Login

O sabiá-do-branco Turdus leucomelas, e uma ave da família Turdidae. É também conhecido como sabiá-barranqueira, capoeirão, sabiá-de-cabeça-cinza, sabiá-fogueteiro, sabiá-pardo ou ainda sabiá-barranco, é o sabiá mais comum do interior do Brasil, especialmente em regiões de cerrado.

Sabiá branco
Foto – Afonso de Bragança - Sabiá branco
Foto – Afonso de Bragança - Sabiá branco
  • Nome popular: Sabiá-branco
  • Nome inglês: Pale-breasted Thrush
  • Nome científico: Turdus leucomelas
  • Família: Turdidae
  • Habitat: Ocorre na Região Amazônica e também Espírito Santo, Bahia e Minas Gerais, no Rio de Janeiro é mais comum nas serras.
  • Alimentação: Sua alimentação consiste de minhocas e artrópodes. Assim como outros sabiás, revira as folhas caídas em busca de pequenos invertebrados e também se alimenta de pequenos frutos. Aprecia os frutos do Tapiá - Alchornea glandulosa. Costuma frequentar comedouros com frutas. Gosta de frutas, como a banana e mamão.
  • Reprodução: Constrói um ninho apoiado em galhos ou forquilhas, às vezes em alpendres e varandas de casas, usando uma mistura de barro, raízes e folhas na parte externa. Forma uma pequena torre e na parte superior fica a tigela funda de material vegetal mais macio. A fêmea choca de 2 a 4 ovos verde-azulados com salpicos pardos, que medem 28 por 20 milímetros e são incubados durante cerca de 12 dias, com os filhotes saindo do ninho em 17 dias. Sua reprodução começa em agosto e estende-a até dezembro.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Sabiá branco
Foto – Afonso de Bragança - Sabiá branco
Foto – Afonso de Bragança - Sabiá branco

Características:

Apresenta o alto da cabeça arredondado, acinzentada nos lados e olivácea na parte alta, sem a mácula negra à frente dos olhos. Bico cinza escuro uniforme. O tom acinzentado domina as costas, tornando-se amarronzado nas asas. Peito acinzentado, com a garganta branca e listras cinza escuro bem definidas. Quando voa, às vezes mostra a área alaranjada da parte interna das asas. A parte inferior da cauda é clara.
Possui tres subespécies:
  • Turdus leucomelas leucomelas (Vieillot, 1818) - ocorre no Nordeste, Sudeste, Centro-oeste e Sul do Brasil até o Paraguai, no norte da Bolívia e no nordeste da Argentina; no Peru é encontrado na região de San Martín;
  • Turdus leucomelas albiventer;(Spix, 1824) - ocorre do norte da Colômbia até a Venezuela, nas Guianas e no norte do Brasil;
  • Turdus leucomelas cautor (Wetmore, 1946) - ocorre no nordeste da Colômbia, na península de Guajira.
Sabiá branco
Foto – Afonso de Bragança - Sabiá branco
Foto – Afonso de Bragança - Sabiá branco

Comentários:

Frequenta matas ciliares, matas de galeria, matas secas, cambarazais e cerradões. Utiliza os capões de cerrado e cruza áreas abertas em voos diretos a meia altura. Acostuma-se com ambientes criados pela ação humana, como jardins, pomares e áreas urbanas bem arborizadas. Canta somente na primavera, época em que acasala.
Sabiá branco
Foto – Afonso de Bragança - Sabiá branco
Foto – Afonso de Bragança - Sabiá branco
Referências Bibliográficas:
  • FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec - Ecologia Técnica Ltda.
  • SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
  • Sigrist, Tomas Sigrist; Guia de Campo Avifauna Brasileira 1ª edição 2009 Avis Brasilis Editora.
  • Wikiaves - disponível em http://www.wikiaves.com/wiki/sabia-barranco  Acesso em 08 Setembro de 2016.
  • Feomeg - disponívem em http://www.feomg.com.br Acesso em 08 Setembro de 2016.
  • Wikipédia - disponível em https://pt.wikipedia.org/wiki/Turdus_leucomelas A cesso em 08 Setembro de 2016.
Topo