Jaó – (Crypturellus undulatus)

O jaó Crypturellus undulatus é uma ave da família Tinamidae. Ocorre no Brasil, Venezuela, Guiana, Colômbia e Peru.

Jaó {field 11}
  • Nome popular: Jaó
  • Nome inglês:Undulated Tinamou
  • Nome científico: Crypturellus undulatus
  • Família: Tinamidae
  • Habitat: Ocorre norte, oeste da região Nordeste, Centro-oeste, Minas Gerais, São Paulo e Paraná. Encontrado também na Venezuela, Guiana, Colômbia e Peru.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de pequenos frutos caídos no chão, moluscos e insetos, encontrados sob as folhas da mata. Ao contrário dos galináceos, não usam os pés para remexer as folhas e solo para encontrar suas presas, executando isso exclusivamente com o bico.
  • Reprodução: Reproduz-se construindo um ninho rustico direto no solo, feito com folhas secas e galhos. Põe em média 3 ou 4 ovos por ninhada. Como a Ema, cabe ao macho todo o cuidado na construção do ninho, e na incubação dos ovos que dura 17 dias, e também na criação criação dos filhotes..
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Jaó {field 19}

Características:

Mede cerca de 31 cm de comprimento. Tem a plumagem geral cinza azulada, que é finamente estriada. As partes do peito e barriga são mais claras.

Possui seis subespécies:

  • Crypturellus undulatus undulatus (Temminck, 1815) – ocorre do Sudeste do Peru até o Norte da Argentina;
  • Crypturellus undulatus manapiare (Phelps, Sr & Phelps, Jr, 1952) – ocorre no Sul da Venezuela na região do Amazonas, no alto Rio Ventuari;
  • Crypturellus undulatus simplex (Salvadori, 1895) – ocorre do Sudoeste da Guiana até a região adjacente do Brasil;
  • Crypturellus undulatus adspersus (Temminck, 1815) – ocorre no Brasil ao Sul do Rio Amazonas da região do Rio Madeira até o Rio Tapajós;
  • Crypturellus undulatus yapura (Spix, 1825) – ocorre do Sudeste da Colômbia até o Leste do Equador, Leste do Peru e Noroeste do Brasil;
  • Crypturellus undulatus vermiculatus (Temminck, 1825) – ocorre no Brasil, do Sul do estado do Maranhão até o noroeste do estado do Paraná.
Jaó {field 25}

Comentários:

Frequenta a mata de várzea e galeria, capoeira, matas secas e ralas e cerrado. Vivem, também, em campos e florestas de toda a América do Sul. Embora possam voar, não possuem a quilha óssea do osso do peito que possibilita o voo contínuo. Todos os tinamídeos usam as asas como último recurso de fuga, fazendo um voo curto, entremeado de planeio nas espécies campestres.

Jaó {field 23}

Consulta bibliográfica sobre a espécie:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • ITIS – Integrated Taxonomic Information System (2015); Smithsonian Institution; Washington, DC.
  • CLEMENTS, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L.. The Clements checklist of Birds of the World: Version 6.9; Cornell: Cornell University Press, 2014.

Referências