Fim-fim – (Euphonia chlorotica)

Fim-fim

O fim-fim Euphonia chlorotica é uma ave da família Fringillidae. Ocorre no Brasil, Venezuela, Colômbia, Guianas, Peru, Bolívia, Uruguai, Argentina e Paraguai.

Fim-fim {field 25}
  • Nome popular: Fim-fim
  • Nome inglês: Purple-throated Euphonia
  • Nome científico: Euphonia chlorotica
  • Família: Fringillidae
  • Sub-família: Euphoniinae
  • Habitat: Ocorre em todas as regiões do Brasil. Encongtrado também na Venezuela, Colômbia, Guianas, Peru, Bolívia, Uruguai, Argentina e Paraguai.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de frutos. Geralmente pousa ao lado de um cacho de frutos e os ingere um após o outro. Espécie dispersora de sementes.
  • Reprodução: Reproduz-se construindo um ninho feito com fibras vegetais e folhas. Põe em média entre 2 e 5 ovos, tendo de 2 a 3 ninhadas por temporada. Os filhotes nascem após 15 dias.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Fim-fim {field 11}

Características:

Mede em média 9 cm de comprimento e pesa cerca de 8 gramas, o macho. A cores predominantes do macho, amarelo e azul escuro, com a característica marcante o canto assobiado, usado para contato entre o grupo. A fêmea é verde olivácea, de fronte amarelada e ventre esbranquiçado. É interessante notar que a fêmea possui um canto elaborado também.

Tem cinco subespécies reconhecidas:

  • Euphonia chlorotica cynophora (Oberholser, 1918) – Sudoeste da Venezuela, sudeste da Colômbia e, provavelmente, Roraima. Dinstingue-se por possuir a coroa amarela um pouco mais extensa que a forma nominal e por ter a cabeça com mais violeta.
  • Euphonia chlorotica chlorotica (Linnaeus, 1766) – Guianas, Amapá, sul do rio Amazonas, norte do Mato Grosso, Goiás, Tocantins, norte de Minas Gerais, Região Nordeste e Espírito Santo. Distingue-se por ter a coroa amarela se estendendo até um pouco atrás dos olhos.
  • Euphonia chlorotica amazonica (Parkes, 1969) – Ambas as margens do rio Amazonas, Pará (Santarém), extremo nordeste do Peru. Bico e asas menores que a forma nominal.
  • Euphonia chlorotica taczanowskii (P. L. Sclater, 1886) – Norte e sudeste do Peru e Bolívia. Difere das outras subespécies por possuir as partes superiores mais arroxeadas, barriga e coroa de um amarelo bem mais pálido. Coberteiras caudais e uropígio mais azulados que as costas.
  • Euphonia chlorotica serrirostris (d’Orbigny & Lafresnaye, 1837) – Sudeste da Bolívia, sul do Mato Grosso, sul de Goiás, sudeste e sul do Brasil até o Uruguai e norte e centro da Argentina e Paraguai. Distingue-se da forma nominal por ter a coroa amarela um pouco menor que chlorotica, estendendo-se apenas até os olhos (não os ultrapassando).
Fim-fim {field 23}

Comentários:

Frequenta a mata baixa e rala, o cerrado, a caatinga, cocais e matas serranas. Visita as áreas de vegetação mais densa na procura de insetos e frutos, sempre na parte alta da árvore ou arbustos maiores. Costuma movimentar-se no meio da folhagem das copas, não se aproximando do chão na parte interna da ramagem.

Fim-fim {field 25}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2014.

Referências

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *