Most viewed -
Most viewed
sabia-do-campo-1.jpg
Sabiá-do-campo233 views
maria-preta-de-garganta-vermelha~1.jpg
Maria-preta-de-garganta-vermelha233 views
guara-1.jpg
Guará - Eudocimus ruber232 viewsNome em Inglês

Scarlet Ibis

Os guarás forrageam em pequenos grupos, ou até mesmo indivíduos isolados, durante a maré baixa; os imaturos e sub-adultos costumam formar grupos separados para forragear.
Reunem-se ao pôr-do-sol e voam em filas para os locais onde passam a noite.
O guará está presente em Trinidad e Tobago (onde é a ave nacional), na Colômbia, na Venezuela, nas Guianas e no litoral norte do Brasil (havendo grupos isolados já relatados em mangues de São Paulo, do Paraná e da Bahia).
A reprodução é feita em colônias. Os ninhos são feitos no alto das árvores à beira dos mangues e lamaçais litorâneos. A fêmea põe 2 ou 3 ovos.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
Ft560R2AW24-07a.jpg
Maçarico-de-asa-branca232 views
Ft560R2AW24-16a.jpg
Maçarico-galego232 views
tie-de-topete~0.jpg
Tiê-de-topete232 views
tesourinha-0.jpg
Tesourinha - Tyrannus savana232 viewsTambém conhecida como tesoura, tesoureira e tesourinha-do-campo. A tesourinha É uma ave passeriforme da famí­lia Tyrannidae. Migrante inconfundível, onde passa em grupos de até centenas de indiví­duos, em concentrações tí­picas nos meses de setembro e outubro. Dormem em uma mesma arvore ou arvores próximas quando estão migrando, seja em áreas naturais, seja em Áreas urbanas.
garca-moura-1.jpg
Garça-moura - Ardea cocoi231 viewsNome em Inglês

Cocoi Heron

Habita beiras de lagos de água doce, rios, estuários, manguezais e alagados.
Fica pousada nas margens dos rios e riachos, em meio à vegetação, pescando peixes, rãs, pererecas, caranguejos, moluscos e pequenos répteis.
Maior representante da família no Brasil, está presente em todo o País, podendo ser encontrado também do Panamá ao Chile e Argentina, e nas Ilhas Malvinas.
Longo período de nidificação (janeiro a outubro), desde o meio da estação de cheia até a baixa das águas. Ocupa os grandes ninhais coletivos. Seus ninhos, geralmente estão na parte superior e externa das árvores mais altas. Ali nascem 3 ou 4 filhotes por ninhada, a qual é chocada e cuidada pelo casal.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
FtRAW33-01a.jpg
Suiriri231 views
filipe-o.jpg
Filipe231 views
Ft560R2AW14-04a.jpg
Tapaculo-de-colarinho230 views
benedito-de-testa-amarela.jpg
Benedito de testa amarela - Melanerpes flavifrons229 viewsNome Inglês:

Yellow-fronted Woodpecker

Família: Picidae

Habitat: Podemos encontra-los na Mata Atlântica montanha e na de encosta até 1800 m de altitude, também na restinga, plantações, pomares, palmitais, matas secundárias e capoeiras, encontrado aos casais ou pequenos bandos que raramente deixam as copas das árvores da mata, é muito sociável, sendo que alguns indivíduos associam-se para dormir num mesmo abrigo.

Alimentação: Alimenta-se principalmente de frutas, como o mamão, laranja, banana, abacate, embaúba, caruru, come também sementes, e evntualmente insetos e suas larvas.

Reprodução: A fêmea põe de 2 a 4 ovos mas tem a ajuda do macho na tarefa de incubá-los por um período de 12 dias, outros indivíduos do bando também ajudam a alimentar e a proteger os filhotes, que permanecem no ninho por até 5 semanas.

Estado de Conservação: Sem preocupações sua população está estável.

Comentários

O Benedito-de-testa-amarela é também conhecido em algumas regiões como: Bereré, Pica-pau-de-fronte-amarela, tem cerca de 19,5 centímetros, possui a fronte e garganta amarelo-vivo, vértice posterior e nuca vermelhos (macho).entre os vários sons que produz, tem um grito forte, ríspido e rápido, beneditô, que deu origem ao nome popular. Habitam os estratos intermediários da floresta, voando entre a copa das arvores em pequenos bandos, também pode ser encontrado em pomares, canaviais e palmais. Alimenta-se basicamente de larvas de insetos e de besouros, mas também gosta de frutas como o mamão, laranja, embaúba, caruru e de sementes, tem o costume de estocar comida em buraquinhos, naturais ou que ele próprio perfura, no tronco de árvores. A cada período reprodutivo o casal faz um buraco geralmente em árvores mortas, gostam de nidificar em palmeiras e embaúbas, a entrada do ninho corresponde ao tamanho do corpo do pica-pau para evitar a entrada de predadores. A fêmea põe de 2 a 4 ovos, tendo a ajuda do macho na tarefa de incubá-los por um período de 12 dias, além do casal, outros indivíduos do bando ajudam a alimentar e a proteger os filhotes, que permanecem por até 5 semanas no ninho. A destruição da mata primária faz com que esta ave tenha cada vez mais dificuldade de encontrar árvores com características adequadas para a construção de seus ninhos e dormitórios.
Foto feita em Julho de 2009 no Parque Nacional do Itatiaia, Rio de Janeiro Brasil.

About this species

The Yellow-fronted Woodpecker is also known in some regions as: "Bereré", "Pica-pau-de-fronte-amarela". It is about 19,5 centimeters long. Both the forehead and throat are bright yellow the crown and the nape are red (male bird). Among the several sounds they make there is a strong, harsh and fast cry – "benedito" – from which its popular name originated. They inhabit intermediate areas of the forest, flying between the crowns of trees in small flocks. They can also be found in orchards, sugar cane plantations and areas with palm trees. It feeds basically on larvae of insects and beetles, but also likes fruit such as papaya, orange, fruit of the "embaúba", "caruru" and of seeds. It uses to storage food in small holes, either natural or made by them in the trunk of trees. In each and every breeding period the pair makes a hole in trees ,generally dead. They like to make nests in palm trees and "embaúbas". The entrance of the nest is equal to the size of the body of the prick-wood, so as to prevent the entrance of predators. The female lays 2 to 4 eggs, having the aid of the male in the task of incubating them for a period of 12 days. Besides the pair, other birds of the flock help to feed and to protect the younglings, which remain for about 5 weeks in the nest. The destruction of the primary forest makes it more difficult for these birds to find trees with the proper characteristics for the building of their nests and places to sleep.
Photo made in July 2009 in the National Park of Itatiaia, Rio de Janeiro Brazil.
gibao-de-couro.jpg
Gibão-de-couro - Hirundinea ferruginea229 viewsFoto - Afonso de Bragança

Leia mais sobre esta espécie
FtRAW117-10a.jpg
Tico-tico229 views
FtRAW116-07a.jpg
Canário-do-mato229 views
FtRAW107-04a.jpg
Cigarra-do-campo229 views
FtRAW107-05a.jpg
Gralha-do-campo229 views
FtRAW141-08a.jpg
Beija-flor-tesoura-verde229 views
FtRAW141-11a.jpg
Beija-flor-tesoura229 views
FtRAW141-13a.jpg
Bico-reto-azul (macho)229 views
noivinha~0.jpg
Noivinha-branca - Xolmis velatus229 viewsMAIS INFORMAÇÕES
filipe~0.jpg
Filipe228 views
pica-pau-do-campo.jpg
Pica-pau-do-campo227 views
jacupiranga.jpg
Jacupiranga - Penelope pileata226 viewsNome em Inglês

White-crested Guan

Endêmica ocorre na região compreendida entre os baixos rios Madeira e Xingu (Gorotire e Altamira) até o leste do Pará, Maranhão e Tocantins.
Habita a copa e o estrato médio de florestas primárias densas e de florestas de galeria.
É principalmente arbórea, mas às vezes também forrageia no solo.

Listada pelo BirdLife Internacional (2004) e pela IUCN como Quase Ameaçado.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
FtRAW107-09a.jpg
Canário-do-mato226 views
tucano-bico-preto.jpg
Tucano bico preto - Ramphastos vitellinus225 viewsNome em Inglês

Channel-billed Toucan

Família: Ramphastidae

Hábitos

Comum na copa de florestas úmidas, tanto em seu interior quanto nas bordas, e em capoeiras altas. Vive em bandos de tamanhos variáveis, porém nunca muito grandes. Como os demais tucanos, vários indivíduos dormem juntos.

Presente desde a Amazônia até Santa Catarina, e em direção oeste até Goiás e Mato Grosso. No Nordeste é restrito aos estados de Pernambuco e Alagoas. Encontrado também nas Guianas, Venezuela e Bolívia.

Reprodução

Faz ninho em cavidades de árvores, a cerca de 10 m do chão. Põe de 2 a 4 ovos e o período de incubação é de 18 dias. A fêmea incuba os ovos sozinha, sendo alimentada pelo macho durante o período.

Alimentação

Além de frutos, alimenta-se também de insetos (inclusive cupins, no cupinzeiro e em revoada), aranhas e ovos e filhotes de outras aves.

O Tucano-de-bico-preto tem três subespécies:

Ramphastos vitellinus ariel
Esta sub-espécie tem como característica morfológica a cor amarelo no bico e vermelho no contorno dos olhos.
Ramphastos vitellinus culminatus
Esta sub-espécie tem como característica morfológica a cor azul no bico e no contorno dos olhos.
Ramphastos vitellinus pintoi
Esta sub-espécie habita o Brasil central(Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás). Apresenta o papo branco e a base da mandíbula amarela.


REFERÊNCIAS: - Brasil 500 Pássaros / WikiAves

ft95-01a.jpg
Saíra-de-papo-preto225 views
FtRAW141-04a.jpg
Periquito-rei225 views
FtRAW141-15a.jpg
Beija-flor-degarganta-verde225 views
FtRAW117-09a.jpg
Saíra-de-papo-preto224 views
FtRAW141-09a.jpg
Beija-flor-tesoura-verde224 views
FtRAW141-14a.jpg
Beija-flor-preto224 views
saira-sete-cores-1.jpg
Saira-sete-cores - Tangara seledon223 viewsNome Inglês: Green-headed Tanager

Nome científico: Tangara seledon

Família: Thraupidae

Habitat: Podemos encontrá-los com bastante frquência, do estado da Bahia até ao Rio Grande do Sul, principalmente próximo ao litoral.

Alimentação: Frugívoro, porém em época de escassez de frutos come também insetos, gosta dos frutos de palmeiras, goiaba, mamão, ameixa e caju.

Reprodução: Faz um ninho tipo tigela, atinge a maturidade sexual por volta de um ano de idade, geralmente põe de 2 a 4 ovos, com 3 ninhadas por estação, o período de incubação gira em torno de 16 dias.

Estado de Conservação: A espécie encontra-se estável, porém com o habitat em constante destruição.

Comentários sobre a espécie

Saíra-sete-cores, mede cerca de 13 cm de comprimento e possui a plumagem muito colorida, cabeça e peito azuis-piscina, faixa preta na parte frontal da garganta, nuca amarelo-alaranjado barriga e cauda esverdeados, cauda com faixas negras, dorso negro com asas intercalando as cores verde, azul e preta. Muito comum no sudeste brasileiro, ocorrendo da Bahia e Minas Gerais ao Rio Grande do Sul, habita todos os estratos da floresta atlântica e nas matas baixas do litoral, onde é muito frequente. Frutívoro, aprecia os frutos de palmeiras, goiaba, mamão e caju, alimenta-se eventualmente também de insetos. Atinge a maturidade sexual aos 12 meses, faz um ninho tipo tigela rasa construído nos galhos de árvores, onde põe geralmente de 2 a 4 ovos, tendo de 2 a 3 ninhadas por estação, os filhotes nascem após 15 dias de incubação. A destruição do habitat e caça para o tráfico de animais silvestres, fazem com que esta espécie já se encontre em processo de extinção em algumas regiões.
Foto feita em Julho de 2009 no Parque Nacional do Itatiaia Rio de Janeiro Brasil.

About this species

Green-headed Tanager measures an average of about 13 cm and has a very colorful plumage. The head and chest aqua, a black band in the front part of the throat, the nape tangerine yellow, the belly and tail greenish, the tail with black bands, the back black , and the wings green, blue and black. Very common in the southeast of Brazil. It can be seen in Bahia, and from Minas Gerais, to Rio Grande do Sul. It inhabits all the stratum of the Atlantic forest, as well as the low bushes of the coast, where it is very frequent. Fruit-eater, it appreciates the fruit of palms, guava, papaya and cashew. It eventually feeds on insects. It reaches sexual maturity at the age of 12 months. It makes a nest in the shape of a flat bowl in the branches of trees, where it generally lays 2 to 4 eggs, having 2 or 3 hatches per season. The younglings are born after a period of 15 days of incubation. The destruction of the habitat and hunting for traffic of wild animals makes this species already in the process of extinction in some regions.
Photo made in July 2009 in the National Park of Itatiaia, Rio de Janeiro Brazil.
ft95-03a.jpg
Maria-ferrugem223 views
FtRAW141-06a.jpg
Periquito-de-encontro-amarelo223 views
FtRAW141-12a.jpg
Bico-reto-azul (macho)223 views
Ft560R2AW24-23a.jpg
Maçarico-branco223 views
bigodinho-1.jpg
Bigodinho - Sporophila lineola223 viewsFoto - Afonso de Bragança

MAIS INFORMAÇÕES
Ft560R2AW24-27a.jpg
Maçarico-rasteirinho222 views
FtRAW141-02a.jpg
Bico-reto-azul (fêmea)221 views
Ft560R2AW24-13a.jpg
Guará221 views
bem-te-vi-1.jpg
Bem-te-vi221 views
ferro-velho.jpg
Ferro velho - Euphonia pectoralis220 viewsNome Inglês:

Chestnut-bellied Euphonia

Família: Fringillidae

Habitat: Presente nos estados de Alagoas da Bahia e Minas Gerais em direção oeste até o Mato Grosso e em direção sul até o Rio Grande do Sul. Encontrado também no Paraguai e Argentina, em pequenos grupos ou solitário no interior e bordas de florestas, à altura da copa.

Alimentação: Alimenta-se principalmente de frutas e insetos.

Reprodução: Atinge a maturidade por volta de um ano de idade, geralmente tem uma média de 4 ovos por ninhada, tendo de 2 a 3 ninhadas por temporada, os filhotes nascem após 15 dias de incubação.

Estado de Conservação: Sem preocupações a população está estável.

Comentários
Ferro-velho – Euphonia pectoralis tem um dimorfismo sexual bem definido, o macho mede cerca de 11 cm de comprimento tem as partes superiores, garganta e peito azul-metálicos, contrastando com a barriga castanha e a fêmea é esverdeada, apresenta a região central da barriga cinzenta. É também conhecido em algumas regiões como: Alcaide, Gaita, Gaturamo-rei, Serrador e Tieté. Alimenta-se basicamente de frutos e insetos, habita o interior e bordas de florestas, à altura da copa, vive solitário ou em pequenos grupos, associando-se com freqüência a bandos mistos de aves. Atinge a maturidade sexual aos 12 meses, os ninhos são esféricos com entrada lateral feitos em lugares bem abrigados, utilizam fibra de sisal, fibra de coco e raiz de capim. Cada ninhada geralmente tem entre 3 e 5 ovos, tendo de 2 a 3 ninhadas por temporada. Os filhotes nascem após 15 dias de incubação, os filhotes geralmente abandonam o ninho após 35 dias de idade. Podemos encontrá-los em Alagoas, da Bahia e Minas Gerais em direção oeste até o Mato Grosso e em direção sul até o Rio Grande do Sul. É encontrado também no Paraguai e Argentina.
Foto feita em julho de 2009 no Parque Nacional do Itatiaia RJ Brasil.

About this species

Chestnut-bellied Euphonia – Euphonia pectoralis has a distinct dimorphism. The he-bird is about 11 cm long, with the upper limbs, blue-metallic throat and chest contrasting with the brownish belly. The she-bird is greenish, with the central part of the belly grayish. It is also known in some regions as: "Alcaide", "Gaita" "Gaturamo-rei","Serrador" and "Tieté". They feed basically on fruit and insects. They live in the inner parts and edges of forests, on the crown of trees. They live by themselves or in small flocks, and can join flocks of mixed birds. They reach sexual maturity at the age of 12 months. Their nests are spherical with side entrances made in very well sheltered places, by using sisal and coconut fiber, as well as grass root. Each hatch generally has 3 to 5 eggs, and they have 2 or 3 hatches per season. The baby birds are born after 15 days of incubation, and generally abandon the nest after 35 days of age. We can find them in Alagoas, Bahia and Minas Gerais westbound, all the way to Mato Grosso, and southbound, all the way to Rio Grande Do Sul. It can also be found in Paraguay and Argentina. Photo made in July 2009 in the National Park of Itatiaia Rio de Janeiro Brazil.



jacuacu.jpg
Jacuaçu - Penelope obscura220 viewsNome em Inglês

Dusky-legged Guan

Hábitos
Habita as matas secundárias, capoeiras, plantações e matas matas altas.
Emite um chamado com mais freqüência de manhã bem cedo e no final da tarde. Apresenta um sinal de excitação que se caracteriza por abrir e fechar impetuosamente a cauda. Têm o tique de sacudir a cabeça. À tardinha, antes de empoleirar-se, tornam-se muito inquietos, sendo tal nervosismo - aparentemente ansiedade para achar um bom lugar de dormida. Vivem em bandos de 6 a 10 indivíduos.

Vive no sudeste e sul do Brasil, de Minas Gerais e Rio de Janeiro até o Rio Grande do Sul; Uruguai, Paraguai, Argentina e Bolívia. No Rio de Janeiro ocorre nas montanhas, em São Paulo na Serra do Mar e no litoral.

São monogâmicos, os machos dão comida à sua fêmea, virando e abaixando gentilmente a cabeça, como os pais alimentam os filhos, faz um ninho pequeno nos cipoais, às vezes no alto das árvores ou em ramos sobre a água ou ainda em troncos caídos; aproveitam também os ninhos abandonados de outras aves. O período de incubação é de 28 dias. As ninhadas são de dois a três filhotes.

Alimentação
Embora habitem matas, descem em campo aberto para se alimentarem. São predominantemente frugívoros, e nisto altamente especializados, embora alimentem-se também de folhas, brotos, grãos e insetos. Defecam as sementes intactas.
Bebem na beira dos rios. O ato de beber se assemelha ao dos pombos, é um processo de sugar, com o bico mantido dentro d'água, notando-se a ingestão do líquido pelo movimento rítmico da garganta.


REFERÊNCIAS:PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO
FtRAW33-03a.jpg
Choca-da-mata220 views
FtRAW141-03a.jpg
Saíra-de-papo-preto (macho)220 views
FtRAW141-07a.jpg
Bico-reto-azul (fêmea)220 views
anu-preto-1.jpg
Anu-preto220 views
maria-preta-de-garganta-vermelha.jpg
Maria preta de garganta vermelha - Knipolegus nigerrimus219 viewsNome em Inglês

Velvety Black-Tyrant

Família: Tyrannidae

Distribuição Geográfica

Ocorre em Alagoas, na Bahia no Paraná e no Rio Grande do Sul, assim como no Sudeste brasileiro. É considerado endemismo restrito aos campos altimontanos no Sudeste e Sul, em altitudes entre 700 e 2.700 m

Alimentação

Alimenta-se de frutas e insetos.

Reprodução

Pode nidificar em fendas rochosas.

REFERÊNCIAS: - ICMBIO

coruja-buraqueira.jpg
Coruja-buraqueira - Athene cunicularia219 viewsNome em Inglês

Burrowing Owl

Habita em campos, cerrados, pastos, restingas, planícies, praias, aeroportos e terrenos baldios em cidades. Coruja terrícola, tem hábitos diurnos e noturnos, mas é ativa, principalmente durante o crepúsculo, quando faz uso de sua ótima audição. Tem o campo visual limitado, mas essa deficiência é superada pela capacidade de girar a cabeça até 270 graus, o que ajuda na focalização.
Ocupa ambientes alterados pela ação humana, inclusive cidades e pistas de pouso ou aeroportos.
Podemos encontrá-la do Canadá à Terra do Fogo, bem como em quase todo o Brasil com exceção da bacia Amazônica.
Faz seus ninhos em cupinzeiros, buracos de tatu e buracos na areia em regiões litoraneas, costumando cavar túneis de até 2 m e forrar o fundo com capim seco.
Alimenta-se principalmente de insetos, mas pode caçar pequenos roedores, répteis, anfíbios e até pássaros pequenos.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
ft79-05a.jpg
Soldadinho - Antilophia galeata219 viewsNome Português: Soldadinho

Nome Inglês: Helmeted Manakin

Nome científico: Antilophia galeata

Família: Pipridae

Habitat: Ocorre do Maranhão, Piauí e Bahia a Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal, Tocantins, oeste de Minas Gerais, oeste de São Paulo, Paraná, Paraguai e Bolívia.

Alimentação: Alimenta-se basicamente de frutos, mas em época de escassez também come insetos e larvas.

Reprodução: A incubação executada exclusivamente pela mãe, gira em torno de 17 a 19 dias. Os filhotes recebem da mãe bagas e insetos, em parte regurgitados, em parte amassados em bolas; abandonam o ninho com 13 a 15 dias.

Estado de Conservação: Pouco preocupante

Comentários

Ocorre nas matas ciliares do Brasil central e nas matas da baixada pantaneira. Ocorre também em buritizais ou em matas brejosas entre 500 e 1000m de altitude, por vezes, acompanhando bandos mistos. Vivem solitários, no máximo em casais no mesmo território, pouco associados. Canta o ano todo, ocasionalmente durante o período de muda, entre janeiro e maio. É um canto alegre, assobiado e chamativo, composto por cinco partes separadas. A primeira é uma nota separada das demais, curta e mais lenta. As outras vêm em sequência rápida. Na época reprodutiva, responde a imitações ou gravações de seu canto.
Ft560R2AW24-24a.jpg
Batuíra-de-coleira219 views
sanhacu-de-encontro-amarelo-1.jpg
Sanhaçu-de-encontro-amarelo - Thraupis ornata218 viewsNome em Inglês

Golden-chevroned Tanager

Família: Thraupidae

Hábitos

Habita beira de matas e de capoeiras. No inverno, juntam-se a grandes bandos mistos de espécies de outras famílias, comportamento útil na proteção contra inimigos.

Alimentação

Frutas pequenas e geralmente duras de árvores, arbustos e cipós. Se alimenta também de folhas, botões e néctar podendo caçar insetos em vôo como cupins e borboletas.
Ao se alimentar de frutos contribui para a disperção de sementes em áreas verdes urbanas.

Reprodução

Os ninhos geralmente têm forma de cesto aberto bem elaborado construido pelo casal, às vezes entre grandes bromélias. A fêmea coloca, geralmente, 2 a 3 ovos. Os filhotes deixam o ninho com 18 dias.

REFERÊNCIAS:PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

joao-bobo.jpg
João bobo - Nystalus chacuru218 views
BLM24a.jpg
Arara-canindé - Ara ararauna217 viewsNome em Inglês

Blue-and-yellow Macaw

É comum na copa de florestas de galeria, várzeas com palmeiras (buritizais, babaçuais, etc.), interior e bordas de florestas altas, a cerca de 500 m de altitude. Vive em pares ou em grupos de 3 indivíduos, combinação mantida também quando formam-se bandos maiores de até 30 indivíduos.
Migra em certas épocas do ano, em busca de alimento. Desloca-se a grandes distâncias durante o dia, entre os locais de descanso e de alimentação.
Nidificam entre dezembro e maio em buracos no tronco de grandes palmeiras mortas, entre 10 e 25 metros de altura, pondo 2 ovos.
Desde a Amazônia até o Paraná, sendo que antigamente chegava até Santa Catarina. Encontrada também no leste do Panamá e norte da Colombia, Venezuela, Guianas, Perú, Bolivia, até o norte de Argentina e Paraguai e no oeste do Equador.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
Ft560R2AW24-22a.jpg
Maçarico-branco217 views
noiva.jpg
Noivinha-branca217 views
garca-branca-grande-1.jpg
Garça-branca-grande - Ardea alba216 viewsNome Inglês

Great Egret

Habitata em lagos, represas, córregos e brejos da cidade, nos rios, áreas alagadas que contenham peixes, lagos, banhados açudes. Ocorre da América do Norte ao estreito de Magalhães, em todo Brasil, e também no Velho Mundo. No Brasil é encontrada principalmente no Pantanal, costas do sudeste, nordeste, norte e rios de todo o território.
Alimenta-se basicamente de peixes, insetos aquáticos, pequenos roedores e alguns anfíbios.
No período que antecede a reprodução, um grande número de garças-brancas-grandes podem ser encontradas nos lagos, rios, represas, constroem o ninho, grande e feito de gravetos, em ninhais que podem ter milhares de indivíduos de várias espécies de aves aquáticas.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
saira-ferrugem.jpg
Saíra-Ferrugem - Hemithraupis ruficapilla216 views
Nome em Inglês
Rufous-headed Tanager

FtRAW33-04a.jpg
Choca-da-mata216 views
07.jpg
Rabo-branco-acanelado - Phaethornis pretrei216 views
bentevizinho-de-asa-ferruginea-2.jpg
Bentevizinho-de-asa-ferruginea - 215 views
Ft560R2AW24-20a.jpg
Gaivota-de-cabeça-cinza214 views
irre.jpg
Irré214 views
maria.jpg
Maria-cavaleira-pequena- Myiarchus tuberculifer214 views
anu-preto~0.jpg
Anu-preto214 views
choca-da-mata.jpg
Choca-da-mata214 views
vira-bosta.jpg
Vira bosta - Molothrus bonariensis213 viewsNome em Inglês

Shiny Cowbird

Habitam paisagens abertas como campos, pastos, parques e jardins. Entre junho e setembro são muito gregárias, concentrando-se em pousos noturnos comunitários ou buscando alimentos em gramados e áreas campestres com capim baixo. Nessas concentrações, é possível observar os machos ameaçando-se mutuamente com seu característico comportamento de apontar o bico para cima e caminhar em direção ao oponente com as penas brilhando ao sol.
O hábito de fuçar nas fezes do gado a procura de sementes mal digeridas lhe confere seu nome popular vira-bosta. Segue o gado para capturar os insetos por ele deslocados. Aprende a comer em comedouros artificiais de aves, a catar migalhas em locais públicos e a seguir arados para capturar minhocas e outros pequenos animais. É considerado uma praga agrícola, especialmente em arrozais do sul do país. Os machos se exibem para as fêmeas com vôos curtos nos quais cantam sem parar, arrepiam suas penas e batem as asas semi-abertas e também com apresentações que envolvem eriçar as penas, balançando-as rapidamente e vocalizar. Sua vocalização atinge frequências inaudíveis para os seres humanos.

Ocorre em todo o Brasil e America do sul, menos na cordilheira dos Andes.

Reprodução

Entre julho e dezembro marca o início da reprodução, mas é após o acasalamento que inicia-se a fase pela qual a espécie é mais conhecida. Esta espécie não constrói ninho e a fêmea põe 4 ou 5 ovos por postura, sendo 1 no ninho de cada hospedeiro. Porém, em ninhos de sabiá-do-campo(Mimus saturninus) e joão-de-barro(Furnarius rufus), já foram encontrados 35 e 14 ovos de vira-bosta, respectivamente.Para chegar ao ninho hospedeiro, segue os “futuros pais adotivos”. Os ovos são de colorido uniforme e com a casca sem brilho, branco-esverdeados, vermelho-claros ou verdes, ou ainda com manchas e pintas, conforme a região geográfica. O tico-tico (Zonotrichia capensis) é muito parasitado e a adaptação vantajosa para o vira-bosta é a postura de seu ovo antes, ou no mesmo dia, daquela do primeiro ovo do hospedeiro. Como o período de incubação do vira-bosta é de 11 ou 12 dias, um a menos do que o do tico-tico, seu filhote, que é bem maior, nasce antes. Desta forma, o filhote do vira-bosta pode eliminar do ninho seus companheiros tico-ticos ou receber mais alimento, tendo maior probabilidade de sobrevivência. Quando abandona o ninho o filhote vira-bosta é alimentado pelos pais adotivos por 15 dias, solicitando alimento no bico através de um chamado característico, abaixando o corpo e tremulando as asas.

Alimentação

Alimenta-se de insetos e sementes.

REFERÊNCIAS: - Aves Pantanal
arapacu-de-cerrado~2.jpg
Arapaçu-de-cerrado213 views
cambacica.jpg
Cambacica - Coereba flaveola212 viewsNome Inglês

Bananaquit

Família: Coerebidae

Habitat: Pode ser encontrada em quase a América do Sul e Central desde o México até á Argentina com exceção do Chile, vive sozinha ou aos pares é extremamente ativa, geralmente vive em áreas abertas com matas pequenas e arbustos principalmente os que dão flores.

Alimentação: Néctar, frutas, artrópodes e pequenos insetos gosta muito banana, mamão, jabuticaba e laranja.

Reprodução: O ninho para a reprodução é feito de palhas, folhas, capins e teias de aranhas, construido pelo casal onde a fêmea deposita dois ou três ovos sendo encubados exclusivamente pela fêmea.

Estado de Conservação: Sem preocupação, porém com a destruição do habitat natural já podemos encontá-los com mais facilidade em áreas urbanas.

About this species

It is found in almost all Central and South America ,from Mexico to Argentina, with the exception of Chile, It lives alone or in pairs,it is extremely active, generally lives in open areas with small bushes and shrubs, mainly the ones that give flowers. The nest for breeding is made of straw, leaves, grass and spider webs, and it's built by the pair, where the female lays two or three eggs which are incubated exclusively by the female.
pombao.jpg
Pombão - Patagioenas picazuro212 viewsNome em Inglês

Picazuro Pigeon

Família: Columbidae



Hábitos

Vive nos campos com árvores, áreas urbanas, cerrados, caatingas e florestas de galeria. Freqüentemente encontrada no solo. É migratória como tanta outras pombas, estendendo seus domínios acompanhando o desmatamento, aparecendo em grande quantidade. Voa longas distâncias e a grandes altitudes, exibindo seu espelho alar branco; está aproveitando as áreas urbanas, é comum ser encontrada comendo milho em galinheiros.
Ocorre do Nordeste ao Rio Grande do Sul, Goiás, Mato Grosso, São Paulo (nas partes meridionais do país) e também na Bolívia, Argentina e Paraguai.

Alimentação

Alimenta-se de sementes e pequenos frutos geralmente coletados no solo. São granívoros e frugívoros, gosta de feijão.

Reprodução

Nidifica em todos os meses do ano no sudeste do Brasil. Os casais fazem ninhos em territórios demarcados pelo macho em vôos altos e com batimento especial das asas. Constrói o ninho em árvores e a cerca de 3m do solo ou na parte baixa de uma árvore de cerrado na borda de cerradão, o ninho é achatado com gravetos frouxamente entrelaçados. O material do ninho é quebrado dos ramos secos no topo de árvores ou pego no chão. O único ovo, branco, é incubado por 16 a 19 dias pelo casal que também se ocupa da criação do filhote.


REFERÊNCIAS: - WikiAves

topetinho.jpg
Topetinho vermelho - Lophornis magnificus212 viewsNome em Inglês

Frilled Coquette

Família: Trochilidae

Hábitos

Habita capoeiras e áreas abertas floridas, tais como jardins.
Espécie endêmica podemos escontrá-lo de Alagoas e Bahia ao Rio Grande do Sul, em direção oeste até Goiás e Mato Grosso.
BLM38a.jpg
Iratauá-grande - Gymnomystax mexicanus212 viewsNome em Inglês

Oriole Blackbird


Vive aos pares ou em grupos espalhados e, ocasionalmente, é visto também solitário, sendo de fácil observação.
É comum em campos úmidos com árvores esparsas, praias lodosas, florestas de galeria, vegetação à beira de rios e em ilhas fluviais. Anda no solo de pastagens, onde remexe estrume de gado, e também em beiras de rio. Pousa em locais abertos de arbustos e árvores baixas. Faz ninho na forma de uma cesta, em forquilhas ou penachos de palmeiras.
Presente no Brasil apenas na Amazônia, em Roraima, no Amapá e ao longo do Rio Amazonas e do baixo curso de seus afluentes, como o Tapajós e o Tocantins. Encontrado também nas Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador e Peru.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
06.jpg
Rabo-branco-acanelado - Phaethornis pretrei212 views
tie-de-topete-2.jpg
Tiê-de-topete - Trichothraupis melanops211 viewsNome em Inglês

Black-goggled Tanager

Família: Thraupidae

Hábitos

Habita o interior das florestas densas e secundárias, a procura de insetos. Geralmente em pares ou pequenos grupos mistos. Esta espécie, além apresentar associação com bandos mistos de outras aves e com formigas de correição, também apresentou relação com duas espécies de macacos para a obtenção de alimento: Cebus apella e Alouatta fusca.
Alimenta-se de frutos e insetos.

viuvinha.jpg
Viuvinha - Colonia colonus211 viewsNome em Inglês

Long-tailed Tyrant

É migratória, ocorre na região periférica da bacia Amazônica, até Rondônia, Ilha de Marajó (Pará) e Maranhão, e no restante do Brasil até o Rio Grande do Sul. Encontrada também de Honduras ao Panamá e nos demais países da América do Sul, com exceção do Chile e Uruguai.

Além de pousarem em pontos expostos para caçarem, chamam a atenção pelo piado assobiado, rápido. Uma ave responde a outra, depois de um intervalo. Muito ativas no começo da manhã e final do dia, desaparecem nas horas mais quentes, deslocando-se para poleiros na copa, escondidos pela folhagem.

REFERÊNCIAS: - WikiAves

beija-flor-ju.jpg
Beija-flor-de-banda-branca - Amazilia versicolor211 views
03.jpg
Rabo-branco-acanelado - Phaethornis pretrei211 views
choca-da-mata-1.jpg
Choca-da-mata211 views
joao-tenenem.jpg
João teneném - Synallaxis spixi210 viewsNome em Inglês

Spix's Spinetail

Família: Furnariidae

Hábitos

Habita campos e áreas arbustivas, bordas de florestas, campos de altitude e áreas próximas a habitações. Costuma pular ou esgueirar-se em meio à vegetação mais densa, empoleirando-se em locais abertos apenas para cantar.

Ocorre de Minas Gerais e Espírito Santo até o Rio Grande do Sul. Encontrado também no Paraguai, Uruguai e Argentina.

Reprodução

Seu ninho é um amontoado denso e comprido de gravetos, com acesso lateral, construído no interior de moitas. Põe até três ovos de cor clara suja.

Alimentação

Alimenta-se nos ramos baixos, às vezes pula no solo.

REFERÊNCIAS: - WikiAves

Ft560R2AW24-21a.jpg
Gaivota-de-cabeça-cinza210 views
garibaldi.jpg
Garibaldi - Chrysomus ruficapillus209 views
Nome em Inglês

Chestnut-capped Blackbird

Hábitos

Vive nas paisagens úmidas, banhados e brejos, em bandos numerosos.

São aves fortemente associadas a água. Pode se tornar pragas agrícolas, especialmente em lavouras de arroz alagado.
Ocorre nos estados do Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul.

Alimentação

Alimenta-se basicamente de frutas, sementes e pequenos insetos. Aprecia arroz com casca.

Reprodução

Seu ninho, em forma de tigela, é geralmente construído entre as folhas de taboas. Os ovos, cerca de três, são levemente azulados com pequenas manchas escuras.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
saira-militar-1-1.jpg
Saíra militar - Tangara cyanocephala209 viewsNome em Inglês

Red-necked Tanager

Família: Thraupidae


Ocorre no Sudeste e Sul do Brasil, com populações isoladas no Nordeste.

Alimentação

Frutinhas, insetos, larvas e nectar/pólem de flores. Frequentam pomares. Comumente são vistas alimentando-se em pequenos arbustos e até mesmo sobre vegetação rasteira.

Reprodução

Reproduz-se de setembro a dezembro. Ninhos em formato de taça com 3 ovos, geralmente feito em bromélias e emaranhados de epífitas, à média e elevada altura. Macho e fêmea cuidam dos filhotes.

Apresenta três subespécies:

Tangara cyanocephala cyanocephala

Habita desde o sul do Espírito Santo até o Rio Grande do Sul, mais o Paraguai e norte da Argentina.

Tangara cyanocephala coralina

Do litoral de Pernambuco até o Espírito Santo.

Tangara cyanocephala cearensis

Serra do Baturité, no Ceará.

tiriba-de-testa-vermelha-1.jpg
Tiriba de testa vermelha - Pyrrhura frontalis209 viewsNome em Inglês

Maroon-bellied Parakeet

Família: Psittacidae

Hábitos

Deslocam-se geralmente em bandos de 10 a 40 indivíduos.
Ocorre da Bahia ao Rio Grande do Sul, além da Mata Atlântica de Goiás e do sul do Mato Grosso do Sul, Uruguai, Paraguai e Argentina.

Alimentação

Prefere frutas pequenas, mas também comem frutos grandes, sementes e castanhas. Custumam equilibrar-se nos galhos, ficando de cabeça para baixo enquanto comem.


Reprodução

Nidifica em cavidades em troncos de árvores onde são postos de 3 a 5 ovos, cujas dimensões estão em torno de 26 x 21 mm e que são incubados pela fêmea durante cerca de 30 dias. Quando nascem os filhotes, estes são alimentados pelos pais, especialmente pelo macho, durante cerca de 45 dias.

04.jpg
Beija-flor-de-fronte-violeta - Thalurania glaucopis209 views
bico-de-lacre-1.jpg
Bico de lacre - Estrilda astrild208 views
Nome em Inglês

Common Waxbill

Hábitos

É comum em campos e terrenos baldios nas cidades. Originário da África, o bico-de-lacre foi trazido para o Brasil em navios negreiros para servir como pássaro de estimação, durante o reinado de D. Pedro I. Tendo escapado das gaiolas, inicialmente no Rio de Janeiro, espalhou-se por diversas regiões brasileiras. Vive em bandos de cerca de 6 indivíduos.
Ocorre nos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Pernambuco, Pará, Amazonas, Mato Grosso, Maranhão, Distrito Federal, São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Reprodução

Faz ninho em arbustos fechados, de forma esférica ou oval, com paredes grossas feitas de capim, penas de galinha e algodão, acessível por um tubo estreito. Põe 3 ovos pequenos de cor branca, os quais são chocados pelo casal por cerca de 11 dias.

Alimentação

Alimenta-se basicamente de sementes de gramíneas africanas, como o capim-colonião e o capim-elefante, introduzidos em nosso País para a formação de pastagens.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
PavaozinhoA.jpg
Pavãozinho-do-pará - Eurypyga helias208 viewsNome em Inglês

Sunbittern

Alimenta-se de insetos, rãs, peixinhos, caranguejos e outras pequenas presas, que obtém à beira d'água ou revirando o chão da floresta. Caça com olhos fixos na presa, avançando com cautela e fazendo com a cabeça movimentos em ziguezague para, de repente, apanhá-la com o bico. Habita beiras de rios e igarapés no interior da floresta densa e emaranhados de vegetação à beira d'água. Vive solitário ou aos pares, andando lentamente pelas margens de igarapés ou locais de solo úmido, porém raramente entra na água. Costuma cantar no início da manhã ou no final da tarde. Seu vôo é baixo e silencioso.Presente na Amazônia, estendendo-se em direção sul até o norte do Mato Grosso (ao norte do Pantanal) e Goiás, e a leste até o Piauí. Encontrado também do México ao norte da Argentina e Uruguai. Faz ninho em forma de tigela rasa, na ramagem acima ou próxima da água, utilizando folhas, raízes, musgos e lama. Põe 1 ou 2 ovos grandes, amarelados, com pintas castanhas e cinzentas. Macho e fêmea chocam os ovos durante 26 a 27 dias, cada um alternando durante dois dias, sem intervalo.


REFERÊNCIAS: - WikiAves


FtRAW116-05a.jpg
Choca-da-mata208 views
sai-azul-1.jpg
Saí-azul - Dacnis cayana207 viewsNome Inglês: Blue Dacnis

Nome científico: Dacnis cayana

Família: Thraupidae

Habitat: Encontra-se en todo o Brasil, ocorre também de Honduras ao Panamá e em quase todos os países da América do Sul, com exceção do Chile e Uruguai.

Alimentação: Tem como alimento básico néctar, insetos e frutas

Reprodução: Reproduz na primavera e no verão, faz o ninho em forma de taça profunda entre as folhas externas de uma árvore colocado uma média de 3 ovos, o ninho é construido somente pela fêmea, que é protegida pelo macho contra intrusos.

Estado de Conservação: Sem preocupações quanto a sua conservação
Anu-branco02a.jpg
Anu-branco - Guira guira207 views
Nome em Inglês

Guira Cuckoo

Caracterização: Tem corpo franzino, apenas 38 centímetros. Sua cauda é comprida, graduada e com uma fita preta. Sua cor é "branco-amarelado", com bico cor de laranja, forte e curvo. O cheiro do corpo é forte e característico, perceptível para nós a vários metros, e capaz de atrair morcegos hematófogos e animais carnívoros. Quando empoleira arrebita a cauda e joga-a até as costas. Anda sempre em bandos. São aves extremamente sociáveis.

Distribuição: Ocorre do sudeste do Amapá e do Estuário Amazônico à Bolívia, Argentina e Uruguai.

Habitat: São até certo ponto beneficiados pelo desaparecimento da mata alta, pois vivem em campos e lavouras. Imigraram de regiões onde eram desconhecidos e tornaram-se as aves mais comuns ao longo das estradas. Devido ao seu vôo lerdo e fraco, são freqüentemente atropelados nas estradas, arrastados ao mar por fortes ventos. São ainda, atingidos pela ação funesta dos inseticidas, fato tanto mais lamentável por serem muito úteis à lavoura.

Hábitos: Gostam de apanhar sol e banhar-se na poeira, deixando a plumagem fortemente tingida com a cor da terra do local ou de cinza e carvão, sobretudo se eles correrem antes pelo capim melado, as suas penas tornam-se pegajosas. Pela manhã e após as chuvas pousam de asas abertas para enxugar-se. À noite se esquentarem juntam-se em filas apertadas ou aglomeram-se em montões desordenados, acontece de um correr sobre as costas dos outros, que formam a fila, para forçar a sua penetração entre os companheiros. Procuram moitas de taquara para pernoitar. Esta espécie morre de frio no inverno.

Alimentação: São essencialmente carnívoros, comendo gafanhotos, percevejos, aranhas, miriápodes etc. Predam também lagartas peludas e urticantes, lagartixas e camundongos. Pescam na água rasa, periodicamente comem frutas, bagas, coquinhos e sementes, sobretudo na época seca quando há escassez de artrópodes.

Reprodução: Os seus ovos são relativamente grandes, tem de 17 a 25% o peso da fêmea. A cor dos ovos é de campo verde-marinho, uma rede branca calcária em alto relevo se espalha sobre toda a superfície. Tanto há ninhos individuais, como ninhos coletivos. A fêmea que construiu um ninho e ainda não começou a pôr os seus ovos, joga fora os ovos postos ali por outras fêmeas. Joga também os ovos, quando a fêmea poedeira encontra o ninho onde quer pôr, ocupado por outra ave. Os adultos nem sempre zelam bem pelos ninhos com ovos, abandonando-os. Os filhotes deixam o ninho antes de poder voar, com a cauda curta, e são alimentados ainda durante algumas semanas. Quando os seus ninhos são abandonados, às vezes são aproveitados por outros pássaros, por pequenos mamíferos, sobretudo marsupiais e cobras.

Predadores Naturais: Esta espécie é atacada por outras aves por exemplo: o suiriri, mas é reconhecida como possível inimiga da coruja. As rolas se assustam com o aparecimento de anus-brancos, que também enxotam gaviões como o Gavião-carijó (Buteo magnirostis) quando estes pousam nas imediações do seu ninho.

REFERÊNCIAS: - NATIVE



02.jpg
Rabo branco acanelado - Phaethornis pretrei207 views
juruva-verde-1.jpg
Juruva verde - Baryphthengus ruficapillus206 viewsNome em Inglês

Rufous-capped Motmo

Família: Momotidae

Hábitos

Ocorre tanto nas baixadas litorâneas quanto nas montanhas até 1200 metros de altitude em matas primárias com sub-bosque de bambus e em matas de encostas ou matas secundárias altas.
Podemos encontrá-los Brasil Oriental, com uma maior consentração no Sudeste.

É uma ave madrugadora, que costuma cantar ao final da noite, pouco antes do amanhecer. Quem não conhece seu canto pensa se tratar de uma coruja. Ativo durante o dia, gosta de ciscar no solo onde passa um bom tempo. Costuma ficar no interior da mata. Voa frequentemente aos casais, acompanhando bandos mistos ou correições de formiga no sub-bosque

Reprodução

Escava seu ninho em formigueiros de saúva no solo ou em barrancas na mata ou ainda em áreas de deslizamentos, de encostas íngremes. Pode aproveitar buraco de tatus no solo e, por vezes, dois casais nidificam lado a lado em túneis separados por apenas 23 centímetros de distância. A postura consta de 2 a 3 ovos brancos.

Alimentação

Captura grandes insetos, moluscos, pequenos reptéis e mamíferos, além de uns poucos frutos.


REFERÊNCIAS: - WikiAves

choca-listrada.jpg
Choca Listrada - Thamnophilus palliatus206 viewsNome em Inglês

Chestnut-backed Antshrike

Podemos encontrá-la em parte do Amazonas inclusive no Peru e na Bolívia e da Paraiba ao Rio de Janeiro em bordas de florestas úmidas e de montanhas, clareiras em regeneração, áreas com emaranhados de cipós, capoeiras arbustivas e quintais, normalmente encontrada aos pares, pulando em meio à vegetação em busca de insetos.
FtRAW117-04a.jpg
Patativa206 views
sanhacu-de-encontro-amarelo.jpg
Sanhaçu-de-encontro-amarelo - Thraupis ornata205 viewsNome em Inglês

Golden-chevroned Tanager

Família: Thraupidae

Hábitos

Habita beira de matas e de capoeiras. No inverno, juntam-se a grandes bandos mistos de espécies de outras famílias, comportamento útil na proteção contra inimigos.

Alimentação

Frutas pequenas e geralmente duras de árvores, arbustos e cipós. Se alimenta também de folhas, botões e néctar podendo caçar insetos em vôo como cupins e borboletas.
Ao se alimentar de frutos contribui para a disperção de sementes em áreas verdes urbanas.

Reprodução

Os ninhos geralmente têm forma de cesto aberto bem elaborado construido pelo casal, às vezes entre grandes bromélias. A fêmea coloca, geralmente, 2 a 3 ovos. Os filhotes deixam o ninho com 18 dias.

REFERÊNCIAS:PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

maguari.jpg
Maguari - Ciconia maguari205 viewsNome em Inglês

Maguari Stork

O maguari habita os brejos e alagadiços de vegetação densa, o que dificulta a sua localização.
Encontrada em grande parte da América do Sul, sendo comum nos estados brasileiros do Rio Grande do Sul e restrita na Amazônia e no Nordeste do Brasil.
Alimenta-se basicamente de invertebrados aquáticos, crustáceos, anfíbios, cobras aquáticas e peixes.
Nidifica sobre plantas aquáticas, em ilhas flutuantes e na parte mais densa de grandes brejos. As colônias são de 5 a 20 ninhos, próximos.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
beija-flor-tesoura_.jpg
Beija-flor-tesoura - Eupetomena macroura205 viewsNome em Inglês

Swallow-tailed Hummingbird

Caracterização: Tem 18 centímetros de altura e 9 gramas de peso. Este beija-flor é um dos maiores e pode ser reconhecido pela cauda bifurcada, que toma quase 2/3 se seu tamanho total. Possui a cabeça e o pescoço azuis, sendo a coloração do resto da plumagem verde-escura brilhante.

Distribuição: Ocorre em todo Brasil, exceto em certas regiões da Amazônia.

Habitat: É observado em capoeiras, jardins, quintais, pomares, cidades e em outras áreas abertas.

Hábitos: Durante as horas da sua maior atividade é muito agressivo. Toma banho na chuva. Tem necessidade de tanta limpeza devido, ao constante contato com o líquido viscoso das flores. Gosta de tomar banho de sol e se espreguiça após o descanso. Dorme de bico para a frente, a cabeça um pouco levantada, posição semelhante a que assume durante a chuva e quando canta. Coloca freqüentemente as asas por baixo da cauda. Pousa abertamente num galho fino para dormir. Costuma apanhar insetos quando está quase escuro.

Alimentação: Alimenta-se quase que exclusivamente em vôo e são adaptados para sugar o néctar das flores. Também come insetos e aranhas.

Reprodução: O ninho tem forma de tigelinha, é colocado num galho horizontal, tecido com raízes e teias de aranha e é ornado por fora com liquens. Põe dois ovos brancos nos meses de janeiro e fevereiro. Somente a fêmea incuba os ovos; os filhotes nascem após 15 dias.

Manifestações Sonoras: Tem voz aguda, às vezes, a vocalização eacute; quase inaudível para nós. Possui vozes diferentes para expressar ataque, arma, etc., freqüentemente entonadas em vôo.

Curiosidades: Os beija-flores estão entre as pouquíssimas aves que possuem a capacidade de hibernar.

REFERÊNCIAS: - }»» NATIVE ««{
sai-azul-femea-1~0.jpg
Saí-azul 205 views
benedito-de-testa-amarela-femea.jpg
Benedito de testa amarela - Melanerpes flavifrons204 views
Nome Inglês:

Yellow-fronted Woodpecker

Família: Picidae

Habitat: Podemos encontra-los na Mata Atlântica montanha e na de encosta até 1800 m de altitude, também na restinga, plantações, pomares, palmitais, matas secundárias e capoeiras, encontrado aos casais ou pequenos bandos que raramente deixam as copas das árvores da mata, é muito sociável, sendo que alguns indivíduos associam-se para dormir num mesmo abrigo.

Alimentação: Alimenta-se principalmente de frutas, como o mamão, laranja, banana, abacate, embaúba, caruru, come também sementes, e evntualmente insetos e suas larvas.

Reprodução: A fêmea põe de 2 a 4 ovos mas tem a ajuda do macho na tarefa de incubá-los por um período de 12 dias, outros indivíduos do bando também ajudam a alimentar e a proteger os filhotes, que permanecem no ninho por até 5 semanas.

Estado de Conservação: Sem preocupações sua população está estável.

Comentários

O Benedito-de-testa-amarela é também conhecido em algumas regiões como: Bereré, Pica-pau-de-fronte-amarela, tem cerca de 19,5 centímetros, possui a fronte e garganta amarelo-vivo, vértice posterior e nuca vermelhos (macho).entre os vários sons que produz, tem um grito forte, ríspido e rápido, beneditô, que deu origem ao nome popular. Habitam os estratos intermediários da floresta, voando entre a copa das arvores em pequenos bandos, também pode ser encontrado em pomares, canaviais e palmais. Alimenta-se basicamente de larvas de insetos e de besouros, mas também gosta de frutas como o mamão, laranja, embaúba, caruru e de sementes, tem o costume de estocar comida em buraquinhos, naturais ou que ele próprio perfura, no tronco de árvores. A cada período reprodutivo o casal faz um buraco geralmente em árvores mortas, gostam de nidificar em palmeiras e embaúbas, a entrada do ninho corresponde ao tamanho do corpo do pica-pau para evitar a entrada de predadores. A fêmea põe de 2 a 4 ovos, tendo a ajuda do macho na tarefa de incubá-los por um período de 12 dias, além do casal, outros indivíduos do bando ajudam a alimentar e a proteger os filhotes, que permanecem por até 5 semanas no ninho. A destruição da mata primária faz com que esta ave tenha cada vez mais dificuldade de encontrar árvores com características adequadas para a construção de seus ninhos e dormitórios.
Foto feita em Julho de 2009 no Parque Nacional do Itatiaia, Rio de Janeiro Brasil.

About this species

The Yellow-fronted Woodpecker is also known in some regions as: "Bereré", "Pica-pau-de-fronte-amarela". It is about 19,5 centimeters long. Both the forehead and throat are bright yellow the crown and the nape are red (male bird). Among the several sounds they make there is a strong, harsh and fast cry – "benedito" – from which its popular name originated. They inhabit intermediate areas of the forest, flying between the crowns of trees in small flocks. They can also be found in orchards, sugar cane plantations and areas with palm trees. It feeds basically on larvae of insects and beetles, but also likes fruit such as papaya, orange, fruit of the "embaúba", "caruru" and of seeds. It uses to storage food in small holes, either natural or made by them in the trunk of trees. In each and every breeding period the pair makes a hole in trees ,generally dead. They like to make nests in palm trees and "embaúbas". The entrance of the nest is equal to the size of the body of the prick-wood, so as to prevent the entrance of predators. The female lays 2 to 4 eggs, having the aid of the male in the task of incubating them for a period of 12 days. Besides the pair, other birds of the flock help to feed and to protect the younglings, which remain for about 5 weeks in the nest. The destruction of the primary forest makes it more difficult for these birds to find trees with the proper characteristics for the building of their nests and places to sleep.
Photo made in July 2009 in the National Park of Itatiaia, Rio de Janeiro Brazil.
catirumbava.jpg
Catirumbava - Orthogonys chloricterus204 viewsNome em Inglês

Olive-green Tanager

Desloca-se pelo estrato médio a alto, em grandes grupos. Restrita à montanhas do Sudeste entre 600 a 1800 metros de altitude na Mata Atlântica, embora nos meses de inverno constem registros para essa espécie em matas da baixada litorânea.

Realizam gritarias coletivas, possivelmente nidifica em bromélias no verão. Tem em média 2 ninhadas por estação com 3 ovos cada uma.

Tem dieta especialmente frugívora, frequentando pomares e plantações. Podendo atuar como espécie nuclear em bandos mistos, fazendo uma verdadeira varredura em frentes amplas, em bromélias e aglomerados de folhagens secas à procura de insetos e frutos.
gaviao-cabure.jpg
Falcão caburé - Micrastur ruficollis204 viewsNome em Inglês

Barred Forest-Falcon

Hábitos

Comum em florestas densas e capoeiras altas. Vive escondido no sub-bosque e no estrato médio, sendo mais ouvido do que observado. Ocorre em quase todo o Brasil, com exceção da Região Nordeste. Encontrado também do México à Argentina.

Alimentação

Alimenta-se de grandes besouros e outros insetos, passarinhos, pequenos lagartos e cobras. Eventualmente captura insetos afugentados por formigas-de-correição, inclusive no chão.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
pica-pau-verde-carijo.jpg
Picapauzinho-verde-carijó - Veniliornis spilogaster204 viewsNome em Inglês

White-spotted Woodpecker

Família: Picidae

Hábitos

Vive nas cidades, zonas rurais, pastos sujos, capoeiras, matas secas, bordas de Mata Atlântica e matas mesófilas. Costuma associar-se temporariamente a bandos mistos de arapaçus, traupídeos e outros passeriforme que vagueiam pela mata. É agressivo, quando apanhado pelo homem defende-se a bicadas, com as mandíbulas entreabertas, deixando duas perfurações na mão de quem o segura. Costuma dormir em buracos o ano todo.
Ocorre do Rio de Janeiro e Minas Gerais ao Rio Grande do Sul, Uruguai, Paraguai e norte da Argentina.

Alimentação

Alimenta-se de insetos e suas larvas, principalmente de besouros. Para encontrar seu alimento, bate ligeiramente sobre a casca de madeira, tentando localizar alguma cavidade que contenha insetos. Come também frutas como abacate, caqui e a do pau-pólvora.
sai-azul.jpg
Saí-azul - Dacnis cayana204 viewsNome Inglês: Blue Dacnis

Nome científico: Dacnis cayana

Família: Thraupidae

Habitat: Encontra-se en todo o Brasil, ocorre também de Honduras ao Panamá e em quase todos os países da América do Sul, com exceção do Chile e Uruguai.

Alimentação: Tem como alimento básico néctar, insetos e frutas

Reprodução: Reproduz na primavera e no verão, faz o ninho em forma de taça profunda entre as folhas externas de uma árvore colocado uma média de 3 ovos, o ninho é construido somente pela fêmea, que é protegida pelo macho contra intrusos.

Estado de Conservação: Sem preocupações quanto a sua conservação
japacanim.jpg
Japacanim - Donacobius atricapilla204 viewsNome em Inglês

Black-capped Donacobius

Caracterização: É uma ave paludícola, ou seja, está sempre associada a ambientes aquáticos. Possui a cauda longa e graduada, tendo as asas curtas e redondas. A cabeça, dorso e asas são pretas. O peito e ventre são amarelos, inclusive a íris. O bico e pernas são negros. Possui uma nódoa amarela no pescoço. Quando jovem o Japacanim tem a íris parda em vez de amarela e não possui a nódoa amarela no pescoço.

Distribuição: Ocorre em quase todo território nacional, exceto no Rio Grande do Sul.

Habitat e Alimentação: Vive em taboais, brejos, lagos, córregos e juncos onde encontra bichinhos para alimentar-se.

Hábitos: Costuma abrir e fechar a cauda e balançá-la várias vezes, emitindo fortes gritos. Isto faz parte da cerimônia de corte do casal.

Reprodução: Os ovos são de cor ferrugem-clara. Faz um cesto profundo enfaixado com teias de aranha, sendo afixado ao capim alto ou outras plantas a pouca altura, no brejo ou nas suas margens. O filhote nasce após 17 dias e deixa o ninho com 17-18 dias.

Manifestações Sonoras: Emite gritos fortíssimos e bem variados: "schrra-tschrra". "krä-krä", "bíäk-buík, bíä-buík", tzä-tzä-tzä...", "tü-tü-tü...", "gui-gui-gui", etc.

REFERÊNCIAS: - NATIVE
FtRAW117-08a.jpg
Saíra-de-papo-preto204 views
tie-de-topete.jpg
Tiê-de-topete - Trichothraupis melanops203 viewsNome em Inglês

Black-goggled Tanager

Família: Thraupidae

Hábitos

Habita o interior das florestas densas e secundárias, a procura de insetos. Geralmente em pares ou pequenos grupos mistos. Esta espécie, além apresentar associação com bandos mistos de outras aves e com formigas de correição, também apresentou relação com duas espécies de macacos para a obtenção de alimento: Cebus apella e Alouatta fusca.
Alimenta-se de frutos e insetos.

sabia-barranco.jpg
Sabiá barranco - Turdus leucomelas203 viewsNome em Inglês

Pale-breasted Thrush

Família: Turdidae

Hábitos

Comum em todas as matas ciliares, matas de galeria, matas secas, cambarazais e cerradões. Utiliza os capões de cerrado e cruza áreas abertas em vôos diretos a meia altura. Acostuma-se com ambientes criados pela ação humana, como jardins, pomares e áreas urbanas bem arborizadas. Durante o resto do ano só emite vocalizações de alerta, especialmente ao entardecer quando disputam os melhores poleiros para passar a noite.
Podemos encontrá-lo em todo o Brasil.

Alimentação

Alimenta-se, basicamente de minhocas e artrópodes. Assim como outros sabiás revira as folhas caídas em busca de pequenos invertebrados e também se alimenta de pequenos frutos.

Reprodução

Constrói um ninho apoiado em galhos ou forquilhas, às vezes em alpendres e varadas de casas, usando uma mistura de barro, raízes e folhas na parte externa. Forma uma pequena torre e na parte superior fica a tigela funda de material vegetal mais macio. A fêmea choca de 2 a 4 ovos durante 12-13 dias, com os filhotes saindo do ninho em 17 dias.


REFERÊNCIAS: - Aves Pantanal


fogo-apagou.jpg
Fogo-apagou - Columbina squammata203 viewsNome em Inglês

Scaled Dove

Caracterização: Tem 19,5 centímetros e 58,5 gramas. A fogo-apagou é bem característica pela sua aparência escamosa. As penas das asas e do dorso são barradas de cor rufa e as penas laterais da cauda são brancas.

Distribuição: Ocorre no Nordeste, do Brasil Central à São Paulo, Espírito Santo, sul do Mato Grosso e Paraná.

Habitat: Vive em áreas secas, em campos, cerrados, jardins, estradas e também nas cidades.

Hábitos: Voa bem e tem vôo rasante. Move-se no solo andando com passinhos miúdos e rápidos. Pára a cabeça a cada passo dado, durante um instante, a fim de observar melhor as cercanias. Não saltita nunca. Boceja. Não esconde a cabeça entre as penas do dorso para dormir. Gosta de tomar banho.

Alimentação: É granívora e frugívora, pois come grãos, sementes, frutas e vegetais. Com um rápido movimento do bico vira as folhas mortas para descobrir sementes e frutos caídos, esse movimento também é utilizado para extração de sementes caídas em uma fenda, joga os grãos no chão para pegá-los em seguida.

Reprodução: Seu ninho é uma meia tigela, onde põe dois ovos de cor branca.

Manifestações Sonoras: O canto é bem típico, um trissilábico "u-gú-gú", parecendo dizer "fogo-apagou". Também emite um forte barulho com as asas, parecendo um chocalho. É freqüente escutar seu canto ao longo do dia.

REFERÊNCIAS: - }»» NATIVE ««{
FtRAW116-02a.jpg
Soldadinho - Antilophia galeata203 viewsNome Português: Soldadinho

Nome Inglês: Helmeted Manakin

Nome científico: Antilophia galeata
Família: Pipridae

Habitat: Ocorre do Maranhão, Piauí e Bahia a Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal, Tocantins, oeste de Minas Gerais, oeste de São Paulo, Paraná, Paraguai e Bolívia.

Alimentação: Alimenta-se basicamente de frutos, mas em época de escassez também come insetos e larvas.

Reprodução: A incubação executada exclusivamente pela mãe, gira em torno de 17 a 19 dias. Os filhotes recebem da mãe bagas e insetos, em parte regurgitados, em parte amassados em bolas; abandonam o ninho com 13 a 15 dias.

Estado de Conservação: Pouco preocupante

Comentários

Ocorre nas matas ciliares do Brasil central e nas matas da baixada pantaneira. Ocorre também em buritizais ou em matas brejosas entre 500 e 1000m de altitude, por vezes, acompanhando bandos mistos. Vivem solitários, no máximo em casais no mesmo território, pouco associados. Canta o ano todo, ocasionalmente durante o período de muda, entre janeiro e maio. É um canto alegre, assobiado e chamativo, composto por cinco partes separadas. A primeira é uma nota separada das demais, curta e mais lenta. As outras vêm em sequência rápida. Na época reprodutiva, responde a imitações ou gravações de seu canto.
sai-azul-femea-1.jpg
Saí-azul - Dacnis cayana (Fêmea)202 viewsNome Inglês: Blue Dacnis

Nome científico: Dacnis cayana

Família: Thraupidae

Habitat: Encontra-se en todo o Brasil, ocorre também de Honduras ao Panamá e em quase todos os países da América do Sul, com exceção do Chile e Uruguai.

Alimentação: Tem como alimento básico néctar, insetos e frutas

Reprodução: Reproduz na primavera e no verão, faz o ninho em forma de taça profunda entre as folhas externas de uma árvore colocado uma média de 3 ovos, o ninho é construido somente pela fêmea, que é protegida pelo macho contra intrusos.

Estado de Conservação: Sem preocupações quanto a sua conservação
sai-preto-femea.jpg
Tiê preto - Tachyphonus coronatus (fêmea)202 viewsNome em Inglês

Ruby-crowned Tanager

Hábitos

O tiê-preto pode ser visto isolado, em pares, grupos de 3 ou 4 indivíduos ou mesmo em bandos maiores. O macho, quando excitado, exibe a mancha vermelha da cabeça (píleo) e movimenta as asas mostrando o branco das coberteiras inferiores das asas. Espécie de hábitos florestais, o tiê-preto é visto com mais freqüência ao visitar árvores frutíferas nas bordas ou nos arredores de matas e capoeirões. Vive em casais. É uma ave agitada, que freqüenta a folhagem de arbustos e de árvores, movimentando-se ativamente em busca de alimento.
do Espírito Santo ao Rio Grande do Sul, estendendo-se para oeste até o Mato Grosso do Sul. Encontrado também no Paraguai e Argentina.

Alimentação

Alimenta-se de frutos, sementes, flores e insetos, colhidos nas árvores a partir da altura média até o topo.

Reprodução

O ninho, em forma de tigela, é confeccionado com ramos, cipós e folhas, forrado internamente com finas raízes.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
BLM35a.jpg
Arapapá - Cochlearius cochlearius202 views
Nome em Inglês

Boat-billed Heron

Habita manguezais, lagos salobres, brejos de água doce e rios florestados, sendo pouco avistado pelo fato de estar mais ativo durante a noite.
Descansa durante o dia sobre as árvores, em grupos da mesma espécie.
Ao anoitecer desloca-se para as áreas de alimentação, geralmente em locais com cascalho, águas rasas de arrebentação ou lamaçais.
Presente localmente em grande parte do Brasil, desde o Norte e Nordeste até o Estado do Paraná, bem como do México à Argentina.
Reproduz-se em colônias, construindo um ninho frágil de gravetos em manguezais. Põe de 1 a 3 ovos branco-azulados, às vezes com pontos avermelhados na extremidade mais larga.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
figuinha-rabo-castanho.jpg
Figuinha-de-rabo-castanho - Conirostrum speciosum202 viewsNome em Inglês

Chestnut-vented Conebill

FtRAW117-02a.jpg
Tico-tico-rei202 views
05.jpg
Rabo-branco-acanelado - Phaethornis pretrei202 views
sabia-laranjeira.jpg
Sabiá laranjeira - Turdus rufiventris201 viewsNome em Inglês

Rufous-bellied Thrush

Hábitos

É comum em bordas de florestas, parques, quintais e áreas urbanas arborizadas. Vive solitário ou aos pares, pulando no chão. Em regiões mais secas é, de certa forma, restrito a áreas próximas à água.
É uma ave que convive bem com ambientes modificados pelo homem, seja no campo ou na cidade, desde que tenha oportunidades de encontrar abrigo e alimento.

Presente do Maranhão ao Rio Grande do Sul, é o sabiá mais conhecido do Sudeste, sendo menos numeroso no Nordeste. Migra para regiões mais quentes no inverno. Encontrado também na Bolívia, Paraguai, Argentina e Uruguai.

Reprodução

Macho e fêmea constroem o ninho juntos utilizando gravetos, fibras vegetais e barro, onde a fêmea coloca de 3 a 4 ovos, de coloração esverdeada com pintas cor de ferrugem. O período de incubação dura em torno de 14 dias.

Alimentação

Sua nutrição se compõe basicamente de insetos, larvas, minhocas, e frutas maduras, incluindo frutas cultivadas como o mamão, a laranja e o abacate. Come coquinhos de várias espécies de palmeiras e de espécies introduzidas, como o dendê. Cospe os caroços após cerca de 1 hora, contribuindo assim para a dispersão dessas palmeiras, comportamento apresentado também por outros sabiás. Ração de cachorro também atrai esta espécie, podendo servir de alimento em cidades grandes com menor disponibilidade de alimentos naturais.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
colhereiro.jpg
Colhereiro - Platalea ajaja201 viewsNome Inglês

Roseate Spoonbill

Habita ambientes aquáticos, como praias lamacentas e manguezais, e realiza migrações sazonais, vive em bandos do sul dos EUA à Argentina, ocorrendo também em áreas do Equador e Peru.
Mergulha o bico à procura de alimento, que podem ser peixes, insetos, camarões, moluscos e crustáceos, a presença de carotenóides nos alimentos, dão uma coloração rosada ao colhereiro, que se torna mais intensa na época reprodutiva.
Nidifica em colônias, constrói o ninho com gravetos e talos secos de gramíneas em árvores, as colônias costumam ser mistas, englobando outras espécies de aves, como biguás e garças, geralmente a postura é de 2 a 3 ovos que são incubados por cerca de 22 dias, abandona o ninho com 6 semanas, atinge a maturidade sexual aos 3 anos quando apresenta a plumagem adulta, vive uma média de 13 anos.
A conservação é estável, porém em alguns lugares do Brasil, como Pantanal e Minas Gerais a população vem reduzindo drásticamente.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
bigua.jpg
Biguá - Phalacrocorax brasilianus201 viewsNome em Inglês
Neotropic Cormorant

guaxe-1.jpg
Guaxe - Cacicus haemorrhous200 viewsNome em Inglês

Red-rumped Cacique

Hábitos

Varia de raro a comum na copa e bordas de florestas úmidas (na Amazônia principalmente na terra firme), florestas secas e de galeria e capoeiras altas. Vive em grupos, sendo visto regularmente nas bordas de diversos hábitats florestais. Prefere baixadas quentes com florestas.

Presente no Brasil em duas regiões separadas:
em toda a Amazônia e;
de Pernambuco ao Rio Grande do Sul, estendendo-se para o interior até Goiás e Mato Grosso do Sul.

Encontrado também nos demais países amazônicos e no Paraguai e Argentina.

Reprodução

Somente a fêmea constrói o ninho em forma de bolsa com 40 a 70cm de comprimento, em colônias, com material de vários vegetais e localização variada, podendo ser à pouca altura sobre a água, no alto de árvores no meio da floresta ou em palmeiras nas bordas da floresta. Diferentemente do japiim não costuma fazer suas colônias em associação com japus. Põe 2 a 3 ovos brancos com pontos e manchas avermelhados e roxos, tendo de 2 a 3 ninhadas por período de reprodução. O guaxe tende a construir vários ninhos, mas botar ovôs em só um deles para enganar tucanos e outros predadores.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
saracura-do-mato.jpg
Saracura do mato - Aramides saracura200 viewsNome em Inglês

Slaty-breasted Wood-Rail

Família: Rallidae

É encontrado em florestas e matas, preferindo as áreas pantanosas e alagadiças e geralmente é difícil de ver.
Ocorre no sudeste do Brasil e nas partes vizinhas do Paraguai e Argentina.
joao-de-barro.jpg
João-de-barro - Furnarius rufus199 viewsNome em Inglês

Rufous Hornero

Caracterização: Mede 19 centímetros. Os sexos são muito parecidos, a fêmea pode ser identificada, pelo hábito de ocupar à noite, sozinha, o ninho com ovos e filhotes. Plumagem de cor parda, com cor ferrugem nas costas e especialmente na cauda.

Distribuição: Pode ser encontrado da Argentina à Bolívia, Paraguai, noroeste da Bahia e sul do Piauí. Em Campinas só apareceu por volta de 1900.

Habitat: Vive em campos desprovidos de vegetação mais alta, abundante nas fazendas, parques e até nas cidades.

Reprodução: Constrói um ninho por ano, em formato de forno, com barro úmido e um pouco de esterco misturado à palha. Escolhe um local bem aberto para instalar-se, como por exemplo árvores isoladas, postes de iluminação. Trabalhando em conjunto o casal constrói o ninho em 18 dias. A fêmea põe de 3 a 4 ovos a partir de setembro.

Alimentação: Consiste de insetos e suas larvas, aranhas, opiliões e outros artrópodes, moluscos, ocasionalmente come sementes.

Manifestações Sonoras: O casal solta seu canto, forte grito ou gargalhada, freqüentemente em conjunto. O joão-de-barro é mais ativo nas horas mais quentes e claras ao contrário de outras espécies da família. Seu canto tem seqüências rítmicas mais prolongadas como que um canto festivo, crescente e decrescente. O casal sincroniza um dueto

REFERÊNCIAS: - NATIVE
FtRAW107-08a.jpg
Chorão199 views
Ft560R2AW24-05a.jpg
Gaivota-de-cabeça-cinza198 views
ema.jpg
Ema198 views
bico-grosso.jpg
Bico grosso - Saltator maxillosus197 views
Nome Inglês

Thick-billed Saltator

Família: Thraupidae

Habitat: Habitam a beira da mata e jardins nas regiões serranas do Sudeste do Brasil, do Espírito Santo e Rio de Janeiro, até ao Rio Grande do Sul e leste da Argentina.

Alimentação: Espécie onívora, tem como alimento básico sementes, mas durante o período da reprodução como precisa de mais alimento recorre também a folhas, insetos e frutas.

Reprodução: Constroem ninhos em forma de taça a pouca altura , incubam geralmente 3 ovos durante em 14 dias, e tem em média 2 ninhadas por estação, durante a reprodução vivem em casais, em um território específico.

Estado de Conservação: Sua população encontra-se estável sem maiores preocupações.

Comentários

Também conhecido em algumas regiões pelos nomes de: Trinca-ferro-bicudo, Tempera-viola, Botió, esta espécie chama a atenção pelo bico muito grosso, alto e amarelo na base, tem partes superiores cinza-escura e algumas partes esverdeadas, sobrancelha branca iniciando-se na base do bico, tem tamanho aproximado de 19 cm. Esta espécie alimenta-se basicamente de grão, possuem um acerta predileção por frutos da imbaúba, e na época da reprodução também consomem larvas e insetos. Durante a reprodução vivem estritamente em casais, são bastante territorialistas, constroem os ninhos em forma de taça a pouca altura, a incubação dura em torno de 14 dias. Vivem na beira da mata em plantas baixas e pequenos arbustos, principalmente nas altas serras do Sudeste do Brasil, podemos encontrá-los no Espírito Santo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e leste da Argentina.
Foto feita em Julho de 2009 no Parque Nacional do Itatiaia parte alta Itamonte MG Brasil.

About this species

Also known in some regions by the names of:" Trinca-ferro-bicudo", "Tempera-viola" and "Botió", this species calls the attention for the very thick and high beak and yellow base. Its upper parts are dark grey and some parts are greenish, with white eyebrows beginning at the base of the beak. It is approximately 19 cm long. This species feeds basically on grain. They prefer fruit of the imbaúba tree, and when breeding they also eat larvae and insects. When mating, they live strictly in pairs. They are extremely territorialists. They build their nests in the shape of a drinking cup, not very high. Incubation lasts about 14 days. They live in the edge of the forest, in low plants and small shrubs, mainly in the high mountain ranges in the southeastern of Brazil. We can find them in Espirito Santo, Rio de Janeiro, Rio Grande Do Sul and east of Argentina.
Photo made in July 2009 in the National Park of the Itatiaia, high.
guaxe.jpg
Guaxe - Cacicus haemorrhous197 viewsNome em Inglês

Red-rumped Cacique

Hábitos

Varia de raro a comum na copa e bordas de florestas úmidas (na Amazônia principalmente na terra firme), florestas secas e de galeria e capoeiras altas. Vive em grupos, sendo visto regularmente nas bordas de diversos hábitats florestais. Prefere baixadas quentes com florestas.

Presente no Brasil em duas regiões separadas:
em toda a Amazônia e;
de Pernambuco ao Rio Grande do Sul, estendendo-se para o interior até Goiás e Mato Grosso do Sul.

Encontrado também nos demais países amazônicos e no Paraguai e Argentina.

Reprodução

Somente a fêmea constrói o ninho em forma de bolsa com 40 a 70cm de comprimento, em colônias, com material de vários vegetais e localização variada, podendo ser à pouca altura sobre a água, no alto de árvores no meio da floresta ou em palmeiras nas bordas da floresta. Diferentemente do japiim não costuma fazer suas colônias em associação com japus. Põe 2 a 3 ovos brancos com pontos e manchas avermelhados e roxos, tendo de 2 a 3 ninhadas por período de reprodução. O guaxe tende a construir vários ninhos, mas botar ovôs em só um deles para enganar tucanos e outros predadores.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
saira-sete-cores.jpg
Saira-sete-cores - Tangara seledon197 views
sanhacu-defogo-femea-1.jpg
Sanhaçu-de-fogo197 views
socozinho-1.jpg
Socozinho - Butorides striata196 viewsNome Inglês: Striated Heron

Família: Ardeidae

Habitat: O socozinho é uma ave aquática muito comum em áreas alagada, pode ser visto em todo o território brasileiro, nas regiões de clima quente da América, África, Ásia, Austrália e ilhas do Oceano Pacífico.

Alimentação: Permanece imóvel por longos períodos, empoleirado sobre a água ou em suas proximidades, à espera de presas, que podem ser, peixes, insetos aquáticos, caranguejos, moluscos, anfíbios e répteis.

Reprodução: No período reprodutivo, costuma fazer seus ninhos separado das demais aves da família ou mesmo da espécie geralmente, nidifica solitário, podendo associar-se a outros indivíduos formando colônias de nidificação no período de reprodução, a incubação leva em torno de 26 dias os novos individuos deixaram os ninhos por volta de trinta dias após o nascimento.

Estado de Conservação: A espécie encontra-se estável sem maiores preocupações.

Comentários

O socozinho é uma espécie de socó com ampla distribuição nas áreas alagadas das Américas e em grande parte do mundo, chega a medir até 36 centímetros comprimento, possuindo capuz e topete nucal negros, pescoço acinzentado, peito com estrias ferrugem, dorso estriado de marrom, pernas amarelas e curtas. Também é conhecida pelos nomes de , garça-socoí, maria-mole, socó-boi, socó-estudante, socoí, socó-mijão, socó-mirim e socó-tripa.

gar11a.jpg
Andorinha-do-campo - Progne tapera196 viewsNome em Inglês

Brown-chested Martin

Hábitos

Habita o campo e a paisagem aberta de cultura. Tenta voar contra o vento. O casal costuma dormir junto no ninho (o que não é comum em aves). Pousa sobre fios elétricos. Torna-se inquieta ao amanhecer e ao anoitecer. Aumenta seu piar e grinfar até ocupar o lugar de dormir.

Reprodução

A espécie reproduz-se na Amazônia e nidifica no Sul nos meses mais quentes

Alimentação

As aves dessa espécie são rigorosamente entomófagas, sendo um dos maiores consumidores de plâncton aéreo, comem cupins, formigas, moscas e até abelhas.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
balanca-rabo-de-mascara-1.jpg
Balança-rabo-de-máscara - Polioptila dumicola196 viewsNome em Inglês

Masked Gnatcatcher

Caracterização: Tem cerca de 12 centímetros, e pesa menos de 7 gramas. Aparenta estar em busca contínua por alimentação. Seu lado superior é cinzento e a parte inferior é branca. O macho tem uma máscara negra no rosto.

Distribuição: Ocorre na Bolívia, Paraguai, Argentina, Uruguai e Brasil (sudeste do Pará, Goiás, Minas Gerais a São Paulo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso).

Habitat: Vive nos campos abertos, entre árvores espinhentas.

Hábitos: Mantém a cauda em constante movimento, quer vertical, quer lateralmente. Se excitado abre a mesma em leque, expondo a contrastante coloração branca e preta. Vive abertamente na copa das árvores, exposto ao vento e à forte insolação. Aprecia regiões áridas.

Alimentação: É uma ave insetívora.

Reprodução: Seu ninho é delicado, parecendo com o ninho dos beija-flores. Ele é dissimulado, por fora, por liquens presos por teias de aranha.

Manifestações Sonoras: Tem uma voz bonita e na primavera está sempre cantando muito suavemente. "grä", "zeret-grä" (chamada; advertência).

REFERÊNCIAS: - NATIVE
beija-flor-rubi-femea.jpg
Beija flor rubi - Clytolaema rubricauda195 views
Nome em Inglês

Brazilian Ruby

Na época de reprodução o macho realiza semi-circulos em volta da fêmea abrindo e fechando as asas, causando contraste com as penas claras da cauda ao mesmo tempo em que exibe o a cor rubi brilhante da garganta.

Constrói o ninho em formato de tigela com de fiapos de material macio (xaxim) e externamente enfeitado com pedaços de liquens grudados com teia de aranha. Geralmente é colocado num ramo horizontal ou forquilha de galhos.

Como a maior parte das espécies de beija-flor, a fêmea põe 2 ovos brancos e é responsável pela nidificação e alimentação dos filhotes.


REFERÊNCIAS: - WikiAves
coleirinho.jpg
Coleirinho - Sporophila caerulescens195 views
ft99-16a.jpg
Garça-branca-pequena195 views
urubu-de-cabeca-vermelha~1.jpg
Urubu de cabeça vewrmelha195 views
tie-preto.jpg
Tiê preto - Tachyphonus coronatus 194 viewsNome em Inglês

Ruby-crowned Tanager

Hábitos

O tiê-preto pode ser visto isolado, em pares, grupos de 3 ou 4 indivíduos ou mesmo em bandos maiores. O macho, quando excitado, exibe a mancha vermelha da cabeça (píleo) e movimenta as asas mostrando o branco das coberteiras inferiores das asas. Espécie de hábitos florestais, o tiê-preto é visto com mais freqüência ao visitar árvores frutíferas nas bordas ou nos arredores de matas e capoeirões. Vive em casais. É uma ave agitada, que freqüenta a folhagem de arbustos e de árvores, movimentando-se ativamente em busca de alimento.
do Espírito Santo ao Rio Grande do Sul, estendendo-se para oeste até o Mato Grosso do Sul. Encontrado também no Paraguai e Argentina.

Alimentação

Alimenta-se de frutos, sementes, flores e insetos, colhidos nas árvores a partir da altura média até o topo.

Reprodução

O ninho, em forma de tigela, é confeccionado com ramos, cipós e folhas, forrado internamente com finas raízes.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
ft99-12a.jpg
Canário-da-terra-verdadeiro194 views
catirumbava-1.jpg
194 views
sanhacu-de-fogo-femea.jpg
Sanhaçu-de-fogo194 views
urubu-de-cabeca-preta.jpg
Urubu-de-cabeça-preta - Coragyps atratus193 views
bico-chato-de-orelha-preta.jpg
Bico-chato-de-orelha-preta - Tolmomyias sulphurescens193 views
sabia-poca.jpg
Sabiá-poca - Turdus amaurochalinus193 viewsNome em Inglês

Creamy-bellied Thrush

Hábitos

Pousado ou no chão, possuem o característico hábito de balançar a cauda rapidamente na vertical. O piado de contato é traduzido por póca, nome tupim para barulho.

Há ocorrência dessa espécie em quase todos os estados do Brasil e na Argentina. Seu período migratório vai dos meses de maio a agosto.

Reprodução

Em agosto inicia-se a reprodução. Nessa época, aparecem as aves com o bico amarelo vivo, uma característica ligada à reprodução. Aves juvenis ou adultos fora do período reprodutivo têm o bico escuro ou com diferentes proporções de amarelo. Nidifica em arbustos isolados. O ninho apresenta formato de tijela, é feito com raízes e fibras com acabamento de barro nas paredes laterais dando solidez, dentro há um acolchoado de raízes finas e macias sem o barro. Coloca 3 a 4 ovos, bojudos e com a ponta alongada, azul-esverdeado com manchas e pintas ferrugíneas. O casal fica junto no período de incubação.

Alimentação

Alimentam-se de invertebrados e pequenos frutos, principalmente no solo. Como outros sabiás, gostam de ciscar com o bico as folhas secas e escavar o chão. A cada movimento com o bico para a lateral, dão um salto para trás e ficam procurando presas, imóveis por alguns segundos. Se nada aparece, saltam para a frente, ciscam e retornam à posição original. Quando os frutos das figueiras estão caindo no chão, concentram-se sob a árvore e fartam-se.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
gar13a.jpg
Rolinha-roxa - Columbina talpacoti193 viewsNome em Inglês

Ruddy Ground-Dove


O macho, com penas marrom avermelhada, cor dominante no corpo do adulto, em contraste com a cabeça, cinza azulada. A fêmea é toda parda. Nos dois sexos, sobre a asa uma série de pontos negros nas penas. filhote sai com traços da plumagem de cada sexo.
Historicamente uma das primeiras espécies brasileiras a se adaptar ao meio urbano, ainda é a espécie nativa mais comum em boa parte das grandes cidades brasileiras. É curioso notar que costuma ser encontrada em maior quantidade em locais alterados pelo homem do que em seu próprio habitat original que são as áreas de cerrados e campos.

Alimenta-se de grãos encontrados no chão. Havendo alimento, reproduz-se o ano inteiro.

Ocorre em todo o Brasil, mas é ausente das áreas densamente florestadas da Amazônia.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
Ft560R2AW24-06a.jpg
Gaivota-de-cabeça-cinza193 views
bico-de-lacre-2.jpg
Bico de lacre - Estrilda astrild192 views
Nome em Inglês

Common Waxbill

Hábitos

É comum em campos e terrenos baldios nas cidades. Originário da África, o bico-de-lacre foi trazido para o Brasil em navios negreiros para servir como pássaro de estimação, durante o reinado de D. Pedro I. Tendo escapado das gaiolas, inicialmente no Rio de Janeiro, espalhou-se por diversas regiões brasileiras. Vive em bandos de cerca de 6 indivíduos.
Ocorre nos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Pernambuco, Pará, Amazonas, Mato Grosso, Maranhão, Distrito Federal, São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Reprodução

Faz ninho em arbustos fechados, de forma esférica ou oval, com paredes grossas feitas de capim, penas de galinha e algodão, acessível por um tubo estreito. Põe 3 ovos pequenos de cor branca, os quais são chocados pelo casal por cerca de 11 dias.

Alimentação

Alimenta-se basicamente de sementes de gramíneas africanas, como o capim-colonião e o capim-elefante, introduzidos em nosso País para a formação de pastagens.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
sanacu-cinzento.jpg
Sanhaçu-cinzento - Tangara sayaca192 views
picapauzinho-de-testa-pintada.jpg
Picapauzinho-de-testa-pintada192 views
coruja-buraqueira-1.jpg
Coruja-buraqueira - Athene cunicularia192 viewsA coruja-buraqueira é uma ave da família Strigidae. Vive em buracos cavados no solo. Costumam habitar em campos, pastos, restingas, desertos, planícies, praias e aeroportos. Também são conhecidas pelos nomes de caburé, caburé-de-cupim, caburé-do-campo, coruja-barata, coruja-do-campo, coruja-mineira, corujinha-buraqueira, corujinha-do-buraco.
corruira.jpg
Corruíra - Troglodytes musculus191 viewsNome em Inglês

Southern House-Wren

Caracterização: Tem 12 centímetros de comprimento. O barrado perceptível na plumagem das asas, a cauda e os flancos amarronzados, o bico comprido e hábito empertigado de portar sua cauda são as características principais de identificação.

Distribuição: Pode ser encontrada em todas as Américas.

Habitat: É comum em casas, jardins, capoeiras, brejos, e beiras de matas.

Hábitos: É de índole inquieta. Locomove-se às vezes no solo pulando através da ramaria e da folhagem. Gosta de tomar banho de mergulho, sobretudo quando já foi meio molhada pela chuva. Dorme no próprio ninho. O indivíduo pode fazer um pequeno ninho para dormir sozinho.

Alimentação: É onívoro, em seu cardápio predominam artrópodes e suas larvas, mas também comem lagartixas, sementes e restos de frutinhas.

Reprodução: Aninha debaixo de telhas, em ocos de paus e aceita, prontamente, uma casinha de passarinho, se a abertura da entrada não for grande demais dando passagem fácil a inimigos.

Manifestações Sonoras: O macho emite uma estrofe curta, de notas altas, e na presença da fêmea, produz estalidos "tak". A fêmea responde com um "kret-kret".

REFERÊNCIAS: - }»» NATIVE ««{
garibaldi-bando.jpg
Garibaldi - Chrysomus ruficapillus190 viewsNome em Inglês

Chestnut-capped Blackbird

Hábitos

Vive nas paisagens úmidas, banhados e brejos, em bandos numerosos.

São aves fortemente associadas a água. Pode se tornar pragas agrícolas, especialmente em lavouras de arroz alagado.
Ocorre nos estados do Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul.

Alimentação

Alimenta-se basicamente de frutas, sementes e pequenos insetos. Aprecia arroz com casca.

Reprodução

Seu ninho, em forma de tigela, é geralmente construído entre as folhas de taboas. Os ovos, cerca de três, são levemente azulados com pequenas manchas escuras.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
beija-flor-tesoura-1.jpg
Beija-flor-tesoura - Eupetomena macroura190 views
Nome em Inglês

Swallow-tailed Hummingbird

Caracterização: Tem 18 centímetros de altura e 9 gramas de peso. Este beija-flor é um dos maiores e pode ser reconhecido pela cauda bifurcada, que toma quase 2/3 se seu tamanho total. Possui a cabeça e o pescoço azuis, sendo a coloração do resto da plumagem verde-escura brilhante.

Distribuição: Ocorre em todo Brasil, exceto em certas regiões da Amazônia.

Habitat: É observado em capoeiras, jardins, quintais, pomares, cidades e em outras áreas abertas.

Hábitos: Durante as horas da sua maior atividade é muito agressivo. Toma banho na chuva. Tem necessidade de tanta limpeza devido, ao constante contato com o líquido viscoso das flores. Gosta de tomar banho de sol e se espreguiça após o descanso. Dorme de bico para a frente, a cabeça um pouco levantada, posição semelhante a que assume durante a chuva e quando canta. Coloca freqüentemente as asas por baixo da cauda. Pousa abertamente num galho fino para dormir. Costuma apanhar insetos quando está quase escuro.

Alimentação: Alimenta-se quase que exclusivamente em vôo e são adaptados para sugar o néctar das flores. Também come insetos e aranhas.

Reprodução: O ninho tem forma de tigelinha, é colocado num galho horizontal, tecido com raízes e teias de aranha e é ornado por fora com liquens. Põe dois ovos brancos nos meses de janeiro e fevereiro. Somente a fêmea incuba os ovos; os filhotes nascem após 15 dias.

Manifestações Sonoras: Tem voz aguda, às vezes, a vocalização eacute; quase inaudível para nós. Possui vozes diferentes para expressar ataque, arma, etc., freqüentemente entonadas em vôo.

Curiosidades: Os beija-flores estão entre as pouquíssimas aves que possuem a capacidade de hibernar.

REFERÊNCIAS: - }»» NATIVE ««{
gar10a.jpg
Neinei - Megarynchus pitangua190 viewsNome em Inglês

Boat-billed Flycatche

Habita florestas, paisagens abertas com árvores espassas e cerrados, vive nas copas da mata.
Ave migratória, sendo encontrada nos meses mais quentes do ano.
Seu grande bico o ajuda a apanhar os insetos e as frutinhas dos quais se alimenta. Já foi visto pescando pequenos peixes e caçando pequenos lagartos e filhotes de outras aves.
O ninho é contruído com ramos secos. A fêmea põe de 2 a 3 ovos, o ninho é pequemo e situado nas partes altas das árvores isoladas.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
032.JPG
Águia-cinzenta - (Urubitinga coronata)190 views
042.JPG
Águia-cinzenta - (Urubitinga coronata)190 views
arara-caninde-1.jpg
Arara canindé190 views
bico-chato-de-orelha-preta-1.jpg
Bico-chato-de-orelha-preta - Tolmomyias sulphurescens189 views
ft82-04a.jpg
Gaturamo-verdadeiro - Euphonia violacea189 viewsNome Inglês: Violaceous Euphonia


Família: Fringillidae

Habitat: Podemos encontra-lo na amazônia brasileira, no Nordeste (excetona caatinga), e em direção sul até o Rio Grande do Sul. Encontrado também nas Guianas, Venezuela, Paraguai e Argentina.

Alimentação: Alimentam-se de frutos e eventualmente insetos os gaturamos possuem moela degenerada, ou seja, possuem baixa capacidade de processamento mecânico dos alimentos ingeridos. O alimento é pouco aproveitado e eliminado poucos minutos após a ingestão.

Reprodução: Por volta de um ano de idade atinge a maturidade sexual, faz os ninhos em cavidades de troncos. Cada postura tem em média quatro ovos brancos, pintalgados de vermelho, e incubados apenas pela fêmea por um período de aproximadamente 15 dias, tendo de 2 a 3 ninhadas por temporada.

Estado de Conservação: População estável sem maiores preocupações de preservação.

Comentários

O Gaturamo-verdadeiro é uma bela ave Sul-Americana que habita partes das Guianas, Suriname, Venezuela, Brasil até a Argentina. São conhecidos em algumas regiões pelos nomes de: gaturamo-imitador, gaturamo-itê, guiratã-de-coqueiro, tem-tem-de-estrela e tem-tem-verdadeiro, o macho costuma imitar as vocalizações de uma grande variedade de espécies. Tem tamanho aproximado de 12 cm de comprimento quando adultos, a espécie apresenta dimorfismo sexual bastante acentuado, os machos são coloridos de preto e amarelo brilhante, enquanto que as fêmeas e as aves juvenis têm cor olivácea. São bastante sociáveis e alimentam-se basicamente de frutos, eventualmente também comem insetos. Os gaturamos possuem moela degenerada, ou seja, tem baixa capacidade de processamento mecânico dos alimentos ingeridos, o alimento é pouco aproveitado sendo eliminado poucos minutos após a ingestão, o que os leve a uma procura constante de alimentos. Habitam bordas de floresta, clareiras, floresta secundária e plantações, e são encontrados também em áreas urbanas, arborizadas, evitando áreas abertas mais áridas, vive aos pares ou em pequenos grupos, junta-se com freqüência a bandos mistos de aves. Atingem a maturidade sexual por volta de um ano de idade constroem os ninhos em cavidades de troncos, cada postura tem em média quatro ovos brancos que são incubados apenas pela fêmea por um período de 15 dias.

About this species

The Violaceous – Euphonia is a beautiful South American bird that inhabits parts of the Guianas, Suriname, Venezuela, Brazil until Argentina. They are known in some regions by the names of: "gaturamo-imitador", " gaturamo-itê", "guiratã-de-coqueiro", "tem-tem-de-estrela" and "tem-tem-verdadeiro" . The he-bird uses to imitate the vocalization of a great variety of species. It is approximately 12 cm long when an adult. The species shows a severe sexual dysmorphism . The he-bird is black and shiny yellow, whereas the young she-birds are olivaceous. They are very sociable, and feed basically on fruit, and eventually insects. They have a deformed gizzard, which means they have very poor grinding of ingested food. Hence very little of the food is absorbed, leading to a constant search of food. They inhabit edges of forest, clearings, secondary forest and plantations, and can also be spotted in urban, woody areas, avoiding more arid open areas. They live in pairs or in small groups, one frequently join flocks of mixed birds. They reach sexual maturity around one year old. They build their nests in holes of trunks. They lay about an average of four white eggs that they are bred only by the she-bird for a period of 15 days.
ft65-04a.jpg
Sabiá laranjeira - Turdus rufiventris189 views
Nome em Inglês

Rufous-bellied Thrush

Hábitos

É comum em bordas de florestas, parques, quintais e áreas urbanas arborizadas. Vive solitário ou aos pares, pulando no chão. Em regiões mais secas é, de certa forma, restrito a áreas próximas à água.
É uma ave que convive bem com ambientes modificados pelo homem, seja no campo ou na cidade, desde que tenha oportunidades de encontrar abrigo e alimento.

Presente do Maranhão ao Rio Grande do Sul, é o sabiá mais conhecido do Sudeste, sendo menos numeroso no Nordeste. Migra para regiões mais quentes no inverno. Encontrado também na Bolívia, Paraguai, Argentina e Uruguai.

Reprodução

Macho e fêmea constroem o ninho juntos utilizando gravetos, fibras vegetais e barro, onde a fêmea coloca de 3 a 4 ovos, de coloração esverdeada com pintas cor de ferrugem. O período de incubação dura em torno de 14 dias.

Alimentação

Sua nutrição se compõe basicamente de insetos, larvas, minhocas, e frutas maduras, incluindo frutas cultivadas como o mamão, a laranja e o abacate. Come coquinhos de várias espécies de palmeiras e de espécies introduzidas, como o dendê. Cospe os caroços após cerca de 1 hora, contribuindo assim para a dispersão dessas palmeiras, comportamento apresentado também por outros sabiás. Ração de cachorro também atrai esta espécie, podendo servir de alimento em cidades grandes com menor disponibilidade de alimentos naturais.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
papagaio-verdadeiro.jpg
Papagaio verdadeiro189 views
udu-de-coroa-azul.jpg
Udu de coroa azul189 views
socozinho.jpg
Socozinho - Butorides striata188 viewsNome Inglês: Striated Heron

Família: Ardeidae

Habitat: O socozinho é uma ave aquática muito comum em áreas alagada, pode ser visto em todo o território brasileiro, nas regiões de clima quente da América, África, Ásia, Austrália e ilhas do Oceano Pacífico.

Alimentação: Permanece imóvel por longos períodos, empoleirado sobre a água ou em suas proximidades, à espera de presas, que podem ser, peixes, insetos aquáticos, caranguejos, moluscos, anfíbios e répteis.

Reprodução: No período reprodutivo, costuma fazer seus ninhos separado das demais aves da família ou mesmo da espécie geralmente, nidifica solitário, podendo associar-se a outros indivíduos formando colônias de nidificação no período de reprodução, a incubação leva em torno de 26 dias os novos individuos deixaram os ninhos por volta de trinta dias após o nascimento.

Estado de Conservação: A espécie encontra-se estável sem maiores preocupações.

Comentários

O socozinho é uma espécie de socó com ampla distribuição nas áreas alagadas das Américas e em grande parte do mundo, chega a medir até 36 centímetros comprimento, possuindo capuz e topete nucal negros, pescoço acinzentado, peito com estrias ferrugem, dorso estriado de marrom, pernas amarelas e curtas. Também é conhecida pelos nomes de , garça-socoí, maria-mole, socó-boi, socó-estudante, socoí, socó-mijão, socó-mirim e socó-tripa.

san04a.jpg
Vira bosta - Molothrus bonariensis188 views
Nome em Inglês

Shiny Cowbird

Habitam paisagens abertas como campos, pastos, parques e jardins. Entre junho e setembro são muito gregárias, concentrando-se em pousos noturnos comunitários ou buscando alimentos em gramados e áreas campestres com capim baixo. Nessas concentrações, é possível observar os machos ameaçando-se mutuamente com seu característico comportamento de apontar o bico para cima e caminhar em direção ao oponente com as penas brilhando ao sol.
O hábito de fuçar nas fezes do gado a procura de sementes mal digeridas lhe confere seu nome popular vira-bosta. Segue o gado para capturar os insetos por ele deslocados. Aprende a comer em comedouros artificiais de aves, a catar migalhas em locais públicos e a seguir arados para capturar minhocas e outros pequenos animais. É considerado uma praga agrícola, especialmente em arrozais do sul do país. Os machos se exibem para as fêmeas com vôos curtos nos quais cantam sem parar, arrepiam suas penas e batem as asas semi-abertas e também com apresentações que envolvem eriçar as penas, balançando-as rapidamente e vocalizar. Sua vocalização atinge frequências inaudíveis para os seres humanos.

Ocorre em todo o Brasil e America do sul, menos na cordilheira dos Andes.

Reprodução

Entre julho e dezembro marca o início da reprodução, mas é após o acasalamento que inicia-se a fase pela qual a espécie é mais conhecida. Esta espécie não constrói ninho e a fêmea põe 4 ou 5 ovos por postura, sendo 1 no ninho de cada hospedeiro. Porém, em ninhos de sabiá-do-campo(Mimus saturninus) e joão-de-barro(Furnarius rufus), já foram encontrados 35 e 14 ovos de vira-bosta, respectivamente.Para chegar ao ninho hospedeiro, segue os “futuros pais adotivos”. Os ovos são de colorido uniforme e com a casca sem brilho, branco-esverdeados, vermelho-claros ou verdes, ou ainda com manchas e pintas, conforme a região geográfica. O tico-tico (Zonotrichia capensis) é muito parasitado e a adaptação vantajosa para o vira-bosta é a postura de seu ovo antes, ou no mesmo dia, daquela do primeiro ovo do hospedeiro. Como o período de incubação do vira-bosta é de 11 ou 12 dias, um a menos do que o do tico-tico, seu filhote, que é bem maior, nasce antes. Desta forma, o filhote do vira-bosta pode eliminar do ninho seus companheiros tico-ticos ou receber mais alimento, tendo maior probabilidade de sobrevivência. Quando abandona o ninho o filhote vira-bosta é alimentado pelos pais adotivos por 15 dias, solicitando alimento no bico através de um chamado característico, abaixando o corpo e tremulando as asas.

Alimentação

Alimenta-se de insetos e sementes.

REFERÊNCIAS: - Aves Pantanal
dom01a.jpg
Pica-pau-verde-barrado - Colaptes melanochloros188 viewsNome em Inglês

Green-barred Woodpecker

Hábitos

Vive em matas de galeria, cerrados, cerradões, caatingas, campos com árvores e na borda de florestas. É cada vez mais comum em áreas urbanas.
Ocorre desde a foz do rio Amazonas (Ilha de Marajó) até o Rio Grande do Sul, e para oeste até o Mato Grosso. É encontrado também no Paraguai, Argentina e Uruguai.

Reprodução

No período reprodutivo (a partir de julho), os machos iniciam a temporada de canto territorial. A timidez do resto do ano desaparece, dando lugar a uma vocalização intensa, contínua, especialmente nos períodos matinais. Nessas ocasiões, escolhe alguns pousos tradicionais em galhos altos, vários expostos. Pode cantar durante dias no mesmo lugar.

Alimentação

Apresenta uma série de adaptações para a alimentação e locomoção. Para capturar formigas e cupins, por exemplo, produz uma secreção que age como uma cola pegajosa, dando à língua a capacidade preensora de uma vara com visgo. Além disso, a cauda age como órgão de apoio para substratos verticais. Para subir um tronco, o pica-pau pula para cima, de pés paralelos, “sentando” na cauda a cada parada. Através da ramaria horizontal, entretanto, pula como uma gralha. Para demarcar território, advertindo rivais, e como meio de comunicação entre machos e fêmeas, executam tamborilações. Essas consistem em bater com o bico em paus secos, cascas salientes, troncos ocos e até em chapas de aço, simplesmente para produzir rumor. Alimenta-se de formigas e larvas de outros insetos, principalmente besouros. Desce até os arbustos e o solo para coletar as primeiras. Come também frutos carnosos, principalmente no inverno, quando diminui a quantidade de insetos.

REFERÊNCIAS: - WikiAves

Ft560R2AW24-19a.jpg
Maçarico-branco188 views
biguatinga-1.jpg
Biguatinga188 views
gralha-picaca-1.jpg
Gralha picaça188 views
garca-branca-grande.jpg
Garça-branca-grande - Ardea alba187 views
Nome Inglês: Great Egret

Família: Ardeidae

Habitat: Em lagos, represas, córregos e brejos da cidade, nos rios, áreas alagadas que contenham peixes, lagos, banhados açudes. Ocorre da América do Norte ao estreito de Magalhães, em todo Brasil, e também no Velho Mundo. No Brasil é encontrada principalmente no Pantanal, costas do sudeste, nordeste, norte e rios de todo o território.

Alimentação: Peixes, insetos aquáticos, pequenos roedores e alguns anfíbios.

Reprodução: No período que antecede a reprodução, um grande número de garças-brancas-grandes podem ser encontradas nos lagos, rios, represas, constroem o ninho, grande e feito de gravetos, em ninhais que podem ter milhares de indivíduos de várias espécies de aves aquáticas.

Estado de Conservação: Sem preocupações, sua população encontra-se estável.
Comentários

Trata-se de uma ave completamente branca, a não ser pelo bico, longo e amarelado, e as pernas e dedos pretas. Mede, em média, 90 cm. Apresenta enormes egretes no período reprodutivo. A íris é amarela.
garca-moura.jpg
Garça-moura - Ardea cocoi187 viewsNome em Inglês

Cocoi Heron

Habita beiras de lagos de água doce, rios, estuários, manguezais e alagados.
Fica pousada nas margens dos rios e riachos, em meio à vegetação, pescando peixes, rãs, pererecas, caranguejos, moluscos e pequenos répteis.
Maior representante da família no Brasil, está presente em todo o País, podendo ser encontrado também do Panamá ao Chile e Argentina, e nas Ilhas Malvinas.
Longo período de nidificação (janeiro a outubro), desde o meio da estação de cheia até a baixa das águas. Ocupa os grandes ninhais coletivos. Seus ninhos, geralmente estão na parte superior e externa das árvores mais altas. Ali nascem 3 ou 4 filhotes por ninhada, a qual é chocada e cuidada pelo casal.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
Garcawiki.jpg
Garça-branca-grande - Ardea alba187 viewsNome Inglês: Great Egret

Família: Ardeidae

Habitat: Em lagos, represas, córregos e brejos da cidade, nos rios, áreas alagadas que contenham peixes, lagos, banhados açudes. Ocorre da América do Norte ao estreito de Magalhães, em todo Brasil, e também no Velho Mundo. No Brasil é encontrada principalmente no Pantanal, costas do sudeste, nordeste, norte e rios de todo o território.

Alimentação: Peixes, insetos aquáticos, pequenos roedores e alguns anfíbios.

Reprodução: No período que antecede a reprodução, um grande número de garças-brancas-grandes podem ser encontradas nos lagos, rios, represas, constroem o ninho, grande e feito de gravetos, em ninhais que podem ter milhares de indivíduos de várias espécies de aves aquáticas.

Estado de Conservação: Sem preocupações, sua população encontra-se estável.
Comentários

Trata-se de uma ave completamente branca, a não ser pelo bico, longo e amarelado, e as pernas e dedos pretas. Mede, em média, 90 cm. Apresenta enormes egretes no período reprodutivo. A íris é amarela.
Ft560R2AW24-04a.jpg
Gaivota-de-cabeça-cinza187 views
martim-pescador-grande~1.jpg
Martim pescador grande187 views
martim-pescador-pequeno.jpg
Martim pescador pequeno187 views
tuiuiu-3.jpg
Tuiuiu - Jabiru mycteria187 viewsO Tuiuiú é uma ave pernalta, tem pescoço nu, preto, e, na parte inferior, o papo também nu e vermelho. A plumagem do corpo é branca e a das pernas é preta. Ele chega a ter 1,4 metros de comprimento 1,60 de altura, e pesar 8 kg. Pode chegar a quase 3 metros de envergadura(medida de uma ponta da asa aberta à outra). O distância do bico tem 30 cm, é preto e muito forte e a fêmea, geralmente, é menor que o macho.
beija-flor-tesoura.jpg
Beija-flor-tesoura - Eupetomena macroura186 views
ome em Inglês

Swallow-tailed Hummingbird

Caracterização: Tem 18 centímetros de altura e 9 gramas de peso. Este beija-flor é um dos maiores e pode ser reconhecido pela cauda bifurcada, que toma quase 2/3 se seu tamanho total. Possui a cabeça e o pescoço azuis, sendo a coloração do resto da plumagem verde-escura brilhante.

Distribuição: Ocorre em todo Brasil, exceto em certas regiões da Amazônia.

Habitat: É observado em capoeiras, jardins, quintais, pomares, cidades e em outras áreas abertas.

Hábitos: Durante as horas da sua maior atividade é muito agressivo. Toma banho na chuva. Tem necessidade de tanta limpeza devido, ao constante contato com o líquido viscoso das flores. Gosta de tomar banho de sol e se espreguiça após o descanso. Dorme de bico para a frente, a cabeça um pouco levantada, posição semelhante a que assume durante a chuva e quando canta. Coloca freqüentemente as asas por baixo da cauda. Pousa abertamente num galho fino para dormir. Costuma apanhar insetos quando está quase escuro.

Alimentação: Alimenta-se quase que exclusivamente em vôo e são adaptados para sugar o néctar das flores. Também come insetos e aranhas.

Reprodução: O ninho tem forma de tigelinha, é colocado num galho horizontal, tecido com raízes e teias de aranha e é ornado por fora com liquens. Põe dois ovos brancos nos meses de janeiro e fevereiro. Somente a fêmea incuba os ovos; os filhotes nascem após 15 dias.

Manifestações Sonoras: Tem voz aguda, às vezes, a vocalização eacute; quase inaudível para nós. Possui vozes diferentes para expressar ataque, arma, etc., freqüentemente entonadas em vôo.

Curiosidades: Os beija-flores estão entre as pouquíssimas aves que possuem a capacidade de hibernar.

REFERÊNCIAS: - }»» NATIVE ««{
bico-de-lacre.jpg
Bico de lacre - Estrilda astrild186 views
Nome em Inglês

Common Waxbill

Hábitos

É comum em campos e terrenos baldios nas cidades. Originário da África, o bico-de-lacre foi trazido para o Brasil em navios negreiros para servir como pássaro de estimação, durante o reinado de D. Pedro I. Tendo escapado das gaiolas, inicialmente no Rio de Janeiro, espalhou-se por diversas regiões brasileiras. Vive em bandos de cerca de 6 indivíduos.
Ocorre nos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Pernambuco, Pará, Amazonas, Mato Grosso, Maranhão, Distrito Federal, São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Reprodução

Faz ninho em arbustos fechados, de forma esférica ou oval, com paredes grossas feitas de capim, penas de galinha e algodão, acessível por um tubo estreito. Põe 3 ovos pequenos de cor branca, os quais são chocados pelo casal por cerca de 11 dias.

Alimentação

Alimenta-se basicamente de sementes de gramíneas africanas, como o capim-colonião e o capim-elefante, introduzidos em nosso País para a formação de pastagens.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
saira-militar.jpg
Saíra militar - Tangara cyanocephala186 viewsNome em Inglês

Red-necked Tanager

Família: Thraupidae


Ocorre no Sudeste e Sul do Brasil, com populações isoladas no Nordeste.

Alimentação

Frutinhas, insetos, larvas e nectar/pólem de flores. Frequentam pomares. Comumente são vistas alimentando-se em pequenos arbustos e até mesmo sobre vegetação rasteira.

Reprodução

Reproduz-se de setembro a dezembro. Ninhos em formato de taça com 3 ovos, geralmente feito em bromélias e emaranhados de epífitas, à média e elevada altura. Macho e fêmea cuidam dos filhotes.

Apresenta três subespécies:

Tangara cyanocephala cyanocephala

Habita desde o sul do Espírito Santo até o Rio Grande do Sul, mais o Paraguai e norte da Argentina.

Tangara cyanocephala coralina

Do litoral de Pernambuco até o Espírito Santo.

Tangara cyanocephala cearensis

Serra do Baturité, no Ceará.

garca-moura~2.jpg
Garça-moura - Ardea cocoi186 viewsNome em Inglês

Cocoi Heron

ave02a.jpg
Sabiá-do-campo - Mimus saturninus186 viewsFoto - Edgard Thomas
gaviao-belo-3.jpg
Gavião belo186 views
periquito-de-cabeca-preta.jpg
Periquito de cabeça preta - Aratinga nenday186 views
bacurau.jpg
Bacurau - Nyctidromus albicollis185 views
martim-pescador-grande.jpg
Martim pescador grande - 185 views
lgo05a.jpg
Beija-flor-tesoura - Eupetomena macroura185 viewsNome em Inglês

Swallow-tailed Hummingbird

Caracterização: Tem 18 centímetros de altura e 9 gramas de peso. Este beija-flor é um dos maiores e pode ser reconhecido pela cauda bifurcada, que toma quase 2/3 se seu tamanho total. Possui a cabeça e o pescoço azuis, sendo a coloração do resto da plumagem verde-escura brilhante.

Distribuição: Ocorre em todo Brasil, exceto em certas regiões da Amazônia.

Habitat: É observado em capoeiras, jardins, quintais, pomares, cidades e em outras áreas abertas.

Hábitos: Durante as horas da sua maior atividade é muito agressivo. Toma banho na chuva. Tem necessidade de tanta limpeza devido, ao constante contato com o líquido viscoso das flores. Gosta de tomar banho de sol e se espreguiça após o descanso. Dorme de bico para a frente, a cabeça um pouco levantada, posição semelhante a que assume durante a chuva e quando canta. Coloca freqüentemente as asas por baixo da cauda. Pousa abertamente num galho fino para dormir. Costuma apanhar insetos quando está quase escuro.

Alimentação: Alimenta-se quase que exclusivamente em vôo e são adaptados para sugar o néctar das flores. Também come insetos e aranhas.

Reprodução: O ninho tem forma de tigelinha, é colocado num galho horizontal, tecido com raízes e teias de aranha e é ornado por fora com liquens. Põe dois ovos brancos nos meses de janeiro e fevereiro. Somente a fêmea incuba os ovos; os filhotes nascem após 15 dias.

Manifestações Sonoras: Tem voz aguda, às vezes, a vocalização eacute; quase inaudível para nós. Possui vozes diferentes para expressar ataque, arma, etc., freqüentemente entonadas em vôo.

Curiosidades: Os beija-flores estão entre as pouquíssimas aves que possuem a capacidade de hibernar.

REFERÊNCIAS: - }»» NATIVE ««{
arapacu-rajado.jpg
Arapaçu-rajado185 views
MTK01A.jpg
Periquito-de-encontro-amarelo - Brotogeris chiriri184 viewsNome em Inglês

Yellow-chevroned Parakeet

Caracterização: Tem cerca de 23,5 centímetros. Sua plumagem verde contrasta com as penas amarelas que tem na margem das asas e com um anel branco ao redor dos olhos.

Distribuição: Ocorre na Bolívia, Paraguai, Argentina e Brasil (do Mato Grosso e Goiás ao sul do Pará, Maranhão, Bahia, Minas Gerais e São Paulo).

Habitat: Vive no cerrado, na mata de galeria, caatinga arbórea, pomares.

Hábitos: Quando ameaçado por algum perigo, fica às vezes, pendurado em um galho, de ponta-cabeça. Assim que a ameaça vai embora, sai irrompendo em gritos.

Alimentação: Gosta de sementes e de frutos nativos.

Reprodução: A partir de setembro o casal perfura cupins arborícolas, onde põe dois ovos de cor branca. Quando os filhotes nascem, novembro e dezembro, as famílias reúnem-se formando bandos numerosos e barulhentos.

Manifestações Sonoras: Vocaliza forte e continuamente um "tchiri", "tchi-ri-ri

REFERÊNCIAS: - }»» NATIVE ««{
Ft560R2AW24-18a.jpg
Batuíra-de-coleira184 views
carcara-2.jpg
Carcará184 views
gaviao-belo-1.jpg
Gavião belo184 views
gaviao-belo-2.jpg
Gavião belo184 views
principe.jpg
Principe - Pyrocephalus rubinus184 viewsO macho, em plumagem de reprodução, é inconfundível. O vermelho vivo da parte ventral contrasta com o dorso escuro. Atrás dos olhos, uma linha escura reforça o contraste e torna-o único. Na fêmea, no macho juvenil e no macho adulto, entre março e julho, a plumagem da região ventral é cinza clara com estrias mais escuras. Barriga com penas levemente róseo alaranjado ou amareladas (juvenis) ou avermelhadas(adulto). A linha escura atrás dos olhos presente, com o dorso em tom escuro, embora menos contrastante do que na plumagem reprodutiva.
mutum-de-penacho-f.jpg
Mutum de penacho 184 views
mutum-de-penacho-m.jpg
Mutum de penacho184 views
pato.jpg
Frango d'água comum184 views
pernilongo.jpg
Pernilongo de costas brancas184 views
corruira~0.jpg
Corruíra - Troglodytes musculus183 viewsNome em Inglês

Southern House-Wren

Caracterização: Tem 12 centímetros de comprimento. O barrado perceptível na plumagem das asas, a cauda e os flancos amarronzados, o bico comprido e hábito empertigado de portar sua cauda são as características principais de identificação.

Distribuição: Pode ser encontrada em todas as Américas.

Habitat: É comum em casas, jardins, capoeiras, brejos, e beiras de matas.

Hábitos: É de índole inquieta. Locomove-se às vezes no solo pulando através da ramaria e da folhagem. Gosta de tomar banho de mergulho, sobretudo quando já foi meio molhada pela chuva. Dorme no próprio ninho. O indivíduo pode fazer um pequeno ninho para dormir sozinho.

Alimentação: É onívoro, em seu cardápio predominam artrópodes e suas larvas, mas também comem lagartixas, sementes e restos de frutinhas.

Reprodução: Aninha debaixo de telhas, em ocos de paus e aceita, prontamente, uma casinha de passarinho, se a abertura da entrada não for grande demais dando passagem fácil a inimigos.

Manifestações Sonoras: O macho emite uma estrofe curta, de notas altas, e na presença da fêmea, produz estalidos "tak". A fêmea responde com um "kret-kret".

REFERÊNCIAS: - }»» NATIVE ««{
dgo11a.jpg
Periquito-de-encontro-amarelo - Brotogeris chiriri183 viewsNome em Inglês

Yellow-chevroned Parakeet

Caracterização: Tem cerca de 23,5 centímetros. Sua plumagem verde contrasta com as penas amarelas que tem na margem das asas e com um anel branco ao redor dos olhos.

Distribuição: Ocorre na Bolívia, Paraguai, Argentina e Brasil (do Mato Grosso e Goiás ao sul do Pará, Maranhão, Bahia, Minas Gerais e São Paulo).

Habitat: Vive no cerrado, na mata de galeria, caatinga arbórea, pomares.

Hábitos: Quando ameaçado por algum perigo, fica às vezes, pendurado em um galho, de ponta-cabeça. Assim que a ameaça vai embora, sai irrompendo em gritos.

Alimentação: Gosta de sementes e de frutos nativos.

Reprodução: A partir de setembro o casal perfura cupins arborícolas, onde põe dois ovos de cor branca. Quando os filhotes nascem, novembro e dezembro, as famílias reúnem-se formando bandos numerosos e barulhentos.

Manifestações Sonoras: Vocaliza forte e continuamente um "tchiri", "tchi-ri-ri

REFERÊNCIAS: - }»» NATIVE ««{
ft102-04a.jpg
Bico-de-pimenta - Saltatricula atricollis183 viewsNome Inglês: Black-throated Saltator

Nome científico: Saltatricula atricollis

Família: Thraupidae

Habitat: Ocorre desde o Mato Grosso do Sul à Bahia, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Goiás ao interior das regiões sudeste e Nordeste. Também ocorre no Paraguai e Bolívia.

Alimentação: Alimenta-se basicamente de sementes, podendo eventualmente comer alguns insetos.

Reprodução: Contrói o ninho em forma de taça em arbustos ou pequenas árvores, põe em média 3 ovos tendo 3 ninhadas por estação.

Estado de Conservação: Sem preocupações

Comentários

Habita o cerrado, campos cerrados, caatinga e campos adjacentes, vive em pequenos grupos ou em pares, executando gritarias coletivas ao amanhecer em busca de alimento entre os arbustos.
ft99-19a.jpg
Cochicho183 views
Surucua_variado.jpg
Surucuá-variado - Trogon surrucura aurantius183 views
periquito-rei-bando.jpg
Periquito rei183 views
ft73-07a.jpg
Tesourinha - Tyrannus savana182 views
Nome em Inglês

Fork-tailed Flycatcher

Migrante inconfundível, onde passa em grupos de até centenas de indivíduos
Consome grande quantidade de frutos no período de migração. Dispersa os frutos da erva-de-passarinho no cerrado, com sua característica semente onde um pé adesivo ressalta-se. A polpa envolvente é uma das fontes principais de abastecimento na migração para o norte, mas como não ingere a semente, limpa o bico nos galhos, deixando presa a semente da próxima erva-de-passarinho. Frutos podem ser vistos em fios e arames, resultado dessa limpeza do bico.Em vôo, consegue uma enorme destreza, alterando direção com facilidade, em perseguições mútuas ou à presa (insetos). Vivem no sul (Argentina, Paraguai e extremo sul do Brasil), em várias outras partes do Brasil, no Caribe e no sul do México. Depois do verão, as tesourinhas migram aos milhares para a região da Amazônia, onde permanecem até o inverno acabar. No início da primavera, cada uma volta para a sua região de origem.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
and01a.jpg
Andorinha-pequena-de-casa - Pygochelidon cyanoleuca182 viewsNome em Inglês

Blue-and-white Swallow

Hábitos

Passam a maior parte do dia voando, só pousando em árvores, antenas e fios de eletricidade para descansar ou quando o tempo está ruim.
É migratória, especialmente nos locais mais frios, mas ao contrário de outras espécies de andorinhas não realiza migrações muito longas.
Às vezes é vista fazendo vôos rasantes sobre lagos para beber água. Tem grande afinidade pelas habitações humanas. Muitas vezes são vistas voando dentro de grandes igrejas, e por isto são muito respeitadas.

Distribuição Geográfica

É uma das aves com distribuição mais ampla na América Latina, ocorrendo desde a Costa Rica até a Terra do Fogo, assim como desde o nível do mar até os Andes

Reprodução

Na natureza essas aves usam buracos em barrancos, escarpas e rochas tanto para nidificar quanto para pernoitar. Este hábito representou uma pré-adaptacao desta ave ao meio urbano, que se sente muito a vontade nas frestas de telhados ou qualquer outro espaço em nossas construções. O ninho é uma tigela feita de palha, as vezes cimentada com fezes de gado e recoberta por penas. Os ovos, geralmente de 3 a 5, são incubados pela fêmea enquanto o macho a alimenta. O casal se reveza na alimentação dos filhotes.

Alimentação

Sobrevoam os mais variados tipos de formações vegetais, mas são especialmente abundante em campos, especialmente na época de revoadas de formigas e cupins alados, quando formam bandos de dezenas de indivíduos nas áreas dos formigueiros e cupinzeiros.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
BJCB03a.jpg
Cambacica - Coereba flaveola182 viewsNome Inglês: Bananaquit

Família: Coerebidae

Habitat: Pode ser encontrada em quase a América do Sul e Central desde o México até á Argentina com exceção do Chile, vive sozinha ou aos pares é extremamente ativa, geralmente vive em áreas abertas com matas pequenas e arbustos principalmente os que dão flores.

Alimentação: Néctar, frutas, artrópodes e pequenos insetos gosta muito banana, mamão, jabuticaba e laranja.

Reprodução: O ninho para a reprodução é feito de palhas, folhas, capins e teias de aranhas, construido pelo casal onde a fêmea deposita dois ou três ovos sendo encubados exclusivamente pela fêmea.

Estado de Conservação: Sem preocupação, porém com a destruição do habitat natural já podemos encontá-los com mais facilidade em áreas urbanas.

About this species

It is found in almost all Central and South America ,from Mexico to Argentina, with the exception of Chile, It lives alone or in pairs,it is extremely active, generally lives in open areas with small bushes and shrubs, mainly the ones that give flowers. The nest for breeding is made of straw, leaves, grass and spider webs, and it's built by the pair, where the female lays two or three eggs which are incubated exclusively by the female.
qtl02a.jpg
Periquito-de-encontro-amarelo - Brotogeris chiriri182 viewsNome em Inglês

Yellow-chevroned Parakeet

Caracterização: Tem cerca de 23,5 centímetros. Sua plumagem verde contrasta com as penas amarelas que tem na margem das asas e com um anel branco ao redor dos olhos.

Distribuição: Ocorre na Bolívia, Paraguai, Argentina e Brasil (do Mato Grosso e Goiás ao sul do Pará, Maranhão, Bahia, Minas Gerais e São Paulo).

Habitat: Vive no cerrado, na mata de galeria, caatinga arbórea, pomares.

Hábitos: Quando ameaçado por algum perigo, fica às vezes, pendurado em um galho, de ponta-cabeça. Assim que a ameaça vai embora, sai irrompendo em gritos.

Alimentação: Gosta de sementes e de frutos nativos.

Reprodução: A partir de setembro o casal perfura cupins arborícolas, onde põe dois ovos de cor branca. Quando os filhotes nascem, novembro e dezembro, as famílias reúnem-se formando bandos numerosos e barulhentos.

Manifestações Sonoras: Vocaliza forte e continuamente um "tchiri", "tchi-ri-ri

REFERÊNCIAS: - }»» NATIVE ««{
ft99-01a.jpg
Beija-flor-tesoura182 views
saira-de-chapeu-preto.jpg
Saíra-de-chapéu-preto182 views
cardeal.jpg
Cardeal182 views
gaviao-belo.jpg
Gavião belo182 views
garca-branca-pequena.jpg
Garça-branca-pequena - Egretta thula181 views
ft77-04a.JPG
Sanhaçu-cinzento - Tangara sayaca181 views
Nome em Inglês

Sayaca Tanager

Quando um macho apronta-se para agredir outro, seu canto torna-se rouco e monótono. Anda quase sempre em casais ou pequenos bandos. Também é visto junto com outra espécie de sua família, como o sanhaçu-do-coqueiro, cujo canto é bem parecido.
Ocorre nas regiões tropicais e subtropicais ao sul da Amazônia e a leste dos Andes.

Vive normalmente na copa das árvores em busca dos frutos maduros, mas é intrépido o suficiente para apanhar também os caídos: preferindo até os que já estejam infestados de larvas, eventualmente também caça insetos em pleno voo.

O ninho, construído pelo casal é compacto, feito de pequenas raízes, musgos e pecíolos foliares, com um diâmetro externo de cerca de 11 cm. Fica escondido na vegetação densa, numa forquilha de árvore, em alturas variáveis. A fêmea põe de 2 a 3 ovos de cor branca pintados de marrom são semelhantes ao dos sabiás só que menores, e é responsável pela incubação que dura de 12 a 14 dias. O casal alimenta os filhotes, que deixam o ninho após 20 dias de idade.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
FtRAW110-02a.jpg
Guaracava-de-barriga-amarela181 views
gibao-de-couro-1.jpg
Gibão-de-couro181 views
saira-ferrugem~0.jpg
Saíra-ferrugem181 views
bem-te-vi-rajado~1.jpg
Bem-te-vi-rajado181 views
socozinho~0.jpg
Socozinho181 views
Socozinho-1~0.jpg
Socozinho181 views
arara-caninde.jpg
Arara canindé181 views
gaviao-preto.jpg
Gavião preto181 views
gralha-do-pantanal.jpg
Gralha pantaneira181 views
periquito-de-cabeca-preta-2.jpg
Periquito de cabeça preta - Aratinga nenday181 views
tuiuiu-4.jpg
Tuiuiu - Jabiru mycteria181 viewsO Tuiuiú é uma ave pernalta, tem pescoço nu, preto, e, na parte inferior, o papo também nu e vermelho. A plumagem do corpo é branca e a das pernas é preta. Ele chega a ter 1,4 metros de comprimento 1,60 de altura, e pesar 8 kg. Pode chegar a quase 3 metros de envergadura(medida de uma ponta da asa aberta à outra). O distância do bico tem 30 cm, é preto e muito forte e a fêmea, geralmente, é menor que o macho.
gralha-picaca.jpg
Gralha picaça181 views
periquito-rei.jpg
Periquito rei181 views
Ft560RAW42-09a.jpg
Primavera181 views
Ft560RAW42-10a.jpg
Maria-faceira181 views
arapacu-de-cerrado.jpg
Arapaçu de cerrado - Lepidocolaptes angustirostris180 views
ft83-03a.jpg
Sabiá-poca - Turdus amaurochalinus180 views
Nome em Inglês

Creamy-bellied Thrush

Hábitos

Pousado ou no chão, possuem o característico hábito de balançar a cauda rapidamente na vertical. O piado de contato é traduzido por póca, nome tupim para barulho.

Há ocorrência dessa espécie em quase todos os estados do Brasil e na Argentina. Seu período migratório vai dos meses de maio a agosto.

Reprodução

Em agosto inicia-se a reprodução. Nessa época, aparecem as aves com o bico amarelo vivo, uma característica ligada à reprodução. Aves juvenis ou adultos fora do período reprodutivo têm o bico escuro ou com diferentes proporções de amarelo. Nidifica em arbustos isolados. O ninho apresenta formato de tijela, é feito com raízes e fibras com acabamento de barro nas paredes laterais dando solidez, dentro há um acolchoado de raízes finas e macias sem o barro. Coloca 3 a 4 ovos, bojudos e com a ponta alongada, azul-esverdeado com manchas e pintas ferrugíneas. O casal fica junto no período de incubação.

Alimentação

Alimentam-se de invertebrados e pequenos frutos, principalmente no solo. Como outros sabiás, gostam de ciscar com o bico as folhas secas e escavar o chão. A cada movimento com o bico para a lateral, dão um salto para trás e ficam procurando presas, imóveis por alguns segundos. Se nada aparece, saltam para a frente, ciscam e retornam à posição original. Quando os frutos das figueiras estão caindo no chão, concentram-se sob a árvore e fartam-se.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
mico05a.jpg
Saíra-amarela - Tangara cayana180 viewsNome em Inglês

Burnished-buff Tanager

Habita matas abertas e ciliares, áreas cultivadas, parques e jardins. Vive aos pares ou em pequenos grupos.

Alimenta-se de frutos e insetos como cupins e vespas. Costuma freqüentar comedouros e árvores com frutos maduros, como a aroeira-vermelha.
O ninho, em forma de taça aberta, é feito com folhas, raízes e capins e envolto por finas raízes. Ele é colocado em ramos com folhas a cerca de 2 m do solo, em árvores baixas e isoladas. A postura consta normalmente de 2 ou 3 ovos.

É encontrado nas regiões Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste. Também ocorre no Paraguai e no norte da Argentina.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
db07a.jpg
Urubu de cabeça preta - Coragyps atratus180 viewsNome Inglês: Black Vulture

Família: Cathartidae

Habitat: Encontra-se dos Estados Unidos à praticamente toda a América do Sul, muito comuns em todo o Brasil em cidades, fazendas e áreas abertas, sua área de ocorrência tem-se expandido bastante com a colonização humana.

Alimentação: Carnívoro, tem como alimentação principal carcaças de animais mortos e outros materiais orgânicos em decomposição, come tambémde animais vivos principalmente filhotes de tartarugas e de outras aves.

Reprodução: Constroi o ninho em ocos de árvores mortas, entre pedras e rochedos, geralmente próximo de grandes arvores ou florestas, incuba dois ovos, por ninhada.

Estado de Conservação: Pouco preocupante
ft102-06a.jpg
João-bobo180 views
ft102-07a.jpg
João-bobo180 views
periquitao-maracana.jpg
Periquitão180 views
pica-pau-do-campo-3.jpg
Pica-pau-do-campo180 views
periquitao-maracana~1.jpg
Periquitão180 views
sai-azul-1~1.jpg
Saí-azul180 views
canario-da-terra-juvenil.jpg
Canário-da-terra180 views
Bico-de-lacre.jpg
Bico de lacre180 views
biguatinga.jpg
Biguatinga180 views
cabeca-seca.jpg
Cabeça seca180 views
IMG_8618.jpg
Carão180 views
arara-vermelha.jpg
Arara vermelha grande180 views
Ft560RAW42-07a.jpg
Caminheiro-zumbidor180 views
FtRAW110-03a.jpg
Gavião-carijó - Rupornis magnirostris179 viewsNome Inglês: Roadside Hawk

Nome científico: Rupornis magnirostris

Família: Accipitridae

Habitat: Habita em toda a América do Sul até ao México

Alimentação: Tem uma alimentação bem variada, roedores, insetos, répteis, anfíbios, ovos e filhotes de outras aves e até mesmo outrsa aves adultas menores que ele.

Reprodução: Constroi o ninho com gravetos revestido por folhas com cerca de meio metro de diâmetro, geralmente poe 2 ovos incubados somente pela fêmea por um período de 30 dias durante os quais ela é alimentada pelo macho, ficam muito agressivos durante o período da reprodução.

Estado de Conservação: Sem peocupações pois sua população está estável.
maritacas.jpg
Periquitão179 views
bem-te-vi~2.jpg
Bem te vi179 views
caminheiro-zumbidor.jpg
Caminheiro-zumbidor179 views
slg03a.jpg
Pica-pau-branco - Melanerpes candidus178 viewsNome em Inglês

White Woodpecker

Hábitos

Vive em áreas campestres, pastos, eucaliptais, capoeiras ralas, buritizais, plantações e áreas rurais. Vive também em cidades, parques, jardins, pomares, bordas de brejos arborizados e no Pantanal de Mato Grosso. Encontrado em grupos de 6 a 10 indivíduos, podendo chegar a 20, às vezes associado a outros tipos de aves campestres gregárias como o Pica-pau-do-campo.

Distribuição Geográfica

Presente em campos da foz do Rio Amazonas e na região de Óbidos, estendendo-se para as regiões campestres de todo o Brasil. Encontrado também no Suriname, Bolívia, Argentina, Paraguai e Uruguai.

Alimentação

Alimentam-se de insetos e suas larvas, sementes, frutos e mel. Caçam insetos, especialmente sob a casca. Atacam ninhos de marimbondos e vespas. Nessas ocasiões, é notável como esses insetos voam próximos ao pica-pau, sem atacá-los com seus ferrões. Procuram, avidamente, as larvas nas casas de marimbondo, destruindo-as por completo. Abre ninhos de abelhas indígenas como a irapuá (Trigona spinipes), para deles retirar larvas e adultos, prestando importante serviço aos citricultores pois a irapuá causa prejuízo à produção de cítricos, uma vez que corta com suas mandíbulas os botões florais, impedindo a formação de frutos. Ataca também cupinzeiros arborícolas e vem ao solo para capturar formigas. Além de insetos, alimentam-se de frutos, inclusive plantas cultivadas em pomares, como mamão, laranja, bananas.

REFERÊNCIAS: - Aves Pantanal
urubu-de-cabeca-vermelha~0.jpg
Urubu-de-cabeça-vermelha178 views
canario-da-terra-casal.jpg
Canário-da-terra178 views
gaviao-belo-4.jpg
Gavião belo178 views
tuiuiu-2.jpg
Tuiuiu - Jabiru mycteria178 viewsO Tuiuiú é uma ave pernalta, tem pescoço nu, preto, e, na parte inferior, o papo também nu e vermelho. A plumagem do corpo é branca e a das pernas é preta. Ele chega a ter 1,4 metros de comprimento 1,60 de altura, e pesar 8 kg. Pode chegar a quase 3 metros de envergadura(medida de uma ponta da asa aberta à outra). O distância do bico tem 30 cm, é preto e muito forte e a fêmea, geralmente, é menor que o macho.
Ft560RAW42-06a.jpg
Biguá178 views
ft82-03a.jpg
Gaturamo-verdadeiro - Euphonia violacea (Fêmea)177 viewsNome Inglês: Violaceous Euphonia


Família: Fringillidae

Habitat: Podemos encontra-lo na amazônia brasileira, no Nordeste (excetona caatinga), e em direção sul até o Rio Grande do Sul. Encontrado também nas Guianas, Venezuela, Paraguai e Argentina.

Alimentação: Alimentam-se de frutos e eventualmente insetos os gaturamos possuem moela degenerada, ou seja, possuem baixa capacidade de processamento mecânico dos alimentos ingeridos. O alimento é pouco aproveitado e eliminado poucos minutos após a ingestão.

Reprodução: Por volta de um ano de idade atinge a maturidade sexual, faz os ninhos em cavidades de troncos. Cada postura tem em média quatro ovos brancos, pintalgados de vermelho, e incubados apenas pela fêmea por um período de aproximadamente 15 dias, tendo de 2 a 3 ninhadas por temporada.

Estado de Conservação: População estável sem maiores preocupações de preservação.

Comentários

O Gaturamo-verdadeiro é uma bela ave Sul-Americana que habita partes das Guianas, Suriname, Venezuela, Brasil até a Argentina. São conhecidos em algumas regiões pelos nomes de: gaturamo-imitador, gaturamo-itê, guiratã-de-coqueiro, tem-tem-de-estrela e tem-tem-verdadeiro, o macho costuma imitar as vocalizações de uma grande variedade de espécies. Tem tamanho aproximado de 12 cm de comprimento quando adultos, a espécie apresenta dimorfismo sexual bastante acentuado, os machos são coloridos de preto e amarelo brilhante, enquanto que as fêmeas e as aves juvenis têm cor olivácea. São bastante sociáveis e alimentam-se basicamente de frutos, eventualmente também comem insetos. Os gaturamos possuem moela degenerada, ou seja, tem baixa capacidade de processamento mecânico dos alimentos ingeridos, o alimento é pouco aproveitado sendo eliminado poucos minutos após a ingestão, o que os leve a uma procura constante de alimentos. Habitam bordas de floresta, clareiras, floresta secundária e plantações, e são encontrados também em áreas urbanas, arborizadas, evitando áreas abertas mais áridas, vive aos pares ou em pequenos grupos, junta-se com freqüência a bandos mistos de aves. Atingem a maturidade sexual por volta de um ano de idade constroem os ninhos em cavidades de troncos, cada postura tem em média quatro ovos brancos que são incubados apenas pela fêmea por um período de 15 dias.

About this species

The Violaceous – Euphonia is a beautiful South American bird that inhabits parts of the Guianas, Suriname, Venezuela, Brazil until Argentina. They are known in some regions by the names of: "gaturamo-imitador", " gaturamo-itê", "guiratã-de-coqueiro", "tem-tem-de-estrela" and "tem-tem-verdadeiro" . The he-bird uses to imitate the vocalization of a great variety of species. It is approximately 12 cm long when an adult. The species shows a severe sexual dysmorphism . The he-bird is black and shiny yellow, whereas the young she-birds are olivaceous. They are very sociable, and feed basically on fruit, and eventually insects. They have a deformed gizzard, which means they have very poor grinding of ingested food. Hence very little of the food is absorbed, leading to a constant search of food. They inhabit edges of forest, clearings, secondary forest and plantations, and can also be spotted in urban, woody areas, avoiding more arid open areas. They live in pairs or in small groups, one frequently join flocks of mixed birds. They reach sexual maturity around one year old. They build their nests in holes of trunks. They lay about an average of four white eggs that they are bred only by the she-bird for a period of 15 days.
ft68-01a.jpg
Martim-pescador-verde - Chloroceryle amazona177 viewsNome em Inglês

Amazon Kingfisher

Hábitos

Frequenta águas interiores, rios e lagos grandes, sendo pouco comum na orla marinha. Voa rente ao espelho d’água. Empoleira-se em galhos baixos, ocultos por folhagem densa, passando desapercebido, pois na penumbra sua plumagem esverdeada assume tonalidades escuras.

Ocorre do México à Argentina, todo o Brasil.

Reprodução

Na época de reprodução, o macho e a fêmea escavam o ninho num barranco que margeia um riacho ou próximo a ele; o túnel mede de 1 a 2 m e termina na câmara onde são postos os ovos que medem cerca de 34 x 27 mm. A incubação é tarefa da fêmea no período noturno e partilhada pelo casal durante o dia. Os filhotes abandonam o ninho com 29 ou 30 dias de idade. O casal, freqüentemente, permanece junto durante anos.

Alimentação

Alimenta-se principalmente de peixes. Para pescá-los utilizam um poleiro baixo, rente à água rasa, e daí capturam os pequenos peixes que surgem na superfície. Alimentam-se também de camarões de água doce e, ocasionalmente, de anuros e larvas aquáticas de insetos. Pode pairar no ar para mergulhar em águas abertas. O macho oferece alimento à fêmea durante a corte.


REFERÊNCIAS: - WikiAves
Rolinha-roxa.jpg
Rolinha-roxa177 views
FtRAW108-04a.jpg
Maria-preta-de-penacho177 views
Socozinho-2.jpg
Socozinho177 views
Ft560RAW42-03a.jpg
Periquitão-maracanã177 views
ft81-05a.jpg
Tuim - Forpus xanthopterygius176 viewsNome em Inglês

[colr=black]Blue-winged Parrotlet

Hábitos

Vivem em bandos de até 20 tuins e sempre que pousam, se agrupam em casais. Habitam as bordas das mata ribeirinha, mata seca e cerradões. Muito ativos, deslocam-se por grandes áreas, sempre com gritos de contato. Os chamados são agudos, em tons mais baixos do que os do periquito, além de serem mais curtos. Qualquer novidade na área de alimentação, ninho ou dormida é logo saudada pelos gritos de alarme e contato do grupo.

Ocorre no nordeste, leste e sul do Brasil até o Paraguai e Bolívia, também no alto amazonas até o Peru e a Colômbia.

Reprodução

Nidifica em ocos do árvores, ninhos artificiais e cupins. Costuma usar ninhos vazios de joão-de-barro e de pica-paus pequenos. As posturas podem ir de 3 a 8 ovos e são incubados pela fêmea, apesar de o macho também ficar longos períodos dentro do ninho. No habitat natural o período de incubação ronda os 17 dias.

Alimentação

Procuram seu alimento tanto nas copas das árvores mais altas, como em certos arbustos frutíferos. Subindo na ramaria utilizam o bico como um terceiro pé; usam as patas para segurar a comida, levando à boca. Gostam mais das sementes do que da polpa da frutas. São atraídos por árvores frutíferas como mangueiras, jaboticabeira, goiabeiras, laranjeiras e mamoeiros. Os côcos de muitas palmeiras constituem sua alimentação predileta, procuram também as frutas da imbaúba dos capinzais. Gostam também de mastigar erva como complemento vegetal.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
lgo27a.jpg
Savacu - Nycticorax nycticorax176 viewsNome em Inglês

Black-crowned Night-Heron

Hábitos

Vive em bordas de lagos, lagoas e rios. Ave de hábito noturno e crepuscular. Durante o dia repousa em galhos de grandes árvores. Tem hábito de colocar o bico sobre o peito verticalmente para dormir.
Uma das garças mais cosmopolitas, sendo que nos países mais frios é migratória e forma grupos grandes, enquanto nos países tropicais é geralmente solitária. Pode ser encontrada quase qualquer local onde haja água e peixes ou anfíbios, desde pequenos lagos artificiais até costões rochosos no mar. Seu modo de caça principal é “senta e espera”, mas também pode usar seus longos dedos para cotucar o lodo e as pedras de rios e lagos espantando assim pequenos peixes que são capturados com precisão.

Presente em quase todo o Brasil com ampla distribuição geográfica ocorrendo do Canadá à Terra do Fogo e Velho Mundo.

Reprodução

A época reprodutiva é entre setembro e janeiro. Ambos os sexos participam da construção do ninho, da incubação de até cinco ovos assincrônicos, de cor esverdeados ou verde-azulados, entre 21 a 24 dias, com os filhotes permanecendo entre 30 a 50 dias no ninho. Reproduz-se em colônias, em ninhos construídos entre 1 e 7 m de altura. Geralmente nidifica em colônias mistas de tamanho e densidade variáveis.

Alimentação

Alimenta-se de peixes, anfíbios, crustáceos, insetos e pequenos répteis. Pesca às vezes sobrevoando águas profundas.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
ft104-11a.jpg
João-de-pau176 views
ft102-03a.jpg
Gralha-do-campo176 views
ft99-20a.jpg
Caminheiro-zumbidor176 views
bico-virado-carijo.jpg
Bico-virado-carijó176 views
canario-da-terra-femea-1.jpg
Canário-da-terra176 views
lavadeira-mascarada~0.jpg
Lavadeira mascarada176 views
arara-azul.jpg
Arara azul176 views
arara-azul-2.jpg
Arara azul176 views
garca-moura-1~0.jpg
Garça moura176 views
papagaio.jpg
Papagaio verdadeiro176 views
ft79-02a.jpg
Cambacica - Coereba flaveola175 viewsNome Inglês

Bananaquit

Família: Coerebidae

Habitat: Pode ser encontrada em quase a América do Sul e Central desde o México até á Argentina com exceção do Chile, vive sozinha ou aos pares é extremamente ativa, geralmente vive em áreas abertas com matas pequenas e arbustos principalmente os que dão flores.

Alimentação: Néctar, frutas, artrópodes e pequenos insetos gosta muito banana, mamão, jabuticaba e laranja.

Reprodução: O ninho para a reprodução é feito de palhas, folhas, capins e teias de aranhas, construido pelo casal onde a fêmea deposita dois ou três ovos sendo encubados exclusivamente pela fêmea.

Estado de Conservação: Sem preocupação, porém com a destruição do habitat natural já podemos encontá-los com mais facilidade em áreas urbanas.

About this species

It is found in almost all Central and South America ,from Mexico to Argentina, with the exception of Chile, It lives alone or in pairs,it is extremely active, generally lives in open areas with small bushes and shrubs, mainly the ones that give flowers. The nest for breeding is made of straw, leaves, grass and spider webs, and it's built by the pair, where the female lays two or three eggs which are incubated exclusively by the female.
ft71-03a.jpg
João-de-barro - Furnarius rufus175 views
Nome em Inglês

Rufous Hornero

Caracterização: Mede 19 centímetros. Os sexos são muito parecidos, a fêmea pode ser identificada, pelo hábito de ocupar à noite, sozinha, o ninho com ovos e filhotes. Plumagem de cor parda, com cor ferrugem nas costas e especialmente na cauda.

Distribuição: Pode ser encontrado da Argentina à Bolívia, Paraguai, noroeste da Bahia e sul do Piauí. Em Campinas só apareceu por volta de 1900.

Habitat: Vive em campos desprovidos de vegetação mais alta, abundante nas fazendas, parques e até nas cidades.

Reprodução: Constrói um ninho por ano, em formato de forno, com barro úmido e um pouco de esterco misturado à palha. Escolhe um local bem aberto para instalar-se, como por exemplo árvores isoladas, postes de iluminação. Trabalhando em conjunto o casal constrói o ninho em 18 dias. A fêmea põe de 3 a 4 ovos a partir de setembro.

Alimentação: Consiste de insetos e suas larvas, aranhas, opiliões e outros artrópodes, moluscos, ocasionalmente come sementes.

Manifestações Sonoras: O casal solta seu canto, forte grito ou gargalhada, freqüentemente em conjunto. O joão-de-barro é mais ativo nas horas mais quentes e claras ao contrário de outras espécies da família. Seu canto tem seqüências rítmicas mais prolongadas como que um canto festivo, crescente e decrescente. O casal sincroniza um dueto

REFERÊNCIAS: - NATIVE
ft104-04a.jpg
Bico-de-pimenta - Saltatricula atricollis175 viewsNome Inglês: Black-throated Saltator

Nome científico: Saltatricula atricollis

Família: Thraupidae

Habitat: Ocorre desde o Mato Grosso do Sul à Bahia, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Goiás ao interior das regiões sudeste e Nordeste. Também ocorre no Paraguai e Bolívia.

Alimentação: Alimenta-se basicamente de sementes, podendo eventualmente comer alguns insetos.

Reprodução: Contrói o ninho em forma de taça em arbustos ou pequenas árvores, põe em média 3 ovos tendo 3 ninhadas por estação.

Estado de Conservação: Sem preocupações

Comentários

Habita o cerrado, campos cerrados, caatinga e campos adjacentes, vive em pequenos grupos ou em pares, executando gritarias coletivas ao amanhecer em busca de alimento entre os arbusto
ft102-08a.jpg
João-bobo175 views
ft100-01a.jpg
Martim-pescador-grande175 views
FtRAW110-10a.jpg
Pica-pau-de-topete-vermelho175 views
FtRAW104-03a.jpg
Patativa175 views
garca-moura~1.jpg
Garça moura175 views
maguari~0.jpg
Maguari175 views
periquito-de-cabeca-preta-1.jpg
Periquito de cabeça preta - Aratinga nenday175 views
pombao~0.jpg
Asa-branca - Patagioenas picazuro174 views
bra08a.jpg
Balança-rabo-de-máscara - Polioptila dumicola174 viewsNome em Inglês

Masked Gnatcatcher

Caracterização: Tem cerca de 12 centímetros, e pesa menos de 7 gramas. Aparenta estar em busca contínua por alimentação. Seu lado superior é cinzento e a parte inferior é branca. O macho tem uma máscara negra no rosto.

Distribuição: Ocorre na Bolívia, Paraguai, Argentina, Uruguai e Brasil (sudeste do Pará, Goiás, Minas Gerais a São Paulo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso).

Habitat: Vive nos campos abertos, entre árvores espinhentas.

Hábitos: Mantém a cauda em constante movimento, quer vertical, quer lateralmente. Se excitado abre a mesma em leque, expondo a contrastante coloração branca e preta. Vive abertamente na copa das árvores, exposto ao vento e à forte insolação. Aprecia regiões áridas.

Alimentação: É uma ave insetívora.

Reprodução: Seu ninho é delicado, parecendo com o ninho dos beija-flores. Ele é dissimulado, por fora, por liquens presos por teias de aranha.

Manifestações Sonoras: Tem uma voz bonita e na primavera está sempre cantando muito suavemente. "grä", "zeret-grä" (chamada; advertência).

REFERÊNCIAS: - NATIVE
Garca03a.JPG
Garça-branca-pequena - Egretta thula174 viewsNome em Inglês

Snowy Egret

Hábitos

Habita bordas de lagos, rios, banhados e à beira - mar. Comum em manguezais, estuários e poças de lama na costa, sendo menos numerosa em pântanos e poças de água doce.
Vivem em grupos e migram em pequenas distâncias para dormir.
Todo o Brasil e desde o sul dos Estados Unidos e Antilhas à quase totalidade da América do Sul.

Reprodução

Associam-se em colônias formando ninhais com outras espécies, o casal constrói uma plataforma de galhos secos sobre uma árvore, geralmente próxima a água, onde incuba 3 a 7 ovos azul-esverdeados, durante 25 a 26 dias.
FtRAW111-04a.jpg
Garrinchão-de-barriga-vermelha174 views
FtRAW110-04a.jpg
Tiziu - Volatinia jacarina174 viewsNome Inglês: Blue-black Grassquit

Nome científico: Volatinia jacarina

Família: Emberizidae

Habitat: Ocorre do México á Patagónia, sendo encontrado em todo o território brasileiro.

Alimentação: Alimenta-se principalmente de sementes de gramíneas como a braquiária, mas também captura insetos, frequenta comedouros com sementes e quirera de milho.

Reprodução: Procria em qualquer época do ano, pelo menos em algumas regiões quentes próximas à linha do Equador, como em Belém (PA). Quando solta seu canto (semelhante ao som da palavra "tiziu", o que lhe valeu o nome popular), principalmente durante a reprodução, o macho dá um salto curto para o ar e mostra uma região branca sob a asa, voltando a empoleirar-se no mesmo local. Acredita-se que este ritual seja para defender seu território. Faz ninho na forma de uma xícara fina e profunda, sobre gramíneas. Põe de 1 a 3 ovos branco-azulados com pontos marrom-avermelhados.

Estado de Conservação: População estável sem preocupações

Comentários

Tem cerca de 11,5 centímetros de comprimento. O macho é todo preto com brilho azul-metálico, exceto por uma pequena mancha branca na parte inferior das asas. A fêmea é marrom-oliva na parte superior, amarelo-amarronzado na inferior, com o peito e laterais estriados de escuro. Fêmeas e imaturos são quase idênticos a várias outras espécies da família, especialmente às fêmeas dos papa-capins.Estes pequenos pássaros são vistos com grande freqüência, geralmente aos pares, em áreas alteradas, descampados, savanas, campos e capoeiras baixas da América do Sul, exceto no extremo sul. Vive aos pares durante o período reprodutivo, porém, fora deste, reúne-se em grupos que podem chegar a dezenas de indivíduos. Nestas situações, freqüentemente mistura-se a outras espécies de pássaros que alimentam-se de sementes. Em regiões do Sudeste e Sul do País, como em São Paulo, desaparece durante o inverno, migrando para regiões mais quentes.
tico-tico-rei-cinza~0.jpg
Tico-tico-rei-cinza - Lanio pileatus174 views
FtRAW139-02a.jpg
Figuinha-de-rabo-castanho174 views
FtRAW136-03a.jpg
Martim-pescador-verde174 views
saira-ferrugem-1.jpg
Saíra-ferrugem174 views
carcara-3.jpg
Carcará174 views
siriema.jpg
Seriema174 views
Ft560RAW42-08a.jpg
Coleirinho174 views
jacuacu~0.jpg
Jacuaçu173 views
020.JPG
Gralha-do-campo173 views
FtRAW136-02a.jpg
Gibão-de-couro173 views
aracua-do-pantanal.jpg
Aracuã do pantanal173 views
ft81-02a.jpg
Tiziu - Volatinia jacarina172 viewsNome em Inglês

Blue-black Grassquit

Hábitos

Estes pequenos pássaros são vistos com grande freqüência, geralmente aos pares, em áreas alteradas, descampados, savanas, campos e capoeiras baixas da América do Sul, exceto no extremo sul. Vive aos pares durante o período reprodutivo, porém, fora deste, reúne-se em grupos que podem chegar a dezenas de indivíduos. Nestas situações, freqüentemente mistura-se a outras espécies de pássaros que alimentam-se de sementes.
Ocorre em todo o Brasil e também do México ao Panamá e em todos os países da América do Sul.

Reprodução

Procria em qualquer época do ano, pelo menos em algumas regiões quentes próximas à linha do Equador. Faz ninho na forma de uma xícara fina e profunda, sobre gramíneas. Põe de 1 a 3 ovos branco-azulados com pontos marrom-avermelhados.

Alimentação

Alimenta-se principalmente de sementes de gramíneas como a braquiária, mas também captura insetos.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
dmg07a.jpg
Saí-azul - Dacnis cayana172 views
Nome Inglês: Blue Dacnis

Nome científico: Dacnis cayana

Família: Thraupidae

Habitat: Encontra-se en todo o Brasil, ocorre também de Honduras ao Panamá e em quase todos os países da América do Sul, com exceção do Chile e Uruguai.

Alimentação: Tem como alimento básico néctar, insetos e frutas

Reprodução: Reproduz na primavera e no verão, faz o ninho em forma de taça profunda entre as folhas externas de uma árvore colocado uma média de 3 ovos, o ninho é construido somente pela fêmea, que é protegida pelo macho contra intrusos.

Estado de Conservação: Sem preocupações quanto a sua conservação
ave05a.jpg
Sabiá-poca - Turdus amaurochalinus172 views Nome em Inglês

Creamy-bellied Thrush

Hábitos

Pousado ou no chão, possuem o característico hábito de balançar a cauda rapidamente na vertical. O piado de contato é traduzido por póca, nome tupim para barulho.

Há ocorrência dessa espécie em quase todos os estados do Brasil e na Argentina. Seu período migratório vai dos meses de maio a agosto.

Reprodução

Em agosto inicia-se a reprodução. Nessa época, aparecem as aves com o bico amarelo vivo, uma característica ligada à reprodução. Aves juvenis ou adultos fora do período reprodutivo têm o bico escuro ou com diferentes proporções de amarelo. Nidifica em arbustos isolados. O ninho apresenta formato de tijela, é feito com raízes e fibras com acabamento de barro nas paredes laterais dando solidez, dentro há um acolchoado de raízes finas e macias sem o barro. Coloca 3 a 4 ovos, bojudos e com a ponta alongada, azul-esverdeado com manchas e pintas ferrugíneas. O casal fica junto no período de incubação.

Alimentação

Alimentam-se de invertebrados e pequenos frutos, principalmente no solo. Como outros sabiás, gostam de ciscar com o bico as folhas secas e escavar o chão. A cada movimento com o bico para a lateral, dão um salto para trás e ficam procurando presas, imóveis por alguns segundos. Se nada aparece, saltam para a frente, ciscam e retornam à posição original. Quando os frutos das figueiras estão caindo no chão, concentram-se sob a árvore e fartam-se.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
ft94-03a.jpg
Gavião-caramujeiro172 views
FtRAW104-11a.jpg
João-bobo172 views
047.JPG
Tico-tico-rei-cinza172 views
FtRAW136-04a.jpg
Caminheiro-zumbidor172 views
FtRAW136-05a.jpg
Cambacica172 views
udu-de-coroa-azul~0.jpg
Udu de coroa azul172 views
ft81-01a.jpg
Ferreirinho-relógio - Todirostrum cinereum171 viewsNome em Inglês

Common Tody-Flycatcher

Hábitos

Característico de ambientes mais abertos, não ocorre em áreas extensamente florestadas, sendo muito comum em cidades. Vive escondido no meio da vegetação baixa e apresenta comportamento característico de movimentar a cauda lateralmente.

O canto origina o nome comum, parecendo com um relógio de mesa quando se dá corda. Canta o ano inteiro, bem como nas horas quentes do dia. O casal responde um ao outro, também aproximando-se de uma gravação do canto.
A distribuição da espécie Todirostrum cinereum ocorre do México à Bolívia, ao Brasil e às Guianas.

Alimentação

Alimenta-se de dípteros e lepidópteros (Hesperiidae – Urbanus sp.) e outros. Ativo o dia inteiro, caça invertebrados no meio das folhagens da copa e baixa até 2 metros do chão.

Reprodução

Reproduz de julho a novembro. Constrói um característico ninho pendurado na ponta de galho fino, feito de restos de folhas e painas. O material é colocado úmido e as partes aderem entre si, ao secar. Parte do material fica pendente, camuflando o ninho. Característica entrada lateral com pequeno telhado protegendo. Muitas vezes, o material de um ninho velho próximo é retrabalhado para a reprodução seguinte. Surpreende a resistência do ninho, agüentando chuvas fortes e ventos.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
FtRAW110-09a.jpg
Pica-pau-de-topete-vermelho171 views
sanhacu-cinzento-5.jpg
Sanhaço-cinzento171 views
FtRAW150-04a.jpg
Chorozinho-de-bico-comprido (macho)171 views
fogo-apagou~0.jpg
Fogo apagou171 views
quero-quero.jpg
Quero quero171 views
FtRAW108-03a.jpg
Maria-preta-de-penacho170 views
FtRAW104-10a.jpg
João-bobo170 views
140.JPG
Saíra-de-chapéu-preto - Nemosia pileata170 views
FtRAW139-06a.jpg
Gibão-de-couro170 views
gaviao-caramujeiro.jpg
Gavião caramujeiro170 views
soco-boi.jpg
Socó boi - Tigrisoma lineatum170 viewsTem 93 centímetros de altura. A plumagem adulta - idêntica para ambos os sexos - é adquirida aos dois anos de idade, caracterizando-se pelo pescoço castanho e manto pardo-acinzentado, manchado de acanelado; possui um bico bastante longo. A plumagem do socó-boi jovem é amarela-clara com faixas transversais negras, garganta e ventre brancos e o bico é relativamente curto.
viuvinha~0.jpg
Viuvinha - Colonia colonus169 views
lgo28a.jpg
Socozinho - Butorides striata169 viewsNome Inglês: Striated Heron

Família: Ardeidae

Habitat: O socozinho é uma ave aquática muito comum em áreas alagada, pode ser visto em todo o território brasileiro, nas regiões de clima quente da América, África, Ásia, Austrália e ilhas do Oceano Pacífico.

Alimentação: Permanece imóvel por longos períodos, empoleirado sobre a água ou em suas proximidades, à espera de presas, que podem ser, peixes, insetos aquáticos, caranguejos, moluscos, anfíbios e répteis.

Reprodução: No período reprodutivo, costuma fazer seus ninhos separado das demais aves da família ou mesmo da espécie geralmente, nidifica solitário, podendo associar-se a outros indivíduos formando colônias de nidificação no período de reprodução, a incubação leva em torno de 26 dias os novos individuos deixaram os ninhos por volta de trinta dias após o nascimento.

Estado de Conservação: A espécie encontra-se estável sem maiores preocupações.

Comentários

O socozinho é uma espécie de socó com ampla distribuição nas áreas alagadas das Américas e em grande parte do mundo, chega a medir até 36 centímetros comprimento, possuindo capuz e topete nucal negros, pescoço acinzentado, peito com estrias ferrugem, dorso estriado de marrom, pernas amarelas e curtas. Também é conhecida pelos nomes de , garça-socoí, maria-mole, socó-boi, socó-estudante, socoí, socó-mijão, socó-mirim e socó-tripa.

ft104-03a.jpg
Cigarra-do-campo169 views
FTraw25-05a.jpg
Pitiguari169 views
FtRAW111-01a.jpg
Tico-tico-rei-cinza169 views
Surucua_variado~0.jpg
Surucuá-variado - Trogon surrucura169 views
periquitao-maracana~0.jpg
Periquitão169 views
jacana.jpg
Jaçanã169 views
ft104-02a.jpg
João-de-pau168 views
FTraw25-10a.jpg
Beija-flor-de-orelha-violeta168 views
FtRAW136-01a.jpg
Gibão-de-couro168 views
sai-azul-1~0.jpg
Saí-azul168 views
martim-pescador-verde.jpg
Martim pescador verde168 views
Ft560RAW42-01a.jpg
Primavera168 views
tesourinha.jpg
Tesourinha - Tyrannus savana167 views
BTVa.jpg
Neinei - Megarynchus pitangua167 views Nome em Inglês

Boat-billed Flycatche

Habita florestas, paisagens abertas com árvores espassas e cerrados, vive nas copas da mata.
Ave migratória, sendo encontrada nos meses mais quentes do ano.
Seu grande bico o ajuda a apanhar os insetos e as frutinhas dos quais se alimenta. Já foi visto pescando pequenos peixes e caçando pequenos lagartos e filhotes de outras aves.
O ninho é contruído com ramos secos. A fêmea põe de 2 a 3 ovos, o ninho é pequemo e situado nas partes altas das árvores isoladas.

REFERÊNCIAS: - WikiAves
periquitao-maracana.JPG
Periquitão - Aratinga leucophthalma167 views
sai-andorinha.JPG
Saí-andorinha - Tersina viridis167 views
153.JPG
Surucuá-variado - Trogon surrucura aurantius167 views
periquitao-maracana-o.jpg
Periquitão167 views
bem-te-vi-rajado~0.jpg
Bem-te-vi-rajado - Myiodynastes maculatus167 views
sanhacu-cinzento.jpg
Sanhaço-cinzento167 views
sanhacu-cinzento-5~0.jpg
Sanhaço-cinzento167 views
bem-te-vi~1.jpg
Bem-te-vi167 views
sai-azul~0.jpg
Saí-azul167 views
Ft560RAW42-04a.jpg
Príncipe167 views
ft104-01a.jpg
João-de-pau166 views
ft93-03a.jpg
Garrinchão-de-barriga-vermelha166 views
FtRAW42-04a.jpg
Pica-pau-verde-barrado166 views
FtRAW151-02a.jpg
Chorozinho-de-bico-comprido (fêmea)166 views
arapacu-de-cerrado~1.jpg
Arapaçu-de-cerrado166 views
maria-cavaleira.jpg
Maria-cavaleira-pequena166 views
jan06a.jpg
Tapicuru-de-cara-pelada - Phimosus infuscatus165 viewsNome em Inglês

Bare-faced Ibis
ft102-01a.jpg
João-bobo165 views
FtRAW42-02a.jpg
Saíra-amarela165 views
FtRAW111-02a.jpg
Tico-tico-rei165 views
FtRAW110-05a.jpg
Ferreirinho-relógio165 views
FtRAW150-03a.jpg
Chorozinho-de-bico-comprido (macho)165 views
FTraw25-03a.jpg
Irré164 views
sai-andorinha-3.JPG
Saí-andorinha - Tersina viridis164 views
andorinha-serradora.JPG
Andorinha-serradora - Stelgidopteryx ruficollis164 views
050.JPG
Tico-tico-rei-cinza164 views
FtRAW150-02a.jpg
Cambacica164 views
anu-branco.jpg
Anu branco164 views
ftRAW15-01a.jpg
Bico-de-pimenta - Saltatricula atricollis163 viewsNome Inglês: Black-throated Saltator

Nome científico: Saltatricula atricollis

Família: Thraupidae

Habitat: Ocorre desde o Mato Grosso do Sul à Bahia, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Goiás ao interior das regiões sudeste e Nordeste. Também ocorre no Paraguai e Bolívia.

Alimentação: Alimenta-se basicamente de sementes, podendo eventualmente comer alguns insetos.

Reprodução: Contrói o ninho em forma de taça em arbustos ou pequenas árvores, põe em média 3 ovos tendo 3 ninhadas por estação.

Estado de Conservação: Sem preocupações

Comentários

Habita o cerrado, campos cerrados, caatinga e campos adjacentes, vive em pequenos grupos ou em pares, executando gritarias coletivas ao amanhecer em busca de alimento entre os arbustos.
FtRAW40-17a.jpg
Campainha-azul163 viewsEspécie quase ameaçada.
FtRAW116-10a.jpg
Encontro163 views
bem-te-vi-rajado.jpg
Bem-te-vi-rajado - Myiodynastes maculatus163 views
filipe.jpg
Filipe 163 views
arara-azul-1.jpg
Arara azul163 views
coruja-buraqueira-2.jpg
Coruja-buraqueira - Athene cunicularia163 views
FtRAW115-02a.jpg
Pica-pau-do-campo162 views
FtRAW116-11a.jpg
Encontro162 views
carrapateiro.jpg
Carrapateiro162 views
bem-te-vi-rajado~2.jpg
Bem-te-vi-rajado162 views
FTraw25-11a.jpg
Sebinho-de-olho-de-ouro161 views
FTraw25-14a.jpg
Sebinho-de-olho-de-ouro161 views
FtRAW40-06a.jpg
Suiriri-de-garganta-branca161 views
FtRAW115-10a.jpg
Arara-canindé161 views
FtRAW114-01a.jpg
Periquito-de-encontro-amarelo161 views
tico-tico-rei-cinza.jpg
Tico-tico-rei-cinza - Lanio pileatus161 views
FtRAW40-15a.jpg
Pia-cobra160 views
ft100-02a.JPG
Bem-te-vi159 views
FTraw25-02a.jpg
Canário-rasteiro159 views
FtRAW40-18a.jpg
Sanhaçu-de-fogo159 views
FTraw25-01a.jpg
Canário-rasteiro158 views
FtRAW29-09a.jpg
Saíra-de-papo-preto158 views
ftRAW15-06a.jpg
Tico-tico-rei158 views
bem-te-vi~0.jpg
Bem-te-vi158 views
FTraw25-06a.jpg
Tapaculo-de-colarinho157 views
FTraw25-07a.jpg
Guaracava-de-topete-uniforme157 views
FTraw25-13a.jpg
Filipe157 views
ftRAW15-05a.jpg
Pica-pau-branco157 views
FtRAW40-16a.jpg
Campainha-azul157 viewsEspécie quase ameaçada.
FtRAW41-01a.jpg
Cambacica157 views
FtRAW112-11a.jpg
Coleiro-do-brejo157 views
FtRAW115-07a.jpg
Tico-tico-do-campo157 views
FtRAW115-09a.jpg
Arara-canindé157 views
FtRAW115-14a.jpg
Noivinha-branca157 views
Sanhacu_cinzento.jpg
Sanhaço-cinzento157 views
Figuinha_de_rabo_castanho.jpg
Figuinha-de-rabo-castanho157 views
ft93-02a.jpg
Garrinchão-de-barriga-vermelha156 views
FTraw25-08a.jpg
Chibum156 views
897 files on 3 page(s) 2

Opções do Usuário
Quem somos
Bem vindo ao PhotoAves, aqui você encontra fotos de aves, dicas e muita informação.