{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}
O saí-azul é uma ave da família Thraupidae. Também conhecido como saí-bico-fino, saíra-de-bico-fino, azulego e saí-bicudo.
  • Nome popular: Saí-azul
  • Nome inglês: Blue Dacnis
  • Nome científico: Dacnis cayana
  • Família: Thraupidae
  • Habitat: Ocorre em todo o Brasil. Encontrado também de Honduras ao Panamá e em quase todos os países da América do Sul, com exceção do Chile e Uruguai.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de néctar, insetos e frutas. Costuma frequentar comedouros de frutas. Aprecia os frutos da tapiá ou iricuruna Alchornea glandulosa, e da magnólia-amarela Michelia champaca.
  • Reprodução: Faz o ninho em forma de taça profunda, feito de fibras finas, colocado de 5 a 7 metros do solo, entre as folhas externas de uma árvore. A construção do ninho é tarefa da fêmea, que é protegida pelo macho contra intrusos. Os 2 ou 3 ovos são esbranquiçados ou branco-esverdeados com manchas cinza-claras e são incubados pela fêmea. Durante este período ela é, às vezes, alimentada pelo macho. Os filhotes são alimentados pelo casal e permanecem no ninho cerca de 13 dias. Costuma ter de 2 a 4 ninhadas por temporada. Reproduz na primavera e no verão.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Foto – Afonso de Bragança
Saí-azul
Foto – Afonso de Bragança
Saí-azul

Características:

Mede em torno de 13 centímetros de comprimento e pesa, em média, 16 gramas. Apresenta acentuado dimorfismo sexual: o macho é azul e negro, com as pernas vermelho-claras, enquanto a fêmea é verde, com a cabeça azulada e pernas alaranjadas.

Comentários:

Frequenta bordas de florestas, capoeiras arbóreas, campos com árvores esparsas, florestas secas e de galeria. Vive normalmente aos pares ou em pequenos grupos, procurando insetos ativamente na folhagem ou alimentando-se de frutos em árvores e arbustos. Vive à beira da mata em várias altitudes, copas de mata alta. Costuma aparecer em pequenos bandos mistos principalmente outros Traupídeos.
Foto – Afonso de Bragança
Saí-azul
Foto – Afonso de Bragança
Saí-azul
Referências Bibliográficas: FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec - Ecologia Técnica Ltda. │SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997 │WikiavesWikipédia
Topo