Andorinhão-de-rabo-curto – (Chaetura brachyura)

ALT

O andorinhão-de-rabo-curto Chaetura brachyura é uma ave da família Apodidae. Ocorre no Brasil, Panamá, Colômbia, Guianas, Equador, Peru, Trinidad e Tobago, Granada e São Vicente.

ALT {field 11}
  • Nome popular: Andorinhão-de-rabo-curto
  • Nome inglês: Short-tailed Swift
  • Nome científico: Chaetura brachyura
  • Família: Apodidae
  • Habitat: Ocorre no Brasil em toda a região amazônica. Encontrado também no Panamá, Colômbia, Guianas, Equador, Peru, Trinidad e Tobago, Granada e São Vicente.
  • Alimentação: Alimentam-se basicamente de insetos, capturados em voo.
  • Reprodução: Reproduzem-se construindo o ninho em canos de esgoto, chaminés, poços e cavidades naturais. Põe em média 2 ou 3 ovos brancos.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Andorinhão-de-rabo-curto {field 32}

Características:

Mede em média 10 centímetros de comprimento. Tem asas largas, cauda excessivamente curta e uma distinta área bege clara no uropígio, com supracaudais do mesmo tom. Difere do andorinhão-do-temporalChaetura meridionalis e do andorinhão-de-sobre-brancoChaetura spinicaudus, principalmente pelas formas das asas e da cauda.

Andorinhão-de-rabo-curto {field 23}

Comentários:

Frequentam florestas úmidas, geralmente com quedas de água, ou ainda em plantações em áreas semiabertas ou paludícolas, campos e pastagens em ilhas fluviais e nas cidades.

Andorinhão-de-rabo-curto {field 25}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2016.

Referências

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *