Pica-pau-de-cabeça-amarela – (Celeus flavescens)

O pica-pau-de-cabeça-amarela Celeus flavescens é uma ave da família Picidae. É também conhecido como João-velho, Pica-pau-amarelo, Pica-pau-loiro e Pica-pau-velho e pica-pau-cabeça-de-fogo. Mede cerca de 27 cm de comprimento, tem a cabeça e faces amarelas, o corpo preto barrado de branco e partes inferiores pretas, o macho tem uma faixa malar vermelha .Ocorre no Brasil do Amazonas até ao Rio grande do Sul, encontrado também na Argentina e Paraguai.
Pica-pau-de-cabeça-amarela {field 5}
  • Nome popular: Pica-pau-de-cabeça-amarela
  • Nome inglês:Blond-crested Woodpecker
  • Nome científico: Celeus flavescens
  • Família:Picidae
  • Habitat: Ocorre da margem setentrional do baixo Amazonas ao Rio Grande do Sul, Paraguai e Argentina.
  • Alimentação: Sua alimentação consiste basicamente de insetos, suas larvas e ovos, formigas e cupins nas árvores ou no solo e de uma grande variedade de frutas e bagas, eventualmente também come néctar de flores.
  • Reprodução: Constrói seu ninho em árvores secas e formigueiros arborícolas onde põe 2 a 4 ovos brancos e brilhantes. O macho e a fêmea chocam os ovos e participam da criação dos filhotes.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Pica-pau-de-cabeça-amarela {field 5}
Características:

Mede cerca de 27 cm de comprimento. Tem a cabeça e face amarela, com proeminente topete da mesma cor, o macho tem faixa malar vermelha. Partes superiores pretas, barradas de branco e partes inferiores uniformemente pretas.>/p>

Possui 3 subespécies:
  • Celeus flavescens flavescens.
  • Celeus flavescens intercedens.
  • Celeus flavescens ochraceus.
Pica-pau-de-cabeça-amarela {field 5}
Comentários:

Frequentam beira de mata, mata de galeria e pomares, embora sejam arborícolas, gostando de bagas e frutas, descem ao solo onde comem formigas e cupins. AMEAÇAS: Alteração do hábitat natural. O reflorestamento de áreas desmatadas com plantações de pinheiros e eucaliptos não favorece a instalação de pica-paus, que precisam de árvores grandes com ocos adequados para a construção de seus ninhos e também como abrigo para dormir, o uso indiscriminado de inseticidas prejudica muito os pica-paus já que eles consomem uma grande quantidade de insetos diariamente.

Pica-pau-de-cabeça-amarela {field 5}
Referências & Bibliografia:

Pica-pau-rei – (Campephilus robustus)

O Pica-pau-rei Campephilus robustus é uma ave da família Picidae. Conhecido também como, pica-pau-de-cabeça-vermelha, pica-pau-galo, pica-pau-grande, é considerado o maior pica-pau do Brasil.
Pica-pau-rei {field 5}
  • Nome popular: Pica-pau-rei
  • Nome inglês: Robust Woodpecker
  • Nome científico: Campephilus robustus
  • Família: Picidae
  • Habitat: Pode ser encontrado de Goiás, Minas Gerais e Bahia até o Rio Grande do Sul.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente de insetos, forrageando em árvores infestadas pelos mais variados tipos de insetos e larvas. Martelam o tronco com força, perfurando a casca, e capturam as presas com a língua pegajosa de ponta afiada. A língua móvel é também adequada para lamber o sumo de frutas moles. Assim, embora úteis ao homem no controle de insetos e larvas nocivas à madeira, os pica-paus podem provocar alguns estragos em pomares.
  • Reprodução: Utiliza troncos de diferentes estratos vegetacionais de ambientes florestais, cujas cavidades servem como nidificação, dormitório e abrigo. Seu período reprodutivo compreende os meses de outubro e novembro (Bustamante 1996). Casal elabora com grande dedicação a cavidade em que nidifica, em muitos casos fazendo uma a cada estação reprodutiva.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Pica-pau-rei {field 5}
Características:

O Pica-pau-rei é considerado o maior pica-pau do Brasil, medindo 36cm, com peso médio de 200g. De rara beleza, possui a cabeça e o pescoço vermelhos, dorso creme, asas e cauda negras. O peito e o ventre são brancos, inteiramente barrados de finas faixas horizontais negras. O macho tem uma pequena mancha auricular preta e branca, enquanto a fêmea possui uma grande estria malar branca, vilada de negro. Embora não existam dados bioecológicos específicos sobre C. robustut, é provável que seus padrões reprodutivos sejam semelhantes aos dos pica-paus em geral.

Pica-pau-rei {field 5}
Comentários:

Para marcação de território ou para comunicação entre machos e fêmeas, usa valorização e, até certo ponto, também o “tamborilar”. Outro tipo de batimento repetitivo constitui o “cinzelar”, usado para procura de alimentos ou para construção de cavidades para nidificação. Assim como as demais espécies de pica-pau. C. robustus possui um canto territorial, diversos tipos de chamados e uma música instrumental, o “tamborilar”. Ela é executada através de repetidos golpes do bico sobre a superfície de troncos secos ou ocos, substrato escolhido de maneira a proporcionar boa ampliação da sonoridade e alcance do ruído. C. robustus faz um “tamborilar” bissilábico, que pode soar como uma voz e ser individualmente diferente. Para marcação de território ou para comunicação entre machos e fêmeas, usa valorização e, até certo ponto, também o “tamborilar”.

Pica-pau-rei {field 5}
Referências & Bibliografia:
  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • Wikiaves – disponível em: https://www.wikiaves.com.br/wiki/pica-pau-rei Acesso em 08 Setembro de 2011.
  • Wikipédia disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pica-pau-rei Acesso em 13 de Outubro de 2011.

Pica-pau-do-campo – (Colaptes campestris)

O pica-pau-do-campo Colaptes campestris é uma ave da família Picidae. Ocorre desde o nordeste do Brasil ao Uruguai, podendo ser avistado também no Paraguai, na Bolívia, na Argentina .

Pica-pau-do-campo Foto – Afonso de Bragança
  • Nome popular: Pica-pau-do-campo
  • Nome inglês: Campo Flicker
  • Nome científico: Colaptes campestris
  • Família: Picidae
  • Subfamília: Picinae
  • Habitat: Ocorre desde o nordeste do Brasil ao Uruguai, podendo ser avistado também no Paraguai, na Bolívia, na Argentina e no baixo Amazonas, inclusive no Suriname. Invade a Amazônia vindo do sul, estendendo seu domínio no Brasil oriental, em função dos desmatamentos.
  • Alimentação: Alimenta-se de insetos, principalmente formigas e cupins. A secreção de sua glândula mandibular é como uma cola que faz com que a língua funcione como uma vara de fisgo para capturar os insetos.
  • Reprodução: Os ninhos são bastante elaborados, e em muitos casos, construídos a cada período reprodutivo. Preferem cavar a face do barranco que se inclina para o solo, o que facilita a proteção quanto à chuva e a defesa de entrada. Geralmente fazem mais de uma cavidade, sendo que a entrada corresponde ao tamanho do corpo desta espécie, não permitindo que outras aves e/ou predadores tenham acesso (SICK, 1997). Põe de 4 a 5 ovos brancos, límpidos e brilhantes. Macho e fêmea fazem a incubação. Os filhotes nascem nus e cegos e são alimentados com bolas de insetos conglomerados e larvas de cupim, regurgitadas pelos pais.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante.
Pica-pau-do-campo Foto – Afonso de Bragança

Características:

Possuindo 32 centímetros, essa espécie é facilmente identificável por conta da sua coloração; tem os lados da cabeça e do pescoço amarelos, assim como o peito, o alto da cabeça e a nuca são negros, da mesma forma que o bico e os tarsos, manto e barriga barrados e o baixo dorso é visivelmente branco ao voo. Existem duas subespécies que se distinguem pela cor da garganta. C. campestris campestroides de cor branca e C. campestris campestris de cor negra, cuja ocorrência é do estado de São Paulo ao norte de Santa Catarina, onde ocorrem ambas as subespécies. Da região central de SC ao Rio Grande do Sul ocorre somente C. campestris campestroides (de garganta branca). Vivem aos pares ou em pequenos bandos, sendo que o macho apresenta em ambos os lados da cabeça duas faixas avermelhadas.

Possui duas subespécies reconhecidas que se distinguem pela cor da garganta.

  • Colaptes campestris campestris (Vieillot, 1818) – ocorre do Sul do Suriname até o Leste do Brasil, na Bolívia, na região central do Paraguai e em Missiones na Argentina; Esta subespécie possui a garganta na cor negra.
  • Colaptes campestris campestroides (Malherbe, 1849) – ocorre do Sul do Paraguai até o Sudeste do Brasil, no Uruguai e no Centro da Argentina. Esta subespécie possui a garganta na cor branca.

Aves Brasil CBRO – 2015 (Piacentini et al. 2015); (Clements checklist, 2014).

Pica-pau-do-campo Foto – Afonso de Bragança

Comentários:

Habita campos e cerrados, vive em casais e, às vezes em pequenos grupos. Terrícola, costuma capturar insetos no solo, mas ao se sentir ameaçado procura árvores ou grandes pedras para se proteger. Vivem aos pares ou em pequenos bandos (DEVELEY & ENDRIGO, 2004).

Pica-pau-do-campo Foto – Afonso de Bragança

Referências & Bibliografia:

  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec – Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • Wikiaves – disponível em: https://www.wikiaves.com.br/wiki/pica-pau-do-campo Acesso em 08 Setembro de 2010.