Uru-do-campo – (Colinus cristatus)

O uru-do-campo Colinus cristatus é uma ave da família Odontophoridae. Ocorre no Brasil, Guianas, Venezuela, Colômbia e Equador.

Uru-do-campo {field 28}
  • Nome popular: Uru-do-campo
  • Nome inglês: Crested Bobwhite
  • Nome científico: Colinus cristatus
  • Família: Odontophoridae
  • Habitat: Ocorre no Brasil em Roraima, no Amapá e norte do Amazonas. Presente também nas Guianas, Venezuela, Colômbia e Equador.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de insetos, formigas, e outros artrópodes. Em grupo ficam bicando pelo solo á procura de alimento.
  • Reprodução: Reproduz-se diretamente no solo. Põe em média de 8 a 16 ovos de cor creme, pintalgados de marrom.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Uru-do-campo {field 11}

Características:

Mede em média entre 18 e 24 cm e pesa entre 132 e 153 gramas. Tem uma crista pronunciada, uma bela coloração marrom manchada de cinza e branco. A íris é marrom escura, o bico curto e forte é preto e os tarsos e pés são amarelo acinzentados. As fêmeas apresentam as cores menos resplandecentes do que a dos machos da espécie, com cabeça, garganta e peito apresentando uma marcação mais acentuada salpicadas ou barradas de preto. Os juvenis se assemelham a fêmeas, mas suas listras ou manchas são menos distintas.

Possui treze subespécies:

  • Colinus cristatus cristatus (Linnaeus, 1758) – ocorre no Nordeste da Colômbia e no Noroeste da Venezuela, na Ilha de Aruba e na Ilha de Curaçao;
  • Colinus cristatus sonnini (Temminck, 1815) – ocorre da região costeira do Norte da Venezuela até as Guianas e no extremo Norte do Brasil;
  • Colinus cristatus mariae (Wetmore, 1962) – ocorre na Savana do Sudoeste da Costa Rica e Leste do Panamá, na região de Chiriquí;
  • Colinus cristatus panamensis (Dickey & van Rossem, 1930) – ocorre nas planícies da costa do Pacífico do Panamá;
  • Colinus cristatus decoratus (Todd, 1917) – ocorre na costa caribenha da Colômbia;
  • Colinus cristatus littoralis (Todd, 1917) – ocorre na região Norte das Montanhas Santa Marta no Nordeste da Colômbia;
  • Colinus cristatus badius (Conover, 1938) – ocorre da região do Vale de Cauca até a costa do Oceano Pacífico a Oeste da Cordilheira dos Andes da Colômbia;
  • Colinus cristatus bogotensis (Dugand, 1943) – ocorre a Leste da Cordilheira dos Andes da Colômbia, nas regiões de Boyacá e Cundinamarca;
  • Colinus cristatus parvicristatus (Gould, 1843) – ocorre no sopé do lado Leste da Cordilheira dos Andes da Colômbia e na região adjacente da Venezuela;
  • Colinus cristatus horvathi (Madarasz, 1904) – ocorre na Cordilheira dos Andes do Noroeste da Venezuela, na região de Mérida;
  • Colinus cristatus barnesi (Gilliard, 1940) – ocorre na região Oeste e Central da Venezuela, nas regiões de Portuguêsa e Barinas;
  • Colinus cristatus mocquerysi (Hartert, 1894) – ocorre no Nordeste da Venezuela, nas regiões de Sucre, Monagas e Anzoátegui;
  • Colinus cristatus leucotis (Gould, 1844) – ocorre no Norte da Colômbia, nas regiões do Vale de Magdalena e no Vale de Sinú.
Uru-do-campo {field 11}

Comentários:

Pode ser visto nos campos do Rio Branco, em Roraima, das savanas e campinas amazônicas, em solos arenosos ao norte do Amazonas e também das capoeiras e zonas rurais. É localmente comum em sua área de ocorrência no Brasil. Tem o hábito de dormir no solo sobre gramíneas e anda em grupos de 10 a 15 indivíduos. Assustado, o bando dispersa-se no solo e não voando

Uru-do-campo {field 11}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2014.

Referências