Rendadinho-do-xingu – (Willisornis vidua)

O rendadinho-do-xingu Willisornis vidua é uma ave da família Thamnophilidae. Espécie endêmica do Brasil.

Rendadinho-do-xingu {field 32}
  • Nome popular: Rendadinho-do-xingu
  • Nome inglês: Xingu Scale-backed Antbird
  • Nome científico: Willisornis vidua
  • Família: Thamnophilidae
  • Sub-família: Thamnophilinae
  • Habitat: Endêmico do Brasil. Ocorre no extremo leste do Amazonas, no norte do Mato Grosso, no Pará ao sul do rio Amazonas, no oeste do Maranhão e norte do Tocantins.
  • Alimentação: Alimentam-se principalmente de insetos e outros pequenos artrópodes.
  • Reprodução: Reproduz-se construindo um ninho simples direto no chão feito com folhas secas e outros vegetais. Põe em média 2 ovos por ninhada.
  • Estado de conservação:

    Pouco preocupante

Rendadinho-do-xingu {field 32}

Características:

Mede em média 13 cm de comprimento e pesa 17 g. O macho apresenta coloração geral cinza, enquanto a fêmea possui a cabeça e as partes superiores marrom-ferrugíneas, e cinza nas partes inferiores. No macho as asas, costas e cauda são ricamente pintados de branco, enquanto a fêmea não possui pintas exceto na ponta da cauda.

Possui duas subespécies:

  • Willisornis vidua vidua (Hellmayr, 1905) – ocorre no Leste da Amazônia brasileira ao Sul do Rio Amazonas, do Rio Xingú até o Oeste do estado do Maranhão;
  • Willisornis vidua nigrigula (E. Snethlage, 1914) – ocorre na região central e sul da Amazônia brasileira, da margem direita do Rio Canumã até a margem Leste do Rio Teles Pires e até a margem esquerda do Rio Xingu.

(Clements checklist, 2014).

Rendadinho-do-xingu {field 32}

Comentários:

Frequentam matas densas, florestas tropicais amazônicas. Acompanha ocasionalmente formigas de correição.

Rendadinho-do-xingu {field 19}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2016.

Referências