Login

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 
A saíra-de-chapéu-preto é uma ave da família Thraupidae. É conhecido também como azedinho. Ocorre em praticamente todo o Brasil. Pode ser encontrada também nas Guianas, Venezuela, Bolívia, Paraguai e Argentina.
  • Nome popular: Saíra-de-chapéu-preto
  • Nome inglês: Hooded Tanager
  • Nome científico: Nemosia pileata
  • Família: Thraupidae
  • Habitat: Ocorre em praticamente todo o Brasil. Pode ser encontrada também nas Guianas, Venezuela, Bolívia, Paraguai e Argentina.
  • Alimentação: Alimenta-se de frutinhas de árvores e arbustos ou de epífitas que neles vegetam, frutinhas de cipós e pedaços de frutas maiores e seu suco, folhas, botões e néctar. Gosta dos frutos de caroba-branca Sparattosperma leucanthum e do tapiá ou tanheiro Alchornea glandulosa. Sua alimentação também é formada por invertebrados apanhados na folhagem e galhos.
  • Reprodução: Constrói o ninho transparente mas resistente, bem fixado com teias de aranha, construído em posição elevada em árvores do cerrado.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Foto – Afonso de Bragança
Saíra-de-chapéu-preto
Foto – Afonso de Bragança
Saíra-de-chapéu-preto

Características:

Mede cerca de 13 cm e pesa aproximadamente 14 gramas. O macho é mais colorido do que a fêmea, com o amarelo vivo do olho das aves adultas destacando-se contra o negro dominante na cabeça e lados do pescoço. Entre o olho e o bico, uma listra branca, mesma cor das partes inferiores. O dorso é cinza levemente azulado, assim como a cauda. As penas longas das asas são cinza-escuro, ocasionalmente observadas na ave pousada. Já a fêmea possui a mesma distribuição geral de cores, exceto o negro da cabeça. A íris é amarelo mais apagado, assim como o cinza das costas. Partes inferiores com tom levemente amarronzado. O bico é amarelado, enquanto no macho é cinza na base com a ponta escura. A fêmea não tem o desenho negro, tendo o seu lado inferior amarelo e mandíbula branca.
Possui seis subespécies:
  • Nemosia pileata pileata (Boddaert, 1783) - ocorre na Guiana Francesa, na Amazônia brasileira e no extremo norte da Bolívia;
  • Nemosia pileata caerulea (Wied-Neuwied, 1831) - ocorre no leste da Bolívia até o Paraguai, no nordeste, sudeste e parte do sul do Brasil e no norte da Argentina;
  • Nemosia pileata hypoleuca (Todd, 1916) - ocorre na costa caribenha do norte da Colômbia e do norte da Venezuela;
  • Nemosia pileata surinamensis (Zimmer, 1947) - ocorre na Guiana e no Suriname;
  • Nemosia pileata interna (Zimmer, 1947) - ocorre no norte do Brasil, no alto Rio Branco e baixo Rio Negro;
  • Nemosia pileata nana (Berlepsch, 1912) - ocorre na região tropical amazônica do nordeste do Peru e na região adjacente no oeste do Brasil.

Comentários:

Frequenta a copa das árvores, explorando mais a parte interna da folhagem, galhos e troncos. Garras fortes permitem que pouse em galhos e troncos verticais. Macho e fêmea costumam andar juntos, raramente em grupos ou com outras aves. Também pode ser observada em vegetações arbóreas ralas, como caatingas, cerrados, florestas de galeria, capoeiras arbustivas e plantações.
Foto – Afonso de Bragança
Saíra-de-chapéu-preto
Foto – Afonso de Bragança
Saíra-de-chapéu-preto
Referências Bibliográficas: FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec - Ecologia Técnica Ltda. │SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997 │Wikiaves
Mais fotos de saíra-de-chapéu-preto

Topo