Pipira-preta – (Tachyphonus rufus)

A pipira-preta Tachyphonus rufus é uma ave da família Thraupidae. Ocorre desde a Costa Rica até á Argentina e por todo o Brasil.

Pipira-preta {field 29}
  • Nome popular: Pipira-preta
  • Nome inglês: White-lined Tanager
  • Nome científico: Tachyphonus rufus
  • Família: Thraupidae
  • Sub-família: Tachyphoninae
  • Habitat: Ocorre em toda a região Norte, localmente em áreas pouco florestadas. Também na região Centro Oeste e Nordeste, e boa parte do Sudeste, até São Paulo. Encontrado também Encontrada também na Nicarágua, Costa Rica, Panamá, Colômbia, Venezuela, Guianas, Peru, Bolívia, Paraguai e Argentina, na ilha Margarita, Venezuela e em Trinidad e Tobago.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de frutinhas, folhas, botões de flor e néctar. Eventualmente vai ao solo, em busca de insetos, adora bananas e mamões maduros. Acompanha bandos mistos de outros pássaros em busca de comida.
  • Reprodução: Reproduz-se construindo um ninho grosseiro, em formato de xícara, localizado em arbustos baixos. Põe de 2 a 3 ovos cor-de-ferrugem-clara com pintas marrons chocados por 13 dias. Tem em média 2 ninhadas por estação.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Pipira-preta {field 20}

Características:

Mede em média 17 cm de comprimento e pesa entre 26 e 42. O macho é preto brilhante e a fêmea é marrom. A pipira é também conhecida como encontro-de-prata devido às manchas brancas, em forma de dragonas, que o macho tem sob as asas e que ficam à mostra durante o voo. Os filhotes são marrons.

Pipira-preta {field 11}

Comentários:

Frequenta clareiras, bordas arbustivas de florestas e outros locais com vegetação arbórea, principalmente em áreas úmidas e próximas à água, longe das cidades. Vive quase sempre aos pares, nos estratos baixo e médio da vegetação, raramente juntando-se a bandos mistos. Boa voadora, é capaz de pairar no ar para apanhar um frutinha ou um inseto.

Pipira-preta {field 23}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2014.

Referências