A Ema é uma ave da família Rheidae. Comum, de forma localizada, em campos naturais, cerrados e áreas agropecuárias.
Ema Foto: Afonso de Bragança
  • Nome popular: Ema
  • Nome inglês: Greater Rhea
  • Nome científico: Rhea americana
  • Família: Rheidae
  • Habitat: Ocorre nas planícies da América do Sul, desde o Norte do Brasil até próximo da Patagônia
  • Alimentação: Espécie onívora alimenta-se basicamente de tudo: sementes, folhas, frutos, insetos, roedores, moluscos terrestres e outros pequenos animais. Além disso, a Ema come muitas pedrinhas, que servem para facilitar a trituração dos alimentos.
  • Reprodução: A ema só vocaliza na época do acasalamento, quando o macho produz um som profundo e potente, ouvido de longe, quase como o mugido de um grande mamífero. Em outubro, no começo da época de acasalamento, o macho reúne um harém de 5 a 6 fêmeas, escolhe um território e faz o ninho. No período do acasalamento, os machos abrem as asas e fazem uma espécie de dança, emitindo sons parecidos com roncos. Quando o ninho está cheio de ovos, cerca de uma dúzia, ele afasta as fêmeas e começa a chocá-los. Os ovos são brancos e pesam 600 gramas. Os que não vingam são colocados para fora do ninho e, ao quebrarem, atraem muitas moscas, cujas larvas, posteriormente, irão alimentar os filhotes. Os filhotes saem seis semanas depois e são cuidados pelo pai/pajeados, defendendo-as dos inimigos naturais, como cachorros do mato, lagartos, gaviões etc. Quando se encontram dois bandos pajeados, os dois machos travam uma briga entre si, ganhando o vencedor a chefia de todos, ficam adultos por volta dos dois anos de idade.
  • Estado de conservação: QUASE AMEAÇADA
Ema Foto: Afonso de Bragança

Características:

É a maior espécie de ave existente no Brasil. Os adultos medem entre 1,30 e 1,40 metros. Tem o pescoço e as canelas compridos, não tem cauda e sua plumagem é pardo-acinzentada. Os machos se diferenciam das fêmeas por possuírem a região anterior do peito e o pescoço negros.

Tem cinco subespécies reconhecidas:
  • Rhea americana americana (Linnaeus, 1758) - ocorre nos campos do leste do Brasil, do estado do Maranhão até o estado do Rio Grande do Norte e ao sul, até o estado de São Paulo e norte do estado do Paraná.
  • Rhea americana intermedia (Rothschild & Chubb, 1914) - ocorre no sul do Brasil, do sul do estado do Paraná até o estado do Rio Grande do Sul, e também no Uruguai.
  • Rhea americana araneipes (Brodkorb, 1938) - ocorre do Chaco do Paraguai até a Bolívia, e, no Brasil, do estado de Rondônia até o estado de Mato Grosso do Sul.
  • Rhea americana albescens (Lynch & Holmberg, 1878) - ocorre nas planícies da Argentina, ao sul da província de Rio Negro.
  • Rhea americana nobilis (Brodkorb, 1939) - ocorre no leste do Paraguai, a leste do Rio Paraguai.

(IOC World Bird List 2017; Aves Brasil CBRO 2015; Clements checklist, 2016).

Ema Foto: Afonso de Bragança
Comentários:

A Ema é uma ave corredora que vive nas planícies da América do Sul, do Brasil até o sul da Argentina, podemos encontrá-los nas regiões campestres, cerrados e áreas de uso agropecuário em especial pastos e plantios extensos de soja, mas apenas naquelas onde não é alvo de perseguição. Desaparece em locais em que a população humana é mais densa. Embora possua grandes asas, ela não voa. Usa as asas para equilibrar-se e mudar de direção na corrida. Se fizer muito calor, a Ema dorme durante o dia e sai à noite para alimentar-se de insetos, roedores, répteis, capim e sementes. Bebe pouca água. Quando algo muito próximo a assusta, abaixa o pescoço e afasta-se de repente num zigue-zague ligeiro, erguendo as asas e inflando a plumagem.

Ema Foto: Afonso de Bragança
Referências bibliográficas:
  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec - Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • Wikiaves - disponível em http://www.wikiaves.com.br/wiki/ema Acesso em 08 Setembro de 2016.