Login

Contato

Por favor digite seu nome
Por favor insira seu email. Email inválido.
Por favor escreva sua mensagem
Busca - Categorias
Pesquisar - Contatos
Pesquisar - Conteúdo
Busca - Fonte de Notícias
Pesquisa - Marcadores

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 
O azulão é uma ave da família Cardinalidae. Ocorrem do Nordeste do Brasil ao Rio Grande do Sul, e também na Bolívia, Paraguai e Argentina. Tem o bico negro e grande, o macho é totalmente azul-escuro, com partes azuis brilhantes. A fêmea e os filhotes são totalmente pardos com as partes inferiores um pouco mais claras.
  • Nome popular: Azulão
  • Nome inglês: Ultramarine Grosbeak
  • Nome científico: Cyanoloxia brissonii
  • Família: Cardinalidae
  • Habitat:Ocorre do Nordeste do Brasil ao Rio Grande do Sul, bem como na Bolívia, Paraguai e Argentina.
  • Alimentação:É basicamente granívoro, mas alimenta-se também de frutos larvas e insetos.
  • Reprodução:Reproduz-se entre setembro e fevereiro, fazem o ninho não muito longe do solo e cada ninhada geralmente tem entre 2 e 3 ovos, tendo de 3 a 4 ninhadas por temporada. Os filhotes nascem entre 13 e 15 dias após a fêmea botar os ovos.
    Existem cinco subespécies de azulão, sendo três no Brasil.
    • Cyanoloxia brissonii brissonnii: Brasil
    • Cyanoloxia brissonii sterea: Brasil
    • Cyanoloxia brissonii argentina: Brasil e Argentina
    • Cyanoloxia brissonii caucae: Colômbia
    • Cyanoloxia brissonii minor: Venezuela
  • Estado de conservação:Pouco preocupante
Foto Edgard Thomas
azulão
Foto Edgard Thomas
azulão

Características:

Tem o bico negro e grande, o macho é totalmente azul-escuro, com partes azuis brilhantes. A fêmea e os filhotes são totalmente pardos com as partes inferiores um pouco mais claras.

Comentários:

Frequentam a beira de pântanos, matas secundárias e plantações. É uma ave muito territorialista, não formam bandos . Vivem sozinhos ou em casais e mesmo assim a uma boa distância. Os filhotes ficam com os pais bastante tempo e depois já partem para uma vida “independente”, pois o instinto territorialista do azulão não o deixará ficar por perto após estar na fase adulta. Assim, o filhote terá que achar seu próprio território e sua parceria para acasalamento. Se um macho invade o território de outro, com certeza haverá um conflito, e será bem violento. Por isso existe certo respeito entre as aves e seus territórios, mas sempre há aquele mais valente que, por território ou por uma fêmea, entrará em conflito e conquistará o desejado.
FOTO-3
FOTO-4 Referências Bibliográficas: Sick, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro, 2001: Editora Nova Fronteira. p.783, Acesso em 05/2014
Topo