Bico-chato-de-rabo-vermelho – (Ramphotrigon ruficauda)

O bico-chato-de-rabo-vermelho Ramphotrigon ruficaudaé uma ave passeriforme da família Tyrannidae. Ocorre no Brasil, nas Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia.

Bico-chato-de-rabo-vermelho {field 25}
  • Nome popular: Bico-chato-de-rabo-vermelho
  • Nome inglês: Rufous-tailed Flatbill
  • Nome científico: Ramphotrigon ruficauda
  • Família: Tyrannidae
  • Sub-família: Tyranninae
  • Habitat: Ocorre no Brasil, em toda a Amazônia. Encontrado também nos demais países amazônicos – Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de insetos. Permanece pousado imóvel por algum tempo, voando rapidamente para apanhar alimento na folhagem ou na galharia.
  • Reprodução: Reproduz-se construindo um ninho em cavidades naturais de árvores ou troncos em decomposição, feito com musgos verdes e finas raízes, forrado com fibras vegetais. Põe em média 1 ou 2 ovos por ninhada.
  • Estado de conservação:

    Pouco preocupante

Bico-chato-de-rabo-vermelho {field 32}

Características:

Mede em média 16 de comprimento e pesa entre 17 e 22,5 gramas. Tem a cabeça e o dorso na coloração verde olivácea, exceto nas coberteiras da asas que são acastanhadas. As rêmiges são cinzentas com largas bordas castanhas. As penas supra caudais e as retrizes são fortemente castanhas. A garganta é acinzentada, o peito é verde-amarelado; o ventre é verde oliváceo pálido. Coberteiras infracaudais castanhas. Olhos marrons; bico chato com a maxila preta, mandíbula preta com a base rosada. Tarsos e pés cinzentos. ESPÉCIE SEM DIMORFISMO SEXUAL

Bico-chato-de-rabo-vermelho {field 32}

Comentários:

Frequentam o sub-bosque de florestas úmidas de terra firme e de várzea, principalmente em campinas altas. Vive solitário ou aos pares, afastado de bandos mistos.

Bico-chato-de-rabo-vermelho {field 20}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2016.

Referências