Choca-de-crista-preta – (Sakesphorus canadensis)

A choca-de-crista-preta Sakesphorus canadensis é uma ave da família Thamnophilidae. Ocorre no Brasil, Colômbia Venezuela Guianas e Peru.

Choca-de-crista-preta {field 11}
  • Nome popular: Choca-de-crista-preta
  • Nome inglês: Black-crested Antshrike
  • Nome científico: Sakesphorus canadensis
  • Família: Thamnophilidae
  • Sub-família: Thamnophilinae
  • Habitat: Ocorre no Brasil apenas nos estados do Amazonas e Roraima. Encontrado também na Colômbia, Venezuela e Guianas. Existe uma população isolada no Peru.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de insetos, larvas e outros artrópodes, caçados entre afolhagem.
  • Reprodução: Reproduz-se..
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Choca-de-crista-preta {field 11}

Características:

Mede em média 15 cm de comprimento e pesa entre 22 e 27 gramas. O macho tem cor geral acinzentada e um capuz preto com uma bela crista. Este capuz se prolonga através de uma faixa que acompanha a porção central do peito atingindo até a região superior do ventre da ave. As asas são escuras e apresentam manchas brancas. As coberteiras das asas e as rêmiges são cinza escuro e apresentam uma borda de coloração branca. A cauda é cinza escura com suas terminações brancas. A fêmea tem cor geral acastanhada com a face cinzenta apresentando pontuações escuras. Anel periocular claro. Também apresenta a bela crista encontrada nos machos da espécie mas nelas a coloração é ferrugínea. O peito apresenta pontuações escuras. Ventre e crisso branco pardacento. O dorso é marrom acastanhado. As coberteiras e as rêmiges apresentam coloração cinza escuro com as bordas branco pardacentas. As retrizes são cinza escuro e suas terminações são de coloração branca.

Possui seis subespécies reconhecidas:

  • Sakesphorus canadensis canadensis (Linnaeus, 1766) – ocorre no Suriname e na região costeira da Guiana Francêsa. O macho desta subespécie apresenta o capuz preto; o dorso e as coberteiras das asas são de coloração amarronzada.
  • Sakesphorus canadensis pulchellus (Cabanis & Heine, 1859) – ocorre na costa caribenha do norte da Colômbia; na região do baixo vale do rio Magdalena e no extremo noroeste da Venezuela. O macho desta subespécie apresenta a face cinzenta com pequenas pintas brancas. Apresenta a maior crista entre todas as subespécies;
  • Sakesphorus canadensis intermedius (Cherrie, 1916) – ocorre no leste da Colômbia e na Venezuela ao norte do Rio Orinoco. O macho desta subespécie apresenta o capuz totalmente preto.
  • Sakesphorus canadensis trinitatis (Ridgway, 1891) – ocorre nas regiões noroeste e sul da Venezuela, na Guiana e também na ilha de Trinidad no Caribe;
  • Sakesphorus canadensis fumosus (J. T. Zimmer, 1933) – ocorre no sudoeste da Venezuela e no extremo norte do Brasil (no estado de Roraima e no extremo norte do estado do Pará);
  • Sakesphorus canadensis loretoyacuensis (Bartlett, 1882) – ocorre localmente no noroeste da região amazônica do Brasil, ao longo dos rios Negro, Branco e Solimões; no extremo sudoeste da Colômbia e norte do Peru. O macho desta subespécie apresenta o capuz preto; o prolongamento do capuz na região peitoral e as coberteiras das asas apresentam a coloração acastanhada.

(Clements checklist, 2014).

Choca-de-crista-preta {field 11}

Comentários:

Frequenta matas ralas e arbustivas, florestas tropicais, vive solitária ou aos pares, entre a folhagem caçado alimento.

Choca-de-crista-preta {field 20}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2014.
  • Piacentini et al. (2015). Annotated checklist of the birds of Brazil by the Brazilian Ornithological Records Committee / Lista comentada das aves do Brasil pelo Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos. Revista Brasileira de Ornitologia, 23(2): 91–298.

Referências