Login

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 
A saíra-pintor-verdadeiro Tangara fastuosa é uma ave passeriforme da família Thraupidae.
  • Nome popular: Pintor-verdadeiro
  • Nome inglês: Seven-colored Tanager
  • Nome científico: Tangara fastuosa
  • Família: Thraupidae
  • Habitat: Endêmica do Nordeste brasileiro, principalmente no litoral dos estados de Pernambuco e Alagoas, havendo relatos para os Estados da Paraíba, Sergipe e Rio Grande do Norte. Segundo alguns pesquisadores, no intuito de diminuir a ameaça de extinção que paira sobre essa espécie, muitas aves capturadas ao tráfico, foram soltas em áreas não divulgadas, onde quase não existem outros traupídeos; como algumas reservas do Centro-Oeste e mesmo em algumas ilhas do litoral brasileiro. Atualmente já são feitos registros com frequência nos estados do Sudeste, principalmente no Rio de Janeiro.
  • Alimentação: Alimentam-se basicamente de frutos, brotos, insetos e pequenos vermes.
  • Reprodução: Faz o ninho em forma de taça, confeccionado principalmente com folhas de várias plantas da família das taquaras, e postura média de 2 a 3 ovos, tendo 2 a 3 ninhadas por temporada. Estes ninhos são geralmente construídos dentro de bromélias epífitas em árvores relativamente altas. Os filhotes e imaturos apresentam plumagem de coloração verde-oliva uniforme.
  • Estado de conservação: Vulnerável
Foto – Marcus Avila
Pintor-verdadeiro
Foto – Marcus Avila
Pintor-verdadeiro

Características:

Há um dimorfismo sutil entre os sexos, o macho apresenta a cabeça levemente mais azulada, enquanto a fêmea puxa para o amarelo esverdeado. É agressivo e territorialista, ocorre em ambientes que vão desde matas bem preservadas a outras severamente transformadas, entre elas zonas costeiras de restinga, florestas úmidas e áreas do Rio Grande do Norte conhecidas como tabuleiros. Alguns fragmentos de mata que ainda restam nos grotões de propriedades das usinas de cana-de-açúcar do Nordeste tem sido verdadeiros refúgios para a espécie. Por vezes freqüentam pomares, próximos às pequenas matas nativas onde ainda subsiste precariamente. Diferente de sua congênere do Sul e Sudeste, a saira-sete-cores, o pintor-verdadeiro quase não é visto em bandos mistos, sendo mais comum em pequenos grupos familiares.

Comentários:

É endêmico do Nordeste brasileiro; sendo restrito principalmente no litoral dos estados de Pernambuco, Alagoas e Paraíba, havendo relatos para os Estados de Sergipe e Rio Grande do Norte. Segundo alguns pesquisadores, no intuito de diminuir a ameaça de extinção que paira sobre essa espécie, muitas aves capturadas ao tráfico, foram soltas em áreas não divulgadas, onde quase não existem outros traupídeos; como algumas reservas do Centro-Oeste e mesmo em algumas ilhas do litoral brasileiro. Infelizmente a introdução desta espécie em outros ambientes pode ocasionar consequências não previstas. Lembremos que a introdução de qualquer espécie exótica em um ambiente que não o seu pode prejudicar em vez de ajudar a biodiversidade.
Foto – Marcus Avila
Pintor-verdadeiro
Foto – Marcus Avila
Pintor-verdadeiro
Referências Bibliográficas: FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec - Ecologia Técnica Ltda. SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997.
Topo