Saíra-de-bando – (Tangara mexicana)

A saíra-de-bando Tangara mexicana é uma ave da família Thraupidae. Ocorre no Brasil, Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia.

Saíra-de-bando {field 20}
  • Nome popular: Saíra-de-bando
  • Nome inglês: Turquoise Tanager
  • Nome científico: Tangara mexicana
  • Família: Thraupidae
  • Sub-família: Thraupinae
  • Habitat: Ocorre no Brasil, em toda a Amazônia. Encontrado também nas Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de frutas, eventualmente também come insetos.
  • Reprodução: Reproduz-se construindo um ninho em formato de xícara pequena e aberta, localizado bastante alto. Cada ninhada geralmente tem entre 2 e 3 ovos verde acinzentados marcados de marrom, tendo de 2 a 3 ninhadas por temporada. Os filhotes nascem após 15-17 dias. Outros adultos podem ajudar os pais a criar os filhotes.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Saíra-de-bando {field 11}

Características:

Mede em média 14 cm de comprimento e pesa 26 gramas. Tem a fronte, face, e peito na cor azul turquesa escuro. Os lores e o entorno do bico são pretos. O occipício, dorso, asas e cauda são pretos. As coberteiras menores são azul turquesa. Flancos com pintas pretas espalhadas. Ventre amarelo. A fêmea é mais pálida e ao imaturo falta a cor viva do uropígio e ventre. Os filhotes apresentam comissura labial rosada e penas de coloração cinza em pouca quantidade na cabeça e parte inferior das costas. A íris é marrom ou marrom escuro; bico preto; tarsos e pés são cinza ardósia escuro.

Possui quatro subespécies reconhecidas atualmente:

  • Tangara mexicana mexicana (Linnaeus, 1766) : Ocorre nas Guianas. Esta subespécie tem uma sobrancelha de cor turquesa, uma barra amarela muito estreita nos lados do peito e o abdômen amarelo-pálido.
  • Tangara mexicana media (Berlepsch & E. J. O. Hartert, 1902) : Ocorre no nordeste da Colômbia, Venezuela até o noroeste do Brasil. Parecida com mexicana, mas as partes inferiores são mais escuras, o amarelo é mais esbranquiçado, azul da face e garganta mais forte, assim como a barra umeral.
  • Tangara mexicana boliviana (Bonaparte, 1851) : Ocorre no leste da Colômbia, norte da Bolívia e na Amazônia brasileira (até o Rio Negro e o Rio Madeira). As coberteiras menores das asas são de um azul celeste. Ademais, não possui a aparência “escamosa” de outras subespécies.
  • Tangara mexicana vieilloti (P. L. Sclater, 1857) : Ocorre em Trinidad. Muito similar a T. m. media, mas com uma coloração mais forte, sendo o azul da face e garganta mais escuro e mais arroxeado. Partes inferiores amarelo brilhante.

(Clements checklist, 2014).

Saíra-de-bando {field 23}

Comentários:

Frequenta bordas de florestas de terra firme e de várzea, capoeiras, clareiras com árvores esparsas, plantações e jardins. Vive em pequenos grupos de 5 a 10 indivíduos, não sendo comum sua associação a bandos mistos.

Saíra-de-bando {field 25}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2014.

Referências