • Nome popular: Iratauá-grande
  • Nome inglês: Oriole Blackbird
  • Nome científico: Gymnomystax mexicanus
  • Família: Icteridae
  • Sub-família: Agelaiinae
  • Habitat: Ocorre no Brasil apenas na Amazônia, em Roraima, no Amapá e ao longo do Rio Amazonas e do baixo curso de seus afluentes, como o Tapajós e o Tocantins. Encontrado também nas Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador e Peru.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de insetos, larvas, sementes e frutos. Procura alimentos no chão, podendo revirar esterco à procura de sementes não digeridas e insetos. Também vasculha o capim alto, bem como a copa de árvores atrás de frutos, como as embaúbas.
  • Reprodução: Reproduz-se construindo um ninho em formato de uma cesta, em forquilhas ou penachos de palmeiras. Põe ovos de coloração azul-claro com marcas marrons. ESPÉCIE SEM DIMORFISMO SEXUAL
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Iratauá-grande {field 23}

Características:

O macho mede em média 31 cm de comprimento e a fêmea 27 cm. Macho e fêmea tem cores predominantes amarelo na barriga e negro nas partes superiores, asas e cauda. Anel ocular negro, bico negro e uma estria malar negra. Há um detalhe em amarelo nas pequenas coberteiras das asas. Os jovens tem menos contraste do amarelo e o negro, não possuem o anel ocular negro e possuem o alto da cabeça preto.

Iratauá-grande {field 20}

Comentários:

Frequenta campos úmidos com árvores esparsas, praias lodosas, florestas de galeria, vegetação à beira de rios e em ilhas fluviais. Anda no solo de pastagens, onde remexe estrume de gado, e também em beiras de rio. Pousa em locais abertos de arbustos e árvores baixas. Vive aos pares ou em grupos espalhados e, ocasionalmente, é visto também solitário, sendo de fácil observação.

Iratauá-grande {field 7}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2014.

Referências

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *