Pato-corredor – (Neochen jubata)

O pato-corredor Neochen jubata é uma ave anseriforme da família Anatidae. Ocorre no Brasil, Argentina, Peru, Bolívia, Colombia, Venezuela, Equador, Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

Pato-corredor {field 11}
  • Nome popular: Pato-corredor
  • Nome inglês: Orinoco Goose
  • Nome científico: Neochen jubata
  • Família: Anatidae
  • Sub-família: Anatinae
  • Habitat: Ocorre na Amazônia e Brasil Central. Encontrado também a leste dos Andes, desde o norte da América do Sul até o norte da Argentina, Peru, Bolívia, oeste do Paraguai, Colombia, Venezuela, Equador, Guiana, Suriname, Guiana Francesa. É raro ou ausente ao longo da costa nas regiões Nordeste, Sudeste e Sul do Brasil.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de vegetais, comendo também, insetos e outros artrópodes. Procura comida forrageando principalmente na terra, pastando.
  • Reprodução: Reproduz-se construindo o ninho em cavidades naturais de árvores, ou eventualmente no chão, próximo a rios. A fêmea constrói uma forração com as penas retiradas do seu próprio peito. A postura é de 6 a 10 ovos e a incubação dura cerca de um mês. A corte para o acasalamento consiste em várias danças e contorções durante a qual ambos os parceiros se movem com pequenos passos, intercalando momentos em que ficam com seus corpos enrijecidos e pescoços esticados. O macho bate as asas vigorosamente em frente da fêmea da sua escolha. Intensos combates podem ocorrer entre machos rivais.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Pato-corredor {field 23}

Características:

Mede em geral, entre 61 e 76 cm de comprimento. Tem flancos de cor castanha, cabeça e peito cinza amarelados, manto e asas escuras com um espéculo branco. As pernas são vermelhas e o bico é preto e rosa. Tanto o macho quanto a fêmea apresentam as mesmas cores de plumagem. O macho é maior do que a fêmea. Os indivíduos jovens possuem a plumagem muito similar a dos adultos, sendo difícil a identificação dos jovens pela sua plumagem. Esta é uma espécie em grande parte terrestre, mas se empoleira facilmente em árvores. Raramente voa, preferindo movimentar-se no solo. Ao contrário dos demais anatídeos (patos, gansos e cisnes), o pato-corredor também é raramente visto nadando. Prefere ficar nas margens, onde se desloca com agilidade e velocidade impressionantes para um pato. Seu voo parece com o voo de um ganso.

Pato-corredor {field 23}

Comentários:

Frequenta praias abertas, pedregosas, de rios das regiões quentes, beiras florestadas de rios tropicais e também em espaços abertos de savanas alagadas, geralmente abaixo de 500 m de altitude. Está desaparecendo dos rios navegáveis. No bioma Amazônia a espécie aparenta estar restrita às margens ou proximidades dos grandes rios navegáveis. Espécie residente, que realiza deslocamentos em curta distância. Entretanto, recentemente, cientistas registraram um importante deslocamento migratório desta espécie na amazônia.

Pato-corredor {field 29}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2014.

Referências