Sanã-de-cara-ruiva – (Laterallus xenopterus)

A sanã-de-cara-ruiva Laterallus xenopterus é uma ave da família Rallidae. Ocorre no Brasil, Paraguai e Bolívia.

Sanã-de-cara-ruiva {field 28}
  • Nome popular: Sanã-de-cara-ruiva
  • Nome inglês: Rufous-faced Crake
  • Nome científico: Laterallus xenopterus
  • Família: Rallidae
  • Habitat: Ocorre no Brasil central e sudeste, nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Tocantins. Encontrado também no Paraguai e Bolívia.
  • Alimentação: Alimentam-se basicamente de pequenos artrópodes, principalmente aquáticos. Mas também comem alguns frutos e sementes.
  • Reprodução: Reproduz-se construindo um ninho rústico feito de palha de gramíneas, em meio á vegetação densa, e próximo a cursos de água ou alagados. Põe em média 2 ou 3 ovos por ninhada.
  • Estado de conservação: Vulnerável
Sanã-de-cara-ruiva {field 29}

Características:

Mede em média 18 cm de comprimento. Distingui-se de outras espécies do gênero Laterallus por apresentar as asas pintalgadas de branco e por ter pernas e bicos escuros.

Sanã-de-cara-ruiva {field 28}

Comentários:

Frequentam campos cerrados e campos sujos em áreas úmidas adjacentes. Percorre o capinzal denso, utilizando as trilhas frequentadas por roedores campestres. Tem uma certa dependência de um micro-habitat formado por capim natural denso e uma fina lâmina d`água. Ameaçado de extinção

Sanã-de-cara-ruiva {field 32}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2016.

Referências