Andorinha-do-campo – (Progne tapera)

A andorinha-do-campo Progne tapera é uma ave da família Hirundinidae. Ocorre em todo o Brasil, e também da sul da América Central até á Argentina.

Andorinha-do-campo {field 20}
  • Nome popular: Andorinha-do-campo
  • Nome inglês: Brown-chested Martin
  • Nome científico: Progne tapera
  • Família: Hirundinidae
  • Habitat: Ocorre no sul da América Central e na América do Sul, incluindo todo o Brasil.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de insetos, cupins, formigas, moscas e até abelhas. Caçam alimento em voo.
  • Reprodução: Reproduz-se construindo um ninho em forma de uma tigela macia, utilizando esterco para confecção. Para procriar usa vários tipos de ocos, também é dependente do ninho do joão-de-barro – Furnarius rufus. A espécie se reproduz na Amazônia e nidifica no Sul nos meses mais quentes.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Andorinha-do-campo {field 20}

Características:

Mede em média 16,5 cm de comprimento e pesa entre 30 e 40 gramas. É uma andorinha grande, com cor predominante de fuligem, com a garganta e abdômen brancos, e a parte inferior da cauda também é branca. Somente os jovens possuem penas azuis.

Possui duas subespécies reconhecidas:

  • Progne tapera tapera (Linnaeus, 1766) – ocorre da porção tropical do leste da Colômbia, Equador, Peru até a Bolívia, da Venezuela até as Guianas e na Amazônia brasileira. Ocorre também na ilha de Trinidad no Caribe;
  • Progne tapera fusca (Vieillot, 1817) – ocorre do sudeste do Brasil até o Paraguai, leste da Bolívia, Uruguai e norte da Argentina.

Aves Brasil CBRO – 2015 (Piacentini et al. 2015); (Clements checklist, 2014).

Andorinha-do-campo {field 11}

Comentários:

Frequenta campos, paisagens abertas de cultura e nas proximidades das margens de rios e lagos. Tenta voar contra o vento. O casal costuma dormir junto no ninho, o que não é comum em aves. Pousa sobre fios elétricos. Torna-se inquieta ao amanhecer e ao anoitecer. Aumenta seu piar e grinfar até ocupar o lugar de dormir. Vive em casais ou bandos numerosos, sendo vista frequentemente junta à outras espécies como a andorinha-grande.

Andorinha-do-campo {field 11}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2014.

Referências