Borboletinha-do-mato – (Phylloscartes ventralis)

A borboletinha-do-mato Phylloscartes ventralis é uma ave da família Rhynchocyclidae. Ocorre no Brasil, Argentina, Bolívia e Peru

Borboletinha-do-mato {field 20}
  • Nome popular: Borboletinha-do-mato
  • Nome inglês: Mottle-cheeked Tyrannulet
  • Nome científico: Phylloscartes ventralis
  • Família: Rhynchocyclidae
  • Sub-família: Pipromorphinae
  • Habitat: Ocorre no Brasil nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo. Encontrado também na Argentina, Bolívia e Peru.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de insetos, larvas e outros pequenos artrópodes, caçados em meio á folhagem..
  • Reprodução: Reproduz-se construindo ninhos globulares fechados com entrada em forma de círculo, parecido com um ninho de bem-te-vi – Pitangus sulphuratus.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Borboletinha-do-mato {field 11}

Características:

Mede em média 12 cm de comprimento. Diferencia-se das demais espécies do gênero Phylloscartes pela plumagem ocre olivácea e asas com distintas bandas e estrias claras.

Possui três subespécies reconhecidas:

  • Phylloscartes ventralis ventralis (Temminck, 1824) – ocorre no sudeste do Brasil, do estado de Minas Gerais até o Uruguai, leste do Paraguai, e nordeste da Argentina;
  • Phylloscartes ventralis tucumanus (J. T. Zimmer, 1940) – ocorre na cordilheira dos Andes do noroeste da Argentina, da província de Jujuy até Tucumán and Catamarca;
  • Phylloscartes ventralis angustirostris (d’Orbigny & Lafresnaye, 1837) ocorre nas encostas da face leste da cordilheira dos Andes do Peru, da região de San Martin até o norte da Bolívia.

(Clements checklist, 2014).

Borboletinha-do-mato {field 23}

Comentários:

Frequenta florestas úmidas e densas, em áreas montanhosas. Fica no subdossel ou pelo estrato médio da floresta. Tem hábitos migratórios, durante o inverno é mais comum na região Sudeste no verão concentra-se mais no Sul.

Borboletinha-do-mato {field 19}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2014.

Referências